Pilates, COVID-19 e aspectos psicossociais

A essa altura dos acontecimentos, você já deve saber o que é COVID-19, mas vamos começar com uma breve conceituação. Em linhas gerais, “a doença coronavírus 2019 (COVID-19) é uma doença altamente transmissível, causada pela síndrome respiratória aguda grave coronavírus (SARS-CoV-2). Um novo coronavírus descoberto em Wuhan, província de Hubei, China, no final de 2019” e sua gravidade varia de leve ou sem sintomas a pneumonia grave associada à internação na unidade de terapia intensiva e alta mortalidade (SANTOS, PICÓ-PÉREZ e MORGADO, 2020).

Que essa doença traz grandes prejuízos para a saúde física dos indivíduos não é segredo para ninguém, mas será que todos estão atentos sobre seus impactos nos domínios psicológicos e sociais?

Aspectos psicossociais

Estudos recentes revelam impactos dessa doença e do cenário por ela imposto na saúde mental dos indivíduos, “estudos anteriores mostraram que, durante o surto de infecção, houve uma ampla gama de efeitos psicossociais nas pessoas em nível individual, comunitário e internacional” (HALL et al. 2008; TENG et al. 2020).

Sobre os impactos na saúde da população em geral podemos destacar: baixa qualidade de sono, aumento das emoções negativas, diminuição da satisfação com a vida, estresse, depressão, ideação suicida, insônia, transtorno de ajustamento e ansiedade (SANTOS, PICÓ-PÉREZ e MORGADO, 2020; MEIRA JUNIOR et al., 2020).

Dentre os vários fatores de risco foram associados a piores resultados de saúde mental: ser mulher, ser mais jovem, estar em quarentena, ter um ente querido falecido por COVID-19 e experimentar eventos estressantes relacionados com a pandemia (SANTOS, PICÓ-PÉREZ e MORGADO, 2020).

PUBLICIDADE
17 anos MetaLife - WAVE 2.0 a evolução da linha premium
Five de um UP no seu estúdio - 17 anos MetaLife
17 anos MetaLife - WAVE 2.0 a evolução da linha premium

Especificamente para os profissionais da saúde os maiores impactos na saúde mental são: sentimentos negativos relacionados à exaustão, frustração, isolamento de seus entes queridos ou preocupação em infectá-los; ansiedade, transtorno de estresse pós-traumático e depressão (SANTOS, PICÓ-PÉREZ e MORGADO, 2020).

Exercícios físicos e Covid-19

É preciso destacar que o exercício físico de alta intensidade pode ser prejudicial e agravar o quadro de COVID-19, porém, o exercício de intensidade moderada é recomendado como uma maneira não farmacológica, barata e viável (RAHMATI-AHMADABAD e HOSSEINI 2020; NOGUEIRA et al. 2020).

No que diz respeito aos aspectos psicológicos e sociais, eu poderia compartilhar muitos estudos sobre os benefícios dos exercícios físicos em contextos gerais e, especificamente, sobre o Pilates; mas vou deixar esse exercício de pesquisa para você e trazer alguns dados para o contexto de COVID 19.

Fato é que a prática regular de exercícios físicos está associada a melhores resultados psicológicos durante o surto de COVID-19 (SANTOS, PICÓ-PÉREZ e MORGADO, 2020; MEIRA JUNIOR et al., 2020; BOURION-BÉDÈS et al., 2021).

Bourion-Bédès et al. (2021) sustentam que os exercícios físicos (82,7%) e atividades manuais foram os meios mais utilizados para aliviar o sofrimento durante a quarentena. A espiritualidade, o suporte social, a resiliência, a qualidade de vida e os exercícios físicos foram protetores contra sintomas depressivos durante a quarentena de COVID-19 (SCHMITT JUNIOR et al. 2021).

Mudanças na prática de exercícios físicos e comportamentos sedentários durante o confinamento estão associados a mudanças positivas na saúde física e mental (CHEVAL et al. 2020; NOGUEIRA et al. 2020).

Portanto, recomenda-se à população comportamentos e atitudes que ajudarão na manutenção de uma vida fisicamente ativa e da saúde física e mental, tais como:

  • realizar atividades físicas que sejam prazerosas;
  • realizar atividades da vida diária como limpeza, manutenção e organização dos espaços domésticos;
  • brincar e se exercitar com as crianças, adolescentes e animais de estimação;
  • evitar o comportamento sedentário;
  • reduzir o tempo de uso de dispositivos eletrônicos;
  • e reservar alguns minutos para atividades de alongamento, relaxamento e meditação, como é o caso do Pilates (FERREIRA et al. 2020; NOGUEIRA et al. 2020).

A partir desses dados, convido você a pensar sobre as características do método Pilates e seus princípios e como eles podem acrescentar vantagens nesse contexto. Relembre os princípios do método através da figura abaixo:

Fonte: Melo (2021, p.7)

Pilates x princípios x Covid-19

É essencial relembrar que uma mente concentrada irá te ajudar a reunir, utilizar e priorizar os princípios nos momentos de prática (MELO, 2021). Não se esqueça, também, que o acompanhamento diário e o monitoramento das diversas reações frente a diferentes situações são de fundamental importância para resultados eficazes – e nesse cenário de COVID 19. Estar atento a esse padrão de comportamento irá te ajudar a elaborar estratégias eficazes de enfrentamento, pois, a maneira como o indivíduo se posiciona diante da vida tem seu significado para a saúde psicológica e relaciona-se com a perda de estímulo ou motivação (MELO, 2021).

