Pilates e ciclismo

Você sabia que o método Pilates pode beneficiar – e muito – os atletas e praticantes do ciclismo?

Pilates é uma pratica corporal global que envolve o corpo de uma forma uniforme, buscando desenvolver congruência nos movimentos fundamentais, promovendo estabilidade e mobilidade das estruturas, além dos ganhos de força e flexibilidade. Este método já se consolidou como eficaz na melhora dos padrões posturais e na correção de disfunções de movimento, ajudando positivamente na melhora da performance durante a prática de esportes de qualquer tipo, incluindo o ciclismo.

Ciclismo = esporte de endurance

O ciclismo entra na categoria de esportes de endurance, que promovem benefícios na capacidade aeróbica e anaeróbica e ajudam no ganho de resistência física por serem práticas cíclicas e que exigem produção de energia durante uma atividade contínua que pode variar entre leve à intensa, dependendo do condicionamento de cada praticante.

Durante a prática dos esportes de endurance é muito importante que o praticante tenha uma correta produção de força, além da manutenção da função adequada das articulações para que se obtenha performance e prevenção de qualquer impacto em estruturas como tendões e ligamentos, que podem acarretar lesões.

PUBLICIDADE
Linha WAVE 2.0 estúdio completo, design exclusivo
Five de um UP no seu estúdio
Linha WAVE 2.0 estúdio completo, design exclusivo

Categorias do ciclismo

Para que o treinamento promova adaptações suficientes para melhora da performance, é preciso saber qual categoria do ciclismo se pretende praticar e realizar uma avaliação do indivíduo. O ciclismo é divido em basicamente três categorias:

MTB (Moutain Bike) – que consiste em práticas em meio a relevos acidentados e a
natureza;
ESTRADA – que consiste em práticas em meio a relevos lisos e geralmente com grande velocidade;
BMX (BiciCross) – que consiste em práticas em bicicletas menores, onde o ciclista realiza manobras ou corrida em pistas acidentadas.
Lazer – categoria composta por praticantes que apenas pedalam com o intuito de passeio e diversão.

A bicicleta e o ciclista

Qualquer que seja a categoria é muito importante primeiro adquirir a bicicleta adequada e com a regulagem que se adeque ao corpo de cada individuo. O bom equipamento faz total diferença na hora de praticar o ciclismo. O praticante deve ficar atento ao seu posicionamento sobre a bicicleta em relação ao seu quadril, joelho e tornozelo e a distância entre seu tronco e o guidão para um melhor alinhamento da sua coluna. O correto posicionamento sobre a bicicleta vai ajudar muito na performance e na prevenção de qualquer tipo de dor e lesão.

Muitos pensam que pedalar é apenas um exercício para as pernas, mas na realidade é um trabalho de corpo inteiro. Pedalar exige um trabalho coordenado do corpo todo para que seja confortável e eficiente. O gesto de empurrar os pedais exige uma potência dos músculos extensores do quadril, além de uma boa mobilidade de tornozelo e joelho e estabilidade de tronco para sustentação da bicicleta sobre as duas rodas.

Os ombros e a cintura escapular também são regiões extremamente exigidas durante um pedal, pois, com as mãos no guidão, o praticante deve conduzir a bicicleta, desviar de obstáculos e suportar muitas vezes a trepidação durante passeios em relevos acidentados.

Cada modelo de bicicleta exige um posicionamento diferente e uma exigência neuromuscular diferente também, e por isso é preciso que haja um trabalho específico fora da bicicleta, afim de equilibrar as estruturas corporais e favorecer os movimentos em cima da bicicleta.

Pilates para ciclistas

A prática de ciclismo é uma prática global, assim como a prática de Pilates. Devemos ter um olhar sistêmico para ambas. Joseph Pilates, em seu livro Your Health, criticou o treinamento desportivo de sua época. Ele entendia que o treinamento deveria reconhecer as diferenças raciais, culturais e que cada corpo se movimenta de uma forma – e assim o Pilates vem sendo desenvolvido até hoje.

O ciclismo exige de cada corpo de uma maneira diferente – e sua prática é excelente para ganhos metabólicos, mas se não for levado em consideração as estruturas corporais, postura e funções de movimento, pode levar a dores e até à lesões.

Devido ao mau posicionamento na bicicleta e a falta de práticas corporais complementares, é muito comum entre os ciclistas as dores na coluna lombar, nos joelhos, cervical, ombros e até lesões na região das mãos e no períneo. Por isso, a importância da escolha adequada da bicicleta e regulagem da mesma é de suma importância, além das práticas de exercícios complementares que podem ajudar na performance.

O Pilates pode ser uma ótima ferramenta para os ciclistas. Através do trabalho dos princípios do método é possível equilibrar a postura, melhorar a função muscular e articular, facilitar os movimentos através do ganho de mobilidade, dar mais estabilidade no tronco e trazer maior consciência sobre o corpo e como ele se movimenta.

A prática de ciclismo é uma ótima opção para quem quer sair do sedentarismo e procura um esporte pratico, divertido e empolgante! Pedalando você pode descobrir diversos lugares diferentes, se conectar com sua essência e ainda promover ganhos no seu condicionamento aeróbico. O Pilates complementa e enriquece a prática do ciclismo, pois estrutura o corpo para suportar de forma saudável as longas distâncias, as intensas subidas, ou até os buracos pelo caminho.

Prof. Esp. Victor Valente
@coach_victorvalente
Cref: 074605-G/SP

PUBLICIDADE
Linha Infinity 2021 Turbine seu estúdio
Linha Infinity 2021 Turbine seu estúdio
Five de um UP no seu estúdio