Equilíbrio e envelhecimento

Equilíbrio x envelhecimento x Pilates

O envelhecimento populacional é atualmente um fenômeno mundial de tendência permanente. Com a melhoria das condições de saúde e a crescente expectativa de vida no mundo, bem como no Brasil, ocorreu um crescimento da população de terceira idade. Com isso, o aumento da incidência de doenças relacionadas a esse período da vida, incluindo a perda de equilíbrio e suas consequências

O ser humano passa por um processo natural de envelhecimento, que gera modificações funcionais e estruturais no organismo, diminuindo a vitalidade e favorecendo o aparecimento de doenças. As mais comuns são as alterações sensoriais, cardiovasculares e o diabetes. Além de alterações biológicas, como diminuição da massa muscular e da densidade óssea, perda da força muscular, deficiência da agilidade, da coordenação motora, do equilíbrio, da mobilidade articular e alterações na organização do tecido conjuntivo.

Como acontece a perda de equilíbrio

Alunos da Tc Pilates

O envelhecimento compromete a habilidade do sistema nervoso central em realizar o processamento dos sinais vestibulares, visuais e proprioceptivos, responsáveis pela manutenção do equilíbrio corporal. Além disso, diminui a capacidade de modificações dos reflexos adaptativos. Esses processos degenerativos são responsáveis pela ocorrência de vertigem e/ou tontura e de desequilíbrio na população geriátrica.

Um dos principais fatores que limitam hoje a vida do idoso é o desequilíbrio e é o que vamos falar neste texto.

Na maioria dos casos, isso não pode ser atribuído a uma causa específica, mas sim a um comprometimento do sistema de equilíbrio como um todo, e estão intimamente relacionadas a postura e a marcha, além do sistema vestibular.

PUBLICIDADE
A cada R$ 100 você ganha uma arte decorativa digital
A cada R$ 100 você ganha uma arte decorativa digital
Mentoria MetaLife
Mês do cliente - Descontos incríveis aproveite
Mentoria MetaLife

Falta de equilíbrio x quedas

As quedas são as consequências mais perigosas do desequilíbrio, sendo responsáveis por 70% das mortes acidentais em pessoas com mais de 75 anos .

As manifestações dos distúrbios do equilíbrio corporal têm grande impacto para os idosos, podendo levá-los à redução de sua autonomia social. Isso porque eles acabam reduzindo suas atividades de vida diária pela predisposição a quedas e fraturas, trazendo sofrimento, imobilidade corporal, medo de cair novamente e altos custos com o tratamento de saúde.

Como prevenir quedas

Para evitar quedas provenientes da falta de equilíbrio, a pessoa idosa deve adotar cuidados com a própria saúde, como praticar atividade física e fazer um acompanhamento regular da saúde integral.

Colocamos aqui algumas medidas de prevenção:
1. escadas e corredores devem ter corrimão;
2. usar sapatos fechados com solado de borracha;
3. evitar tapetes soltos;
4. uso de tapetes somente se os mesmos tiverem antiderrapantes;
5. cuidados com pisos úmidos ou escorregadios;
6. evitar móveis e objetos espalhados pela casa;
7. deixar a luz acesa a noite, caso precise se levantar;
8. evitar consumo de bebidas alcóolicas.

Além desses cuidados, a prática de atividades físicas promove a saúde geral da população idosa. Existem exercícios físicos específicos que auxiliam na manutenção do equilíbrio. Mas antes de começar a praticá-los, é importante procurar orientação de um especialista do movimento, para orientar o paciente e avaliar sua condição física. É muito importante também que o profissional desenvolva um processo de exercícios progressivos com segurança e suporte ao aluno, não colocando o idoso em risco, evitando frustrações.

Equilíbrio e Pilates na terceira idade

Alunos da Tc Pilates

As aulas de Pilates são excelentes aliadas para o trabalho de manutenção do equilíbrio no idoso, uma vez que a falta de mobilidade, a alteração do tecido conjuntivo, a perda de massa muscular e a influência das alterações do sistema vestibular resultam numa diminuição da flexibilidade e da mobilidade articular, no comprometimento da marcha, da postura e da propriocepção.

O Pilates trabalha a partir de 6 princípios básicos e fundamentais, que são: concentração, controle, precisão, centro, respiração e fluidez de movimento. Através desse conceito e fundamentos, e avaliando as perdas fisiológicas e sensoriais da população idosa, podemos executar um trabalho, incluindo exercícios de respiração, de estímulos proprioceptivos, mobilidade articular, força de power house e hidratação da fáscia. O trabalho acontece através de liberações, alongamentos e balanceios, exercícios que estimulem o apoio bipodal e unipodal (controle, precisão e concentração) e a força muscular geral.

Exemplos de trabalhos que ajudam na manutenção do equilíbrio

Mudar a base de suporte e mudanças de direção- caminhar com um pé em frente ao outro, com um pé num plataforma e outro no chão, explorar bordas externas e internas dos pés, pontas e calcanhares, apoios unipodais (com segurança), deslocamentos em todas as direções.

Mudar a superfície – ficar em pé num travesseiro, num colchonete, aparelhos específicos como discos de instabilidade (com ajuda se necessário).

Trabalhar a propriocepção e estímulos sensoriais – usar bolinhas e bastões para exercícios proprioceptivos, principalmente estimulando a sola dos pés e distribuição de peso, estimular os sentidos e o olhar além da visão periférica.

Trabalho de força muscular geral – exercícios gerais de fortalecimento de membros inferiores e superiores, como subir e descer de caixas ou escadas, footworks bipodais e unipodais, Reformer, Chair ou Reformer-torre, scooter no Reformer, plataformas de salto com exercícios e intensidades adaptadas entre outros.

Trabalho de fortalecimento de power house e movimentos rotacionais – um dos aparelhos das fotos é o balance, uma trave de equilíbrio utilizada no Pilates contemporâneo. Ao mesmo tempo que gera uma instabilidade, pois é feito de uma espuma macia mas extremamente densa, tem a altura de um pequeno degrau, tornando o trabalho seguro e trazendo inúmeras possibilidades de exercícios.

Estes são alguns exemplos de como podemos trabalhar melhorando o equilíbrio da população idosa, favorecendo uma melhor qualidade de vida pra essa população.

Karin Forti

Formada em Educação Física licenciatura e bacharelado – UNIMEP (Universidade Metodista de Piracicaba)
Pós-graduada em fisiologia do exercício pela UNIFESP (universidade Paulista de Medicina)
Doctor em Shiatsu pela Toyo Seitai Gakuin – Nagano – JAPÃO
Trainer Fascial Fitness – Fascial Fitness Brasil
Formada em pilates básico e intermediário pelo método STOTT
Formação completa em piltates 450h pela TCPilates
Formada em treinamento funcional pelo core 360
Treino e suas ferramentas – Ale Burani, Rebook, SP.

PUBLICIDADE