PILATES E RESPIRAÇÃO

Hoje vamos falar um pouco sobre respiração, um tema bastante conhecido em nosso meio, mas nem sempre bem explorado, não só em nossas aulas, mas em nossa vida. O objetivo aqui é mostrar como uma respiração eficiente pode nos ajudar a viver melhor – além de mostrar que temos um aliado bastante conhecido para contribuir com isso: O PILATES.

O sistema respiratório

Como todos sabemos, respirar é fundamental, é vital, é a ação mais importante do nosso corpo. É, de um modo simplificado, a troca de gases (O2 e CO2) entre as células do organismo e a atmosfera.

Dentre os sistemas do organismo, acredita-se que o respiratório seja o que envelhece mais rapidamente, devido à maior exposição a poluentes ambientais ao longo dos anos. E o Pilates surge como alternativa de condicionamento físico particularmente interessado em proporcionar bem-estar geral ao indivíduo.

De acordo com Kim & Sapienza, uma das principais mudanças no sistema respiratório com o avançar da idade, é a diminuição do recolhimento elástico dos pulmões e da complacência da caixa torácica. Essas alterações estão relacionadas às mudanças na quantidade e na composição dos componentes dos tecidos conjuntivos do pulmão, como elastina, colágeno e proteoglicanos.

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

Essas alterações são responsáveis pela redução da força muscular respiratória, que prejudicam, não só a função de bomba ventilatória, como também as funções não ventilatórias do sistema respiratório. As funções não ventilatórias incluem: tossir, espirrar, falar e cantar.

E O PILATES?

O método, chamado antes de Contrologia, baseia-se na integração de todos os movimentos do nosso corpo, que devem ser totalmente conscientes. O praticante precisa entender os princípios e objetivos.

Primeiro, quero que vocês enxerguem comigo que não existe método Pilates sem respiração consciente e adequada ao movimento que será executado e ao objetivo que se quer com aquele exercício, certo?

Isso mesmo. Cuidado com a regra inspira parado e solta realizando o movimento – ela existe. Mas perceba a necessidade, o movimento que será executado e a finalidade dele. Até mesmo a postura do seu aluno vai direcionar sobre como respirar para melhor aproveitamento do exercício.

Além disso, através da respiração iremos ativar outro conceito básico do método – o Power House. Sem o apoio da respiração consciente não conseguimos ativar com toda eficiência nossa casa de força. Portanto, esses dois conceitos se complementam e se apoiam. Temos que ter em mente que a respiração coloca em jogo dois compartimentos fundamentais: a caixa torácica e a caixa abdominal, que são separadas pelo músculo DIAFRAGMA. Apesar de separados, esses dois compartimentos sofrem influência um do outro – e isso vai alterar a respiração.

Exemplos da respiração nos ajudando na execução do movimento:

– Para realizarmos uma flexão de coluna como no ROLL UP é necessário expirar. A expiração facilitará o movimento.

– Para realizar uma extensão de coluna como o SWAN é necessário inspirar para criar mobilidade no gradil costal e realizar a extensão no segmento vertebral que tem mais dificuldade, que é a região torácica.

– Para realizar uma torção podemos expirar para aprofundar, ao mesmo tempo em que realizamos uma descompressão com a ativação do Power House.

– Para realizar o TEASER temos que expirar para conseguir a estabilidade que esse exercício desafia.

Então, concluímos que o Pilates é um grande aliado para reeducar nossa respiração, deixar nosso sistema imunológico mais forte (inclusive para doenças respiratórias), equilibrar nossas funções orgânicas, aumentar nossa energia vital e controlar nosso emocional.

Vamos treinar? =)

Andressa Kelly Santos Barbosa

CREFITO 1 199681 F