Férias do Pilates?

Muita gente aproveita o início do ano para tirar férias. E férias, normalmente, é sinônimo de viagem, descanso, de deixar a rotina totalmente de lado. Trabalho, estudo e até as atividades físicas são pausadas por um período as vezes bem relevante, que chega até a atingir 30 dias. Agora, para muitos, é hora de recomeçar. Para outros, hora de iniciar o descanso e carregar as baterias para o carnaval. Mas como será que fica o corpo com toda essa pausa? Tirar férias do Pilates por um espaço de tempo mais prolongado pode ocasionar a perda de todas as conquistas obtidas nos treinos durante o ano que passou? Vem ver a resposta. Logo depois, acompanhe dicas para continuar a se exercitar mesmo longe do estúdio.

Posso tirar férias do Pilates?

Certamente, essa dúvida já passou pela sua cabeça. Afinal, fica difícil manter a rotina de treinos em um lugar distante, durante uma viagem, por exemplo. E se o estúdio que você frequenta fica perto do seu trabalho, que é bem longe da sua casa? Também fica complicado. Mas, apesar de tudo isso, você se preocupa porque sabe que os resultados não aparecem do dia pra noite. É preciso muito treino, disciplina e dedicação para começar a sentir os efeitos do método no corpo, seja na postura, nas funções motoras, na respiração, no alívio de dores, ou mesmo esteticamente. E você sabe disso melhor do que ninguém. Portanto, não pode nem pensar em retroceder, não é mesmo? Para ajudar você com essa resposta fomos buscar a ajuda de uma especialista em Pilates. Ge Gurak é Educadora Física, instrutora de Pilates desde 2001 e treinadora da Equipe TcPilates. Acompanhe a resposta dela abaixo.

Destreinamento

Melhoramos nossas capacidades físicas através de treinamento (estímulo e adaptação) e neste quesito podemos afirmar que nosso corpo é uma surpreendente máquina eficiente: hoje você faz um movimento, amanhã você repete este estímulo e daqui alguns dias ele começa a ficar fácil. Isso porque seu organismo se adaptou ao movimento, conquistou novos níveis de condicionamento e já pode aumentar o desafio. O difícil de antes já está ficando fácil.

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

Através desta repetição dos estímulos ganhamos força, flexibilidade, disciplina e controle, conseguimos realizar os belos e eficientes exercícios de Pilates. Mas de uma hora para outra paramos de nos exercitar pelos mais diversos motivos: férias e o desejo de fugir da rotina, alguma lesão ou doença, viagens, excesso de trabalho ou até pelos 1001 compromissos que assumimos no início de ano.

Dentro da linguagem esportiva chamamos de destreinamento este período no qual o indivíduo se afasta da prática regular de exercício.

Capacidade física x estímulo

A má notícia é que, ao parar de movimentar-se, você vira um destreinado porque grande parte das capacidades físicas só se mantém se continuam recebendo o estímulo.

No geral, os estudos relacionados a esse tema apontam reduções significativas nas capacidades de força, flexibilidade e resistência muscular a partir de 10 dias sem treinar, para pessoas que iniciaram e realizaram por pelo menos 90 dias um programa de atividade física orientado, com a frequência de três vezes por semana. Antes disso, talvez o praticante ainda não tenha conquistado resultados significativos. E entre as capacidades físicas a flexibilidade/mobilidade é perdida de forma mais rápida.

Por isso, da mesma forma que você se alimenta com regularidade, escova os dentes ou toma banho diariamente, faça das suas sessões de exercício, do seu Pilates, hábitos. Fará bem não só para seu corpo, sua mente agradecerá também!

Como manter os treinos durante as férias longe do estúdio?

Se você está começando as férias e não planejava manter os exercícios, não é preciso se desesperar. Pra tudo há uma solução. Não é porque você não vai conseguir frequentar o seu estúdio durante o período de descanso que você precisa ficar totalmente parado. Nós vamos te ajudar com algumas dicas pra lá de especiais.

1 – Exercite-se mesmo durante as férias!

Reserve um tempinho do seu dia para se exercitar. Seja caminhar, correr, andar de bicicleta, de patins, jogar bola. Aproveite para curtir a natureza na praia, no calçadão, na rua, onde estiver. Meia hora por dia já pode fazer um efeito surpreendente. Se não conseguir todos os dias, não tem problema, três vezes por semana já pode ser suficiente. Você também pode pular corda, subir e descer escadas, dançar. Faça algo que lhe dê prazer e alegria.

2 – Faça Pilates em casa

Viviane Vales, parceira da Ge na TC Pilates, também é Educadora Física, Especialista em Atividade Física Adaptada e Pilates. Ela traz dicas de exercícios para você fazer em casa durante as férias. Veja o que ela diz:

Lembre-se que o período de férias também é momento de manter o que já foi conquistado. Exercícios de força muscular, por 15 minutos, e exercícios de mobilidade, todos os dias, te ajudarão a retornar menos enferrujado às aulas.

Procure encaixar os exercícios em algum momento tranquilo do seu dia. Meu conselho é que você realize pela manhã, pois, além de ser revigorante, te deixará livre da tarefa e pronto para as outras atividades de lazer.

Os quatro exercícios abaixo vão contemplar força, mobilidade, flexibilidade e movimentos em vários planos para a coluna. Você pode colocá-los na sua rotina de exercícios. Confira:

Hundred

montagem-11

– Mantenha a perna o mais próximo do solo possível, sem perder o controle dos apoios da coluna;

– Pulse os braços vigorosamente para desafiar o controle do centro do corpo;

– Você pode realizar o exercício com as pernas apoiadas sobre um banco.

Criss Cross

montagen-41

– Cruze o tronco em direção a perna a partir do movimento das costelas, preservando o peso do sacro no chão e a estabilidade da lombar;

– Direcione seu olhar para o cotovelo de trás.

Rocking On Stomach (Preparação)

montagem-3

– Pense em empurrar os pés contra as mãos, abrindo os quadris. Assim você pode alongar-se mais, garantindo os espaços na lombar;

– Se as mãos não alcançam os pés, você pode utilizar uma toalha para envolvê-los.

One Leg Circle

montagem-21

– Pense na mobilidade do seu quadril. Caso sinta tensão excessiva nessa região, opte por flexionar levemente o joelho e mover a perna de forma mais livre;

– Ao mover o quadril, pense em manter a coluna estabilizada. A perna de apoio também pode flexionar para auxiliar o movimento.

Ah, só uma dica: só faça os exercícios sozinho se tiver bastante segurança e achar que realmente está preparado. E não esqueça de lembrar de todos os conselhos do seu instrutor:  inspirar, expirar, contrair o abdome, etc.

Gostou das nossas dicas ou tem mais dicas para compartilhar com nossos leitores? Conte pra gente: contato.rp@revistapilates.com.br