Estresse, ansiedade e Pilates

Estresse e ansiedade: será que o método Pilates pode ajudar? Quantas vezes você se sentiu ansioso ou estressado durante esta quarentena? Imagino que muitas vezes, não é mesmo? E quantas vezes você buscou soluções para melhorar este cenário de ansiedade e estresse? Você, de fato, se comprometeu com estratégias que se direcionassem para se manter mais tranquilo? Creio que alguns poderão responder que sim e outros devem estar refletindo sobre como poderia tornar isso possível. Bem, é nisso que pretendo te ajudar…

Isolamento social e mudanças na rotina

A quarentena trouxe consigo uma série de adaptações que foram impostas à maioria de nós. Para alguns o desafio de diminuir significativamente suas atividades de trabalho e para outros o aumento exacerbado nas demandas do mesmo. Fato é que, ficando em isolamento, nossas atividades e os limites das mesmas se confundem, muitas vezes não sabemos ao certo a qual atividade estamos nos dedicando em um determinado momento.

Fazemos tudo ao mesmo tempo e não respeitamos os momentos de intervalo e descanso! Como costumamos ouvir por aí “enquanto descansamos carregamos pedras”. Bem, nunca um ditado popular fez tanto sentido para tantos ao mesmo tempo…

Todo esse cenário de sobrecarga e sobreposição de atividades contribui para aumentar os níveis de estresse e ansiedade. Antes de propor soluções para tentar te ajudar, vou apresentar alguns conceitos essenciais.

PUBLICIDADE
Linha WAVE 2.0 estúdio completo, design exclusivo
Five de um UP no seu estúdio
Linha WAVE 2.0 estúdio completo, design exclusivo

Ansiedade e estresse

A ansiedade é um estado emocional negativo caracterizado por nervosismo, preocupação e apreensão, associado à ativação ou à excitação do corpo. (WEINBERG e GOULD, 2017). É definido mais formalmente como um estado emocional “caracterizado por sentimentos subjetivos de apreensão e tensão, conscientemente percebidos, acompanhados por ou associados com ativação ou excitação do sistema nervoso autônomo” (WEINBERG e GOULD, 2017; SPIELBERGER, 1966).

Por sua vez, o estresse é “qualquer perturbação, física ou psicológica, que produz uma resposta, seja ela comportamental ou neurovegetativa” (MELLO e TUFIK, 2004). Esch et al. (2002) apontam que ele é um evento ou estímulo que altera a homeostase existente; representa um desafio que força o organismo biológico a se adaptar para permanecer saudável e/ou sobreviver.

Com podemos perceber, um indivíduo ansioso ou estressado estará fora do seu estado normal de maneira geral, ou seja, biopsicossocial.

Para Selye (1981) o estresse possui algumas fases que poderão resultar no esgotamento físico e mental, como podemos ver abaixo:

Um indivíduo muito ansioso e estressado tende a apresentar perturbações e distúrbios emocionais; dores de cabeça; insônia; alterações gástricas e intestinais; distúrbios imunológicos; doenças cardiovasculares e renais, dentre outros problemas.

Um estudo do Health and Safety Executive (Reino Unido) apontou que estresse, depressão e ansiedade responderam por cerca de 36% dos dias perdidos de trabalho. Portanto, precisamos pensar em alternativas que nos afaste desses males.

A importância dos exercícios físicos

Você sabia que o exercício físico é um forte aliado no combate ao estresse e à ansiedade? Exercícios físicos, como Pilates, proporcionam sensações de bem-estar, prazer, melhora o estado de humor, promove o autocontrole, contribui para a qualidade de vida geral e sua prática regular pode contribuir para reduzir os níveis de estresse e ansiedade.

Psicólogos do esporte e do exercício estudam a relação entre estresse, ansiedade e desempenho há décadas e esclareceram aspectos do processo que têm várias implicações para ajudar as pessoas a reagirem e a terem melhor desempenho nas tarefas, em vez de se deixarem abater pelas adversidades (WEINBERG e GOULD, 2017).

Um estudo realizado com o Método Pilates verificou que oito semanas de treinos (3 treinos semanais) e treinamento aeróbio, com intensidade monitorada e ajustada progressivamente, impactaram positivamente na qualidade de vida, depressão e ansiedade (VANCINI et al., 2017). Nesse sentido, o Pilates pode ser usado como uma abordagem alternativa eficaz para melhorar a saúde geral dos indivíduos, a autoestima, o estado emocional e psicológico, o humor e a motivação (VANCINI et al., 2017).

