O que Joseph pensava sobre a educação?

Você sabe o que Joseph Pilates pensava sobre a educação?

Do ponto de vista das ciências humanas, em especial a filosofia, entender um autor comporta compreender os problemas que ele visualizava, assim como os conceitos que criou ou resgatou para tentar resolvê-los.

Penso que a educação (em especial a educação das crianças) era parte indissociável de um problema fundamental para Joseph Pilates e que, por meio de seus escritos, pode-se reconstituir, tanto os traços fundamentais quanto a solução conceitual e a prática proposta.

O problema ao qual aludimos é concreto e situado claramente por Joseph Pilates, observe:

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

“O homem negligencia a si mesmo, é destrutivo com sua eficiência física e mental, e tende ao enfraquecimento gradual e progressivo de sua moral, resultando em uma crescente desonestidade, imoralidade, perda de toda perspectiva verdadeira de sua responsabilidade por si mesmo e por seus semelhantes, com uma correspondente perda de idealismo e de cultura ética.” (Pilates, 1934)

Assim colocado, o problema não nos remete necessariamente à educação na infância. Contudo, na visão de Joseph Pilates, há uma conexão direta entre as qualidades da sociedade de uma forma geral e a dos indivíduos que a compõem, qualidades que não estão dadas, mas que dependem do contexto em que se desenvolvem, principalmente nos primeiros anos de vida.

Segundo Fiasca (2012), muitas das formulações encontradas nos escritos de Joseph Pilates derivam da tradição da cultura Helenística expressa pelo conceito de Paideia. Você sabe o que significa?

Paideia é um termo do grego antigo, empregado para sintetizar a noção de educação na sociedade grega clássica. Inicialmente, a palavra derivada de paidos [pedós – criança] significava simplesmente “criação dos meninos”, ou seja, referia-se à educação familiar, os bons modos e princípios morais. Será na mesma Grécia que se inicia um modelo de educação com um sentido relativamente semelhante ao que se utiliza hoje.

O método de condicionamento físico e mental criado por Joseph Pilates – Contrologia – possui o objetivo de educar o homem, por meio do movimento, desde a infância até a idade adulta, preparando-o para tomar as melhores decisões morais, melhorar a capacidade pessoal de busca pela excelência, poder enfrentar com maior eficácia as dificuldades diárias, cultivar a beleza (no sentido amplo do termo, não apenas a beleza física) e integrar nosso ser interior com nossos papéis sociais e nossa função no mundo.

Para o Sr. Pilates, se não prestarmos atenção na educação das crianças, nossos esforços serão em vão. Sua preocupação com esse assunto foi tamanha, que o levou a fazer uma série de apontamentos sobre os problemas educacionais presentes na sociedade alemã dos anos 30.

Veja como ainda são problemas atuais:

– Alimentar as crianças com substitutos artificiais para o leite materno;
– Alimentar as crianças quando elas não estão com fome;
– Forçar as crianças a ir dormir quando elas não estão com sono;
– Esticar e flexionar os braços e pernas das crianças quando elas não estão inclinadas a esticá-los e flexioná-los;
– Compelir as crianças a levantar quando elas ainda não são fortes o suficiente para suportar seu próprio peso;
– Forçar as crianças a sentarem em cadeiras para descansar quando elas estão inclinadas a sentarem no chão à moda turca ou “como índio”;
– Forçar as crianças a permanecerem inativas quando elas estão inclinadas a serem fisicamente ativas;
– Proibir crianças mais velhas de subir em árvores ou pular cercas, quando sua inclinação natural é a de fazer isso;
– São forçadas a estudar aquilo que não detém interesse para elas, e fingem estudar simplesmente para agradar seus pais “cegos”;
– Algumas vezes, são levadas a mentir, quando sua inclinação natural é a de contar a verdade;
– As crianças são impregnadas com o pensamento de que o sucesso é medido pela aquisição de dinheiro, portanto, seu objetivo deve ser tornarem-se ricas tão rapidamente quanto possível;
– Da mesma maneira, as crianças são forçadas a passar pela rotina estabelecida para sua educação em cultura física, cujo sistema de treinamento é estabelecido mais ou menos mecanicamente, sem compreensão, sob a falsa impressão de que essa rotina beneficia sua saúde;
– Elas são influenciadas a participar de times atléticos, submetendo-se docilmente a regimes de treinamento mais ou menos embrutecedores, normalmente concentrando todos os seus esforços na força física, sem qualquer atenção ao desenvolvimento do controle mental.

É esse tipo de educação que você quer para seus filhos? (Pilates, 1934)

Joseph Pilates dedicou várias páginas de seus livros para a questão da educação das crianças, pois acreditava que na infância os hábitos se formam facilmente – os bons e os maus. Logo, seria um caminho mais curto concentrar-se na formação de bons hábitos ao invés de tentar corrigi-los posteriormente.

Atualmente, vejo pouquíssimos trabalhos de Pilates dedicados a esse público com uma proposta educacional ampla e bem estruturada. Alguém se habilita?

Alexandre Luzzi
Educador físico (Cref: 025495)
Sócio proprietário da Escola de Pilates clássico TAI KEN

3 COMENTÁRIOS

  1. Excelente Matéria, um assunto pouco discutido e quase desconhecido pelos praticantes e instrutores. Compartilharei na minha página muito interessante.
    . parabéns pelo artigo.

  2. Grandes ensinamentos… Pena que o método virou mais uma máquina de fazer dinheiro. Joseph não cobrava pelo seu trabalho, apenas o que quisesse pagar. Óbvio que não precisamos chegar a tanto, mas não podemos desvirtuar demais.