Pratique com a Revista: TENDON STRETCH

Hoje tem estreia por aqui! Começamos a série Pratique com a Revista, com dicas superbacanas de exercícios pra você, instrutor, diversificar suas aulas, ou pra você, pilateiro, marcar o instrutor e começar o desafio! A autora da série é a Renatha Cruz, uma Fisioterapeuta muito talentosa, que faz desenhos incríveis para explicar a melhor forma de executar cada um dos movimentos. Além de criativos – e lindos!, eles trazem informações bem úteis e funcionais. Vale a pena acompanhar.

Desafio no Reformer

Pratique com a Revista começando com tudo! Hoje vamos conhecer um exercício de Pilates no Reformer – Tendon Stretch!

Ele é um exercício de certa forma mais avançado e bem desafiador, que exige uma boa consciência corporal, grande flexibilidade e força. Portanto, necessita de atenção especial e acompanhamento do profissional ao lado do paciente o tempo todo. A quantidade de molas deve ser equilibrada.

Objetivos do Tendon Stretch

Os objetivos deste exercício são tantos, que, certamente, você vai querer praticar com a Revista: alongamento da cadeia posterior; fortalecimento dos músculos bíceps braquial, tríceps braquial, peitoral maior, reto abdominal, oblíquo interno e externo, transverso abdominal, quadríceps e tríceps sural; trabalha também a estabilização lombo-pélvica e de cintura escapular; melhora na coordenação motora, equilíbrio e controle de Power House.

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

Como praticar com a Revista o Tendon Stretch

O exercício se inicia com o paciente pisando na borda anterior do carrinho e segurando a barra de pés do Reformer com os joelhos estendidos. Para realizar o movimento, ele empurra o carrinho com controle e depois retorna à posição inicial. Uma boa dica é que o exercício pode ser realizado do fim para o começo.

Dicas importantes:

Alguns cuidados especiais são em relação as pernas, as quais devem estar totalmente estendidas (cuidado com o paciente que possui hiperextensão de joelho, monitorando-o e auxiliando sempre), e os joelhos não podem encostar na barra dos pés. Não permita que o paciente levante a cabeça.

Outra dica é observar se ele está com o Power House ativado. Não permita que haja tensão nos ombros ou sobrecarga nos punhos, o que pode acontecer quando, por exemplo, o paciente projeta o carrinho para frente, perdendo estabilidade, o que pode gerar dor.

Este exercício é contraindicado em quaisquer pacientes que tenham algum tipo de risco de quedas ou com labirintite (pelo fato da cabeça ficar para baixo por muito tempo). Também não deve ser realizado em pessoas com dor ou lesão de punho, cotovelo, ombro ou pescoço, ou ainda naquelas patologias com hipermobilidade de ombro e/ou cintura escapular, síndrome do impacto, dentre outras.

Gostou das dicas da Re? Conte pra gente nos comentários. E acompanhe a série Pratique com a Revista. Se quiser ver mais desenhos incríveis feitos por ela, só acessar: renathacruz_resumindoafisio