Segunda-feira: dia internacional da dieta

Quantas vezes você prometeu começar a dieta na segunda-feira? Prometeu mas não conseguiu cumprir? Que tal fazer valer a promessa essa semana? Mas não adianta fazer algo muito radical, seguir essas dietas loucas da moda, hein! O negócio é comer direito, sempre optando por alimentos saudáveis, e fazer atividade física.  No nosso caso, Pilates, né?

Para quem defende a tese de comer de três em três horas para emagrecer, o raciocínio é muito simples: reduzindo o intervalo entre as refeições, você come porções menores e acelera o metabolismo. Isso melhora a digestão, facilitando a perda de peso também.

Mas atenção, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há evidências científicas de que esse procedimento diminua o risco de engordar.

Para a nutricionista Renata Azevedo, especialista em obesidade, de nada adianta comer a cada 3 horas se a escolha dos alimentos for equivocada. O segredo não está no intervalo entre uma refeição e outra, mas nas calorias daquilo que se come. E na força de vontade de quem pretende emagrecer, é lógico.

Fracionar as refeições e comer porções menores pode dar certo, sim, mas tudo depende do indivíduo e das decisões que ele toma.” Exemplo: ao decidir que vai comer porções menores de comida de 3 em 3 horas, você pode cair na boa e velha tentação dos salgadinhos. Nesse caso, pode esquecer – o ponteiro da sua balança jamais irá para baixo, só para cima.

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

Por outro lado, comer grandes porções poucas vezes ao dia também é má ideia. Segundo Renata, esse hábito traz consequências como o aumento do estômago e do intestino delgado, o que só contribui para o aumento de peso.

O que se recomenda é comer menos e melhor, aliando cardápios saudáveis com atividade física.

“É importante ter em mente que nenhuma dieta dá resultados imediatos”, diz a nutricionista. “Perder peso pode demorar um bom tempo, qualquer que seja o método adotado.”

Portanto, é preciso ter persistência e não desistir nunca.
Vamos lá? Vamos começar?

Com informações de Giselle Hirata, na Super Interessante.