FÁSCIA E PILATES

Hoje iniciamos a coluna FÁSCIA E PILATES!

Esse é, sem dúvida, um assunto que está em muita evidência no ambiente do Pilates devido aos inúmeros benefícios que o estímulo fascial proporciona na aula!

As especialistas em Pilates e Treinamento Fascial, Fernanda Avancini e Marcela Piston, quinzenalmente vão compartilhar suas experiências em matérias teóricas e práticas para você entender melhor esse tema, que promete invadir os estúdios e academias nos próximos anos.

Embarque com a gente neste fascinante universo e apaixone-se!

Fernanda Avancini e Marcela Piston – Especialistas em Pilates e Treinamento Fascial

Você já ouviu falar em Fáscia? Com certeza a resposta é sim!

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

O termo está em grande evidência no Brasil e no mundo, devido as inúmeras comprovações científicas sobre o assunto nos últimos anos.

O primeiro congresso de Fáscia aconteceu na cidade de Boston em 2007, e a cada 2 anos acontece uma nova edição. Desde então são 5 congressos, onde o último teve recorde de público, na cidade de Berlin, em 2018. Ou seja, o campo está em grande ascensão.

Por muito tempo, a Fáscia foi negligenciada na área da saúde por ser um simples envoltório que cobria o que realmente importava: músculos, ossos, órgãos… Hoje sabemos que esse tecido é algo que vai muito além disso.

Então vamos começar com a definição básica. Segundo o FCAT (Federative Committee on Anatomical Terminology) (Stecco, C., 2015), a terminologia anatômica da Fáscia é: “Uma fáscia é uma bainha, uma folha ou qualquer outra agregação dissecável de tecido conjuntivo, que se forma sob a pele para unir, envolver e separar músculos e outros órgãos internos.”

Mas, para simplificar, gosto de comparar a Fáscia com uma roupa interna que envolve todas as nossas estruturas, da menor célula até a forma que enxergamos! Essa roupa carrega a nossa história e transborda no nosso mundo externo!

A Fáscia é composta por 3 substâncias básicas: células, MEC (matriz-extracelular) e água. Dentre os componentes, as principais células são os fibroblastos, que produzem o famoso colágeno, responsável pela tensão do tecido, e os Fasciacytes, que produzem o Hyaluran (ácido hialurônico), responsável pelo deslizamento do tecido. Outro componente importante é a elastina, que é responsável pela elasticidade. Existem outras células dentro da Fáscia, mas esse assunto deixamos para outra oportunidade!

Hoje sabemos que o Sistema Fascial permeia todos os outros sistemas e tem inúmeras funções como: transmissão de força, função sensoriais e regulação de feridas.

Agora a questão que fica é: O que a Fáscia tem a ver com o Pilates?

O método Pilates é incrível e já estimula a Fáscia em algumas qualidades, porém com a vida que levamos hoje é necessário complementar a aula com outras ferramentas que promovem um treinamento ainda melhor desse tecido.

Algumas pontos devem ser levados em consideração quando o foco é treinar a Fáscia:

Alongamentos variados
Os alongamentos dinâmicos em diversas direções são explorados para estimular a plasticidade e o formato multidimensional da Fáscia Superficial;

Hidratação
Os fluídos internos precisam ser renovados por meio de movimentos que fazem um efeito “espanador” e para isso acessórios como bolas texturizadas auxiliam muito nesse processo, aumentando o deslizamento entre as camadas;

Refinamento sensorial
A Fáscia é conhecida como “o órgão dos sentidos”, por ser rica em mecanorreceptores que respondem a estímulos de pressão, vibração e calor. Os acessórios ganham vez para esses estímulos e atuam como “as mãos” da terapia manual, só que no movimento, o que facilita a aplicação para grupos, como atuamos no Pilates. Movimentos semelhantes ao dos gatos e micro movimentos são bem-vindos nessa qualidade!;

Rebote elástico
A Fáscia é conhecida também como rede elástica, devido ao colágeno e a elastina que proporcionam mobilidade junto com os fluídos da MEC. Para estimular esse potencial de mola é necessário mover-se como tal, explorando saltitos e pulsos no final do movimento. Os condenados movimentos balísticos voltam com mais congruência na execução para aprimorar essa qualidade;

Remodelação:
As fibras de colágeno podem ser remodeladas com treinos específicos e podem se renovar a partir de 3 meses de estímulo, segundo estudos recentes. Essa remodelação torna o corpo jovem e saudável, promovendo maior qualidade de vida para os alunos!

Pensando nessas qualidades é primordial fazer algumas modificações no repertório do Pilates e adicionar acessórios que facilitam o estímulo fascial.

Aguardem a próxima matéria com exercícios para aplicar na sua aula de Pilates.


Fernanda Avancini
Educadora Física, idealizadora do MOVE FLOW, full certification Stott Pilates, Anatomy Trains in Motion (Anatomy Trains), Slings Myofascial Training (Art of Motion).


(Fonte: Schleip, R., Muller, D.G., Training principles for fascial connective tissues: Scientific foundation and suggested practical applications, Journal of Bodywork & Movement Therapies (2012) )