Estresse, ansiedade e Pilates

Estresse e ansiedade: será que o método Pilates pode ajudar? Quantas vezes você se sentiu ansioso ou estressado durante esta quarentena? Imagino que muitas vezes, não é mesmo? E quantas vezes você buscou soluções para melhorar este cenário de ansiedade e estresse? Você, de fato, se comprometeu com estratégias que se direcionassem para se manter mais tranquilo? Creio que alguns poderão responder que sim e outros devem estar refletindo sobre como poderia tornar isso possível. Bem, é nisso que pretendo te ajudar…

Isolamento social e mudanças na rotina

A quarentena trouxe consigo uma série de adaptações que foram impostas à maioria de nós. Para alguns o desafio de diminuir significativamente suas atividades de trabalho e para outros o aumento exacerbado nas demandas do mesmo. Fato é que, ficando em isolamento, nossas atividades e os limites das mesmas se confundem, muitas vezes não sabemos ao certo a qual atividade estamos nos dedicando em um determinado momento.

Fazemos tudo ao mesmo tempo e não respeitamos os momentos de intervalo e descanso! Como costumamos ouvir por aí “enquanto descansamos carregamos pedras”. Bem, nunca um ditado popular fez tanto sentido para tantos ao mesmo tempo…

Todo esse cenário de sobrecarga e sobreposição de atividades contribui para aumentar os níveis de estresse e ansiedade. Antes de propor soluções para tentar te ajudar, vou apresentar alguns conceitos essenciais.

PUBLICIDADE
Lançamento linha WAVE 2.0
Lançamento linha WAVE 2.0

Ansiedade e estresse

A ansiedade é um estado emocional negativo caracterizado por nervosismo, preocupação e apreensão, associado à ativação ou à excitação do corpo. (WEINBERG e GOULD, 2017). É definido mais formalmente como um estado emocional “caracterizado por sentimentos subjetivos de apreensão e tensão, conscientemente percebidos, acompanhados por ou associados com ativação ou excitação do sistema nervoso autônomo” (WEINBERG e GOULD, 2017; SPIELBERGER, 1966).

Por sua vez, o estresse é “qualquer perturbação, física ou psicológica, que produz uma resposta, seja ela comportamental ou neurovegetativa” (MELLO e TUFIK, 2004). Esch et al. (2002) apontam que ele é um evento ou estímulo que altera a homeostase existente; representa um desafio que força o organismo biológico a se adaptar para permanecer saudável e/ou sobreviver.

Com podemos perceber, um indivíduo ansioso ou estressado estará fora do seu estado normal de maneira geral, ou seja, biopsicossocial.

Para Selye (1981) o estresse possui algumas fases que poderão resultar no esgotamento físico e mental, como podemos ver abaixo:

Um indivíduo muito ansioso e estressado tende a apresentar perturbações e distúrbios emocionais; dores de cabeça; insônia; alterações gástricas e intestinais; distúrbios imunológicos; doenças cardiovasculares e renais, dentre outros problemas.

Um estudo do Health and Safety Executive (Reino Unido) apontou que estresse, depressão e ansiedade responderam por cerca de 36% dos dias perdidos de trabalho. Portanto, precisamos pensar em alternativas que nos afaste desses males.

A importância dos exercícios físicos

Você sabia que o exercício físico é um forte aliado no combate ao estresse e à ansiedade? Exercícios físicos, como Pilates, proporcionam sensações de bem-estar, prazer, melhora o estado de humor, promove o autocontrole, contribui para a qualidade de vida geral e sua prática regular pode contribuir para reduzir os níveis de estresse e ansiedade.

Psicólogos do esporte e do exercício estudam a relação entre estresse, ansiedade e desempenho há décadas e esclareceram aspectos do processo que têm várias implicações para ajudar as pessoas a reagirem e a terem melhor desempenho nas tarefas, em vez de se deixarem abater pelas adversidades (WEINBERG e GOULD, 2017).

Um estudo realizado com o Método Pilates verificou que oito semanas de treinos (3 treinos semanais) e treinamento aeróbio, com intensidade monitorada e ajustada progressivamente, impactaram positivamente na qualidade de vida, depressão e ansiedade (VANCINI et al., 2017). Nesse sentido, o Pilates pode ser usado como uma abordagem alternativa eficaz para melhorar a saúde geral dos indivíduos, a autoestima, o estado emocional e psicológico, o humor e a motivação (VANCINI et al., 2017).