Por fim, quero compartilhar com vocês algumas dicas de um texto que li recentemente e podem ajudar você a se sentir melhor nesse cenário atual imposto. Esse artigo fala sobre rotina e hábitos de sucesso durante a pandemia de COVID-19. E dentre estes hábitos podemos verificar a prática de exercícios físicos e outras posturas diretamente relacionadas à melhora de aspectos psicológicos e sociais. Trata-se do artigo da Nature Career Column (DICKERSON, 2020), que aponta sete dicas de autocuidado para ajudar a preservar nosso bem-estar:

1) administrar nossas expectativas e aceitar que baixos níveis de concentração, motivação e produtividade durante esse período são normais;

2) praticar higiene do sono, ter alimentação saudável e realizar exercícios físicos (indico a prática de Pilates, pois é possível realizar a rotina em casa. Procure um profissional que possa te orientar online);

3) identificar pensamentos, sentimentos, sensações e ações negativas que podem contribuir para angústia e opressão;

4) criar uma rotina diária, separando o tempo de trabalho do tempo de lazer (que tal usar o Pilates como uma de suas atividades de lazer?);

5) ser compassivo com você mesmo e com os outros;

6) manter contatos sociais, por meio de chamadas telefônicas e de vídeo; e

7) focar no presente e nas coisas que podemos controlar – atenção plena e meditação podem ser úteis.

Não fique só, estabeleça conexões, mesmo que de forma online! Cuide de você com carinho e atenção! Viva o Pilates…

Cristina Carvalho de Melo
Idealizadora e Coordenadora do Projeto Pilates UFMG
Doutoranda em Ciências do Esporte, Mestrado em Estudos do Lazer, Especialização em Psicologia do Esporte e em Pilates, MBA em Gestão de Projetos.
Graduada em Educação Física e Administração
carvalho.cristina@gmail.com
Instagram: @criscarvalhomelo
Lattes

Referências:

BOURION-BÉDÈS, S.; TARQUINIO, C.; BATT, M.; TARQUINIO, P.; Lebreuilly, R.; SORSANA, C.; LEGRAND, K.; ROUSSEAU, H.; BAUMANN, C. Stress and associated factors among French university students under the COVID-19 lockdown: The results of the PIMS-CoV 19 study. Journal of Affective Disorders, v. 283, p.108–114, 2021.

CHEVAL, B. Relationships between changes in self-reported physical activity , sedentary behaviours and health during the coronavirus ( COVID-19 ) pandemic in France, April, 2020.

DICKERSON D. Sete dicas para gerenciar sua saúde mental e bem-estar durante o surto de COVID-19 . Nature [Preprint], (2020). Disponível em: <https://www-nature.ez27.periodicos.capes.gov.br/articles/d41586-020-00933-5>. Acesso em: 14 abr. 2020.

FERREIRA, M. J.; IRIGOYEN, M. C.; CONSOLIM-COLOMBO. F.; SARAIVA, J. F. K.; DE ANGELIS, K. Vida Fisicamente Ativa como Medida de Enfrentamento ao COVID-19. Arq Bras Cardiol [Internet]. 2020 [Disponível em: <http://publicacoes.cardiol.br/portal/abc/portugues/aop/2020/AOP_2020-0235.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2020.

HALL, R. C.; HALL, R. C.; CHAPMAN, M. J. O surto de Ebola em Kikwit em 1995: lições que hospitais e médicos podem aplicar a futuras epidemias virais. Gen Hosp Psychiatry, v.8, n. 30, p. 446–452, 2008.

MEIRA JUNIOR, C. M.; MENEGUELLI, K. S.; LEOPOLDO, M. P. G.; FLORINDO, A. A.  Frequência, duração e intensidade da atividade física no domínio da ansiedade e lazer durante a pandemia de Covid-19. Frontiers in Psychology, v. 11, p. 1-8; 2020.

MELO, C. C. Pilates e Aspectos Psicossociais. Coletânea Pilates: Voll Pilates Group. Ideograf – Gráfica e Editora, 2020.

NOGUEIRA, C. J.; CORTEZ, A. C.; LEAL, S. M. O.; DANTAS, E. H. M. Precauções e recomendações para a prática de exercício físico em face do COVID-19: uma revisão integrativa. Disponível em: <https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/504/637>. Acesso em: 20 abr. 2021.

RAHMATI-AHMADABAD, S.; HOSSEINI, F. Exercise against SARS-CoV-2 (COVID-19): Does workout intensity matter? (A mini review of some indirect evidence related to obesity). Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7184978/>. Acesso em: 20 abr. 2020.

SCHMITT JUNIOR, A. A.; BRENNER, A, M.; ALVES, L. P. C.; CLAUDINO, F. C. A.; FLECK, M. P. A.; ROCHA, N. S. Potential predictors of depressive symptoms during the initial stage of the COVID-19 outbreak among Brazilian adults. Journal of Affective Disorders, v. 282, p. 1090–1095, 2021.

TENG, Z.; WEI, Z.; QIU, Y.; TAN, Y.; WU, H.; WU, R.; HUANG, J. Status psicológico e fadiga da equipe da linha de frente dois meses após o surto de pandemia COVID-19 na China: um estudo transversal. Journal of Affective Disorders, v. 275, p. 247–252,  2020.

ZHANG, Y.; YAO, F.; KUANG, X.; LI, L.; HUANG, L.; ZHOU, Q.; PENG, J. CHANG, Q. How Can Alternative Exercise Traditions Help Against the Background of the COVID-19 in Cancer Care? An Overview of Systematic Reviews. Cancer Management and Research, v. 12, 2020.

PUBLICIDADE
17 anos MetaLife - Realizando Sonhos!
17 anos MetaLife - Realizando Sonhos!
Five de um UP no seu estúdio - 17 anos MetaLife