Já é fato que a “redução da aptidão física geral, principalmente no componente relacionado à capacidade de resistência cardiorrespiratória, normalmente resulta em complicações na realização de tarefas cotidianas relacionadas à vida profissional e à prática de atividades físicas e de lazer, aumentando as chances que o indivíduo tem de desenvolver doenças crônico-degenerativas, como osteoporose, hipertensão, doenças coronarianas e diabetes mellitus” (ARAÚJO, MELLO e LEITE, 2007; BARLOW, 119; MEYER et al., 1998).

Portanto, manter-se ativo pode trazer inúmeros benefícios à saúde e à qualidade de vida. Porém, um estilo de vida sedentário e estressante resultará em grandes perdas nos mesmos domínios.

A visão de unidade existente no Método Pilates, semelhante a da Psicologia Corporal, compreende o ser vivo como uma unidade de energia composta por dois processos paralelos – mente e corpo (ROSSET, 2009). Esta visão reforça a importância que o método pode trazer para aspectos como estresse e ansiedade, pois se volta para a perspectiva das manifestações comportamentais e energéticas da mente sobre o corpo e do corpo sobre a mente, objetivando encontrar um equilíbrio onde o ser humano seja capaz de regular sua própria energia e alcançar uma vida mais saudável (ROSSET, 2009; VOLPI; VOLPI, 2003).

A relação entre os efeitos benéficos do exercício físico e os transtornos do humor, ansiedade e estresse é apontada em diversos estudos que abordam os benefícios psicológicos da prática regular de atividades físicas. (ARAÚJO, MELLO e LEITE, 2007; SHARP, 1975; DISHMAN, 1995).

Falando especificamente sobre Pilates, sabemos que ele aperfeiçoa a respiração e, se o indivíduo ansioso é capaz de aprender a respirar melhor, podemos, até certo ponto, modificar a sua condição energética diafragmática onde a ansiedade está contida. (ROSSET, 2009). Assim, em momentos de grandes desafios como os atuais, incluir o Pilates em nossa rotina pode ser um diferencial de sucesso em nossa jornada.

8 Dicas para incluir o Pilates no seu dia a dia e combater o estresse e a ansiedade

Por fim, tenho algumas dicas para te ajudar a realizar o Pilates regularmente, contribuindo para o controle do estresse e da ansiedade:

1 -> Desenhe bem sua rotina e escolha o momento no qual o Pilates será inserido, assim será mais fácil manter a regularidade;

2 -> Aprenda e utilize técnicas para controlar o estresse. Técnicas de respiração são bem eficientes e no Pilates elas podem ser facilmente inseridas;

3 -> Escolha um local, horário e sequência compatível com seu nível atual dentro do Pilates. Tudo isso ajudará na sensação de prazer. Os acessórios podem ajudar a diversificar as aulas;

4 -> Dê valor às pequenas conquistas diárias dentro do método;

5 -> Se você gosta de praticar exercícios de forma coletiva, desenvolva boas relações sociais, convide seus amigos e familiares para praticar Pilates com você;

6 ->Escolha entre praticar Pilates ao ar livre ou ambiente fechado, de acordo com o que mais se relaciona com o seu perfil. O MAT Pilates pode ser facilmente praticado em diversos espaços, inclusive em casa;

7 ->Persista!!! Em tudo na vida, somente com dedicação podemos alcançar resultados. Não seria diferente na prática do Método Pilates;

8 ->Invista em você! Tenha tempo para você! Sua saúde e qualidade de vida devem ser priorizadas.

Cristina Carvalho de Melo
Idealizadora e Coordenadora do Projeto Pilates UFMG
Doutoranda em Ciências do Esporte, Mestrado em Estudos do Lazer, Especialização em Psicologia do Esporte e em Pilates, MBA em Gestão de Projetos.
Graduada em Educação Física e Administração
Carvalho.cristina@gmail.com
Instagram: @criscarvalhomelo
Lattes: http://lattes.cnpq.br/6352837571933701

PUBLICIDADE
Linha Infinity 2021 Turbine seu estúdio
Linha Infinity 2021 Turbine seu estúdio
Five de um UP no seu estúdio