Miastenia e Pilates

Você está preparado para atender um cliente com Miastenia?

João Carlos, 52 anos, morador da Zona Norte de São Paulo, mesmo contrariando seu médico que o proibiu de fazer qualquer atividade física, nos procurou para saber se poderia fazer Pilates. Ele está há um ano e meio tratando de Miastenia. Como esta é uma doença delicada, antes de mais nada, vamos pontuar algumas questões:

Em resumo, a Miastenia é uma doença neuromuscular, autoimune, que tem como principal déficit a contração muscular, isto é, a má transmissão dos impulsos nervosos para os músculos. Normalmente, vemos mais casos afetando os membros e tronco.

Os sintomas podem começar com a fraqueza dos músculos dos olhos, seguido de dificuldade de engolir, fraqueza dos músculos da mastigação, fala comprometida e dificuldades para caminhar, subir e descer escadas e realização das atividades diárias.

Não estando em surto ou em crise (quando está em crise normalmente apresentará um problema respiratório associado que pode evoluir para um quadro de internação, até o estágio de intubação), o paciente pode até praticar algum tipo de atividade física, mas ela deve ser conduzida com muito cuidado.

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

Devido à dificuldade de parâmetros, muito médicos realmente contra indicam a prática de atividade física e sugerem apenas fisioterapia. Agora, se feito, os exercícios físicos devem ser de baixíssimo impacto, não pode causar nenhuma fadiga. Eles devem ser praticados com cargas leves, poucas repetições e um bom intervalo entre um exercício e outro. Contrariando algumas dessas regras acima você pode levar o paciente a um quadro de crise que, evoluindo, pode chegar a morte. Por isso, muito cuidado instrutores!

Nossa sugestão para o João Carlos ou qualquer outro indivíduo que esteja chateado por estar envolvido no mundo da Miastenia é que se realmente resolver praticar Pilates, que o mesmo seja aplicado por um Fisioterapeuta com especialização em neurologia, ponto fundamental para o sucesso do programa. Pois esta é uma situação que exige um conhecimento mais profundo de níveis de fadiga e capacidade de analisar sinais para evitar tal estado.

A questão é tão delicada e merece um conhecimento não visível de forma tão clara. Estudos dizem que um paciente pode utilizar o seu diafragma (músculo tão importante para o mundo do Pilates) quatro vezes mais do que uma pessoa normal e é essa alta e forte utilização que pode decorrer na fadiga, crise e demais complicações.

Resumindo, se você é instrutor, só aceite esses casos se tiver total conhecimento, caso contrário indique para um colega da área que possa realmente ajudar esse paciente. Miastenia é uma doença delicada e exige muito conhecimento!

Até breve,

Ge Gurak
Educadora Física especialista em Atividades Físicas e Programas de Saúde
Instrutora da Equipe Trabalhando com Pilates

6 COMENTÁRIOS

  1. Sou miastenico há 6 anos, tomo medicamentos ainda: azatioprina, predinisona e puran para tireoide…o exercício físico q prático e o futebol e nunca desde de que a médica me liberou para tal prática senti qualquer tipo de fadiga ou sintoma relacionada a miastenia….só q há mais ou menos um mes, tive uma torção de joelho onde houve uma ruptura em um dos ligamentos cruzados, provavelmente farei a cirurgia para reparar. Depois da cirurgia terei q fazer academia para fortalecer a musculatura do joelho e dar pernas. Será que terei algum problema relacionado a MG, já que nunca senti nada jogando futebol? Obgado desde já!

  2. Vou postar na minha fanpage bela após os 40,ótima matéria como sempre!!Acho uma pena
    as pessoas não gostam muito de ler,leio tudo que postam aqui!!Mostro minha instrutora e mais!!!

  3. Vou postar na minha fanpage bela após os 40,ótima matéria como sempre!!Acho uma pena
    as pessoas não gostam muito de ler,leio tudo que postam aqui!!Mostro minha instrutora e mais!!!