Dor no joelho no ambiente do Pilates

Dor no joelho? Se você pensa que dor no joelho é só para quem “está ficando velho”, está muito enganado. Isso porque 69% dos brasileiros sofrem ou já sofreram alguma disfunção relacionada ao joelho, com presença de dor, que pode aparecer por vários motivos. Além disso, cerca de 55% das lesões esportivas estão relacionadas com o joelho.

O joelho faz parte do sistema musculoesquelético e é considerado a maior articulação do corpo. Ele é formado por cartilagens e ligamentos, além de quatro ossos: fêmur, tíbia, fíbula e patela. Em se tratando de biomecânica, o joelho faz flexão, extensão e rotação, ressaltando que alguns desses músculos trabalham junto com a articulação do quadril e estão diretamente correlacionados. Portanto, qualquer desequilíbrio biomecânico na musculatura do quadril ou pisada incorreta afeta diretamente a articulação do joelho.

Os músculos do joelho

Primeiramente, é importante saber que temos cinco músculos monoarticulares que atuam somente na articulação do joelho: três vastos, o poplíteo e a cabeça curta do bíceps da coxa. Os outros músculos cruzam o quadril e o joelho, incluindo o trato iliotibial do tensor da fáscia lata, ou cruzam o joelho e tornozelo. Seria uma flexão de joelho associada a extensão do quadril.

Essa biomecânica também pode estar alterada devido a presença de algum tipo de lesão, como:
– Ruptura de menisco ou ligamentos;
– Desgastes, como condromalácia; ou
– Doenças como artroses, etc.

PUBLICIDADE
Outubro Rosa MetaLife 2020
Outubro Rosa MetaLife 2020

Então, a dor aparece. Sobretudo, de roma muito intensa na maioria das vezes.

Tipos de dores no joelho

As dores no joelho geralmente podem ser de dois tipos: traumáticas ou degenerativas. As doenças autoimunes também contribuem para o índice relacionado a dor no joelho. Além dessas situações, o desgaste por uso excessivo, sedentarismo, calçados inadequados, desequilíbrios posturais, desalinhamento dos joelhos, como valgo, da patela, sobrepeso, desequilíbrios musculares por encurtamento dos músculos que envolvem o joelho e quadril e instabilidade do quadril, entram para a lista das possíveis causas dessa dor. Embora a dor seja o principal sinal, ela pode vir acompanhada de edema, calor, perda de mobilidade e estalos ou rangidos. Desta forma, tornando-se bastante incômoda.

Se o seu ambiente de trabalho é dentro de um estúdio de Pilates, então o primeiro passo é saber identificar a história da dor e, se possível, chegar a um diagnóstico da lesão ou patologia, pois as estratégias de trabalho variam de acordo com a investigação.

Vamos falar das patologias mais comuns que adentram o ambiente Pilates, que são condromalácia patelar e lesão de menisco, e suas estratégias de trabalho.

Lesão de joelho – Condromalácia Patelar

Neste parágrafo, vamos entender o que é condromalácia patelar. Em suma, é um amolecimento da cartilagem do osso denominado patela. Durante o movimento de flexão e extensão do joelho, a patela desliza sobre uma espécie de trilho ou calha óssea do fêmur, que chamamos de tróclea. A medida que a articulação se move, a cartilagem ajuda a amortecer os ossos e permite que deslizem suavemente um contra o outro. Consequentemente, a cartilagem da patela é muito solicitada em movimentos como subir e descer escadas e agachar. Desta forma, é essencial.

A condromalácia está ligada ao gesto motor de desacelerar. Quando descemos as escadas, por exemplo, solicitamos o que chamamos de contração muscular excêntrica, realizada pelo músculo anterior da coxa (quadríceps). Quando ele está fraco, faz a cartilagem receber a maior carga, ou seja: todo o impacto do movimento, amolecendo e fragmentando-se.

Essa patologia é considerada a principal queixa de dor crônica anterior do joelho, conhecida também como síndrome patelo-femoral, acometendo de 70% a 80% da população mundial.

Classificações

Existem quatro níveis de classificação quanto o desgaste. Isso porque a cartilagem vai perdendo sua capacidade de absorver as forças as quais é submetida, levando a sobrecarga do osso logo abaixo, chamado de subcondral, o que causa dor, crepitação e inflamação local.

Geralmente a dor piora ao subir e descer escadas, além de agachar, e acomete 25% das mulheres principalmente.

As causas mais comuns são o envelhecimento, alterações anatômicas, como patela alta, esportes, sedentarismo, frouxidão ligamentar e pés planos. Mas também lesões prévias, encurtamento dos ísquios e tríceps surral, além da instabilidade do quadril.

Estratégias de trabalho no Pilates

Como contra-indicação devemos evitar flexões acima de 90º ou extensões completas de joelho.

Já as indicações são fortalecimento do quadríceps, mas principalmente do músculo vasto medial, reequilíbrio da musculatura do quadril, com maior atenção ao glúteo médio, alinhamento e equilíbrio postural, correção da pisada e descarga de peso, exercícios que alongam a cadeia posterior, principalmente os isquiotibiais.

Exemplos de exercícios do repertório Pilates:

Footwork
Side kick
Tower
Tower variação

Menisco

Os meniscos são estruturas semicirculares de fibrocartilagem, que estão localizadas no centro do joelho. Desta forma, atuando como amortecedores de impacto, lubrificantes, estabilizadores e também como distribuidores das cargas que passam dentro da articulação. Eles são essenciais. Isso porque melhoram o encaixe entre o fêmur e a tíbia e são fundamentais para manter a biomecânica normal da articulação do joelho.

Cada joelho tem dois meniscos, um do lado interno (medial) e outro do lado externo (lateral). O menisco lateral é mais móvel, já o menisco medial está mais fixo na superfície da tíbia e, sendo menos móvel, está mais propenso à lesão.

A lesão ocorre quando essas fibrocartilagens se rompem total ou parcialmente e as causas podem ser várias. Como exemplo, podemos citar:
– Processos degenerativos, que geralmente acometem pessoas acima de 40 anos;
– Processos traumáticos, associados ao movimento de rotação do joelho, o que atinge um público mais jovem e ativo durante alguma prática esportiva. Contudo pode acontecer em qualquer idade.

Os sintomas, em ambos os casos, são dor e edema local, além de perda de mobilidade.

O Pilates no tratamento do menisco

Aqui a contra- indicação é evitar extensões e flexões completas de joelho.

Primeiramente, os exercícios mais indicados são os que trabalham a resistência, o fortalecimento da musculatura estabilizadora do quadril, principalmente glúteo médio, e a musculatura estabilizadora do joelho; além de alongamento da cadeia posterior, como os isquiotibiais, glúteos, TFL e a propriocepção.

Exercícios do repertório Pilates:

Pelvic lift
Side kick
Front splits
Side splits
 Variação de Side splits 
 2º variação de Side splits 
3º variação de Side splits 
joelho
Scooter

Manuella Bortolo
Fisioterapeuta
CREFITO 36724- F
Instagram: @manuellabortolo
studio_equilibrio
Formações em pilates e fascia em movimento
#projetoemsintoniacomamanu

PUBLICIDADE
Outubro Rosa MetaLife 2020
Outubro Rosa MetaLife 2020