Versão do Pilates na água faz sucesso

O sucesso que o método Pilates alcançou pelo mundo é inegável. Tanto que até ganhou uma versão aquática, o Water Pilates. A novidade foi criada na Califórnia e mantém os princípios do método, que é o de executar movimentos para acionar os músculos do abdômen. A região, inclusive, é responsável por manter o equilíbrio do corpo na água.

Realizado dessa maneira, o treino fortalece e alonga os músculos, além de proporcionar resistência, pois nesse ambiente eles são mais exigidos. Apesar disso, os movimentos são de fácil execução. Mas é preciso ter cuidado para, além de manter o abdômen contraído, não projetar os quadris para frente ou incliná-los para trás.

O Water Pilates pode ser realizado de forma individual, em dupla ou em grupo. A atividade é indicada principalmente para quem possui dores musculares com tensões excessivas ou dificuldades de movimento, dores articulares causadas por desgastes como artroses e diminuição de espaço intervertebral.

Porém, essa modalidade, assim como o Pilates fora da água, deve ser orientada preferencialmente por fisioterapeutas ou professores qualificados para isso.

Pode-se dizer que o Pilates, devido aos seus excelentes resultados, principalmente para quem enfrenta problemas na coluna, virou um must. Muitas pessoas têm corrido para as academias em busca do método, esquecendo-se, porém, de analisar um dos quesitos mais importantes e que podem comprometer todo o trabalho corporal: a capacitação do instrutor.

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

O professor de Pilates precisa estar preparado para lidar com pacientes em reabilitação, com problemas de saúde e um público específico, como os idosos e as gestantes. Até porque as aulas têm que ser individualizadas, respeitando-se o perfil de cada aluno.

Quem deseja praticar o método necessita, antes de tudo, procurar um ortopedista, que irá avaliar se esse é mesmo o exercício mais adequado às necessidades. Com o devido aval do especialista, é só aproveitar os benefícios, entre eles, o enrijecimento da musculatura abdominal, fortalecimento corporal, aumento da flexibilidade e desenvolvimento de uma maior consciência corporal. Sem falar que o método realmente ajuda a descomprimir lesões na coluna, fortalecendo os músculos que suportam a estrutura da região e proporcionando alívio às dores crônicas.

O Pilates também é indicado para auxiliar no tratamento de complicações nos joelhos, ombros e panturrilhas após cirurgias e, ainda, no pré e pós-parto. Por essa razão, o instrutor tem de ser um profissional capacitado para lidar com alunos nessas condições especiais.

Marcio Atalla
Especialista em qualidade de vida e saúde, para a Revista Super Varejo.

7 COMENTÁRIOS

  1. O ortopedista não está capacitado para avaliar se o Pilates é ou não adequado as necessidades do cliente. Ortopedista não possui formação em Pilates. O correto é ele encaminhar o paciente para um profissional que atua na área de Pilates, disponibilizando o laudo desse.

  2. Tmb me interessei pelo curso, tmb sou fisioterapeuta e do interior de sao paulo (campinas), ja sou instrutor de pilates, onde poderia encontrar esse curso por aqui ???
    obrigado…

  3. Oprofissional da area de ortopedia nao esta capacitado p/ avaliar um paciente a praticar pilates,ele sim pode encaminhar por nao ter formaçao em pilates.

  4. Tenho o curso de Hidropilates.
    Já trabalho a mais de um ano. É fantástico o resultado.