Já é fato que a “redução da aptidão física geral, principalmente no componente relacionado à capacidade de resistência cardiorrespiratória, normalmente resulta em complicações na realização de tarefas cotidianas relacionadas à vida profissional e à prática de atividades físicas e de lazer, aumentando as chances que o indivíduo tem de desenvolver doenças crônico-degenerativas, como osteoporose, hipertensão, doenças coronarianas e diabetes mellitus” (ARAÚJO, MELLO e LEITE, 2007; BARLOW, 119; MEYER et al., 1998).

Portanto, manter-se ativo pode trazer inúmeros benefícios à saúde e à qualidade de vida. Porém, um estilo de vida sedentário e estressante resultará em grandes perdas nos mesmos domínios.

A visão de unidade existente no Método Pilates, semelhante a da Psicologia Corporal, compreende o ser vivo como uma unidade de energia composta por dois processos paralelos – mente e corpo (ROSSET, 2009). Esta visão reforça a importância que o método pode trazer para aspectos como estresse e ansiedade, pois se volta para a perspectiva das manifestações comportamentais e energéticas da mente sobre o corpo e do corpo sobre a mente, objetivando encontrar um equilíbrio onde o ser humano seja capaz de regular sua própria energia e alcançar uma vida mais saudável (ROSSET, 2009; VOLPI; VOLPI, 2003).

A relação entre os efeitos benéficos do exercício físico e os transtornos do humor, ansiedade e estresse é apontada em diversos estudos que abordam os benefícios psicológicos da prática regular de atividades físicas. (ARAÚJO, MELLO e LEITE, 2007; SHARP, 1975; DISHMAN, 1995).

Falando especificamente sobre Pilates, sabemos que ele aperfeiçoa a respiração e, se o indivíduo ansioso é capaz de aprender a respirar melhor, podemos, até certo ponto, modificar a sua condição energética diafragmática onde a ansiedade está contida. (ROSSET, 2009). Assim, em momentos de grandes desafios como os atuais, incluir o Pilates em nossa rotina pode ser um diferencial de sucesso em nossa jornada.

8 Dicas para incluir o Pilates no seu dia a dia e combater o estresse e a ansiedade

Por fim, tenho algumas dicas para te ajudar a realizar o Pilates regularmente, contribuindo para o controle do estresse e da ansiedade:

1 -> Desenhe bem sua rotina e escolha o momento no qual o Pilates será inserido, assim será mais fácil manter a regularidade;

2 -> Aprenda e utilize técnicas para controlar o estresse. Técnicas de respiração são bem eficientes e no Pilates elas podem ser facilmente inseridas;

3 -> Escolha um local, horário e sequência compatível com seu nível atual dentro do Pilates. Tudo isso ajudará na sensação de prazer. Os acessórios podem ajudar a diversificar as aulas;

4 -> Dê valor às pequenas conquistas diárias dentro do método;

5 -> Se você gosta de praticar exercícios de forma coletiva, desenvolva boas relações sociais, convide seus amigos e familiares para praticar Pilates com você;

6 ->Escolha entre praticar Pilates ao ar livre ou ambiente fechado, de acordo com o que mais se relaciona com o seu perfil. O MAT Pilates pode ser facilmente praticado em diversos espaços, inclusive em casa;

7 ->Persista!!! Em tudo na vida, somente com dedicação podemos alcançar resultados. Não seria diferente na prática do Método Pilates;

8 ->Invista em você! Tenha tempo para você! Sua saúde e qualidade de vida devem ser priorizadas.

Cristina Carvalho de Melo
Idealizadora e Coordenadora do Projeto Pilates UFMG
Doutoranda em Ciências do Esporte, Mestrado em Estudos do Lazer, Especialização em Psicologia do Esporte e em Pilates, MBA em Gestão de Projetos.
Graduada em Educação Física e Administração
Carvalho.cristina@gmail.com
Instagram: @criscarvalhomelo
Lattes: http://lattes.cnpq.br/6352837571933701

PUBLICIDADE
Linha Infinity 2021
Linha Infinity 2021