Crossfit x Pilates: a importância da concentração

Você conhece os princípios do Pilates e sabe o que isso tem a ver com o Crossfit? Saiba mais aqui: Matéria 1: Yin e Yang. Matéria 2: centralização.

Hoje vamos falar de concentração. As múltiplas acepções da palavra concentração permitem-nos, para efeito deste artigo, fazer uma livre abstração de seu significado 

CONC-ENTRA-AÇÃO, consciência entrando em ação; ato de tornar-se consciente; ou estar no momento presente. 

Em geral, as tarefas cotidianas tendem a ser efetuadas de forma robótica, executadas inconscientemente e com movimentos automáticos 

Nas práticas de atividades físicas não é diferente. Na academia, sentado na cadeira extensora, por exemplo, a mente do praticante divaga na busca de solucionar todos os problemas, sejam eles domésticos, profissionais ou até sentimentais. Alguns abandonam o corpo enquanto digitam nos aparelhos celulares, tentando à distância solução de pendências; outros, absortos em distrações diversas, vão preenchendo o tempo de seu treinoA mente se esquece da tarefa principal de exercitar o corpo, para a qual foram destinadas aquelas horas do dia.  

PUBLICIDADE
Linha WAVE 2.0 - Estúdio completo + Curso Desvendando a Flexibilidade + Mentoria MetaLife 2021
Five e Mentoria MetaLife 2021 o seu próximo passo
Linha WAVE 2.0 - Estúdio completo + Curso Desvendando a Flexibilidade + Mentoria MetaLife 2021

Dissociados, corpo e mente não permanecem presentes no mesmo momentoou provocando grandes prejuízos ao objetivo final do treinamento físicodistanciamento do cérebro do resto do corpo marca a falta de concentração do praticante e, ademais de outras consequências, atrapalha a contagem das repetições, a percepção da amplitude do movimento executado e as sensações das contrações musculares. Enfim, lá se foi o resultado efetivo de todo o esforço dispensado. 

Uma reflexão sobre esse padrão de comportamento nas academias leva-nos aos seguintes questionamentos: seria essa a melhor forma de se exercitar? Estamos desenvolvendo a capacidade máxima de nosso corpo? Teria essa prática alguma relação com as lesões?  

Com certeza, nos diferenciamos de outros seres vivos pela capacidade de executar diversas tarefas com objetivos e exigências distintas. A questão aqui é percebermos que a execução de um movimento corporal já é, por si só, uma tarefa complexa, a qual exige de diversos sistemas e estruturas do corpo humano. Ou seja, a atividade física engloba uma variedade de comandos cerebrais e respostas motoras que precisam estar integrados e íntegros para garantir uma boa prática física.   

Desde o primeiro artigo dessa série, cuja principal pergunta foi Crossfit é lesivo?, temos reafirmado o método Pilatescomo grande aliado ao Crossfit, nque se refere a prevenção de lesõesDentre os seis princípios básicos do método, está o da CONCENTRAÇÃO, sobre o qual abordaremos agora com o intuito de responder os questionamentos acima. 

Praticante de crossfit se concentrando para a execução do movimento.

Importância da concentração 

Para Joseph Pilates, a concentração proporciona a conexão da mente com as sensações físicas, despertando consciência às partes a serem trabalhadas e integrando o corpo em uma só unidade. Essa consciência corporal possibilita o controle e a execução dos exercícios com mais eficiência muscular, articular e postural, dentro do limite saudável de cada indivíduoA esse estado pode-se chamar de individualidade consciente.   

Pilates e Crossfit são similares quando pensamos na complexidade dos movimentos. Ambos exigem a harmonização de todo o corpo para a execução dos exercícios propostos. No Pilates, a associação do trabalho de força, postura e flexibilidade conecta o corpo e mente em busca da eficiência dos movimentos, de forma que ocorre um trabalho ‘antagônico’ do corpo. Enquanto um grupo muscular executa contração efetiva, outro grupo muscular deve ser exigido em alongamento, simultaneamente. Para que isso se torne possível, é necessário que o praticante esteja consciente (concentrado), percebendo onde deve exigir tensão e onde deve exigir um estiramento. Assim, o corpo aprende e se adapta, modificando as alterações posturais e padrões errados de movimento.     

Quando esse raciocínio é levado para um treino do Crossfit, onde existe a mescla dos movimentos aeróbicos e de levantamento de pesoé necessário trabalhar esse princípio. Por exemplo, em um WOD (work out of the day), se a mente se preocupa em apenas completar a quantidade de repetições exigidas ou com o cronômetro, sem dar a devida atenção para o que de fato o exercício requer, o trabalho corporal será diminuído e a eficiência das execuções será reduzida. Consequentemente, aumenta o risco de lesões. 

Quando estamos alertas para as sensações no corpo, somos capazes de perceber os momentos de fadiga ou a perda da qualidade da postura do exercício. Como isso acontece? 

Nossos músculos, articulações, ligamentos, e até mesmo as vísceras (como o diafragma), recebem e transmitem para o sistema nervoso as informações sobre localização, angulação e grau de tensãofavorecendo a regulação de todo o sistema postural do indivíduo. Em especial, os músculos possuem estruturas neurais que trabalham de forma consciente e também inconscientequer dizer, independente de nosso comando. 

Quando permanecemos concentrados, as duas vias de informações nervosas nos permitem ajustes finos nos exercícios, protegendo as articulações de rompantes ou amplitudes que podem ser lesivos. O que nos diz que muitos dos desconfortos que sentimos ao longo do dia, poderiam ser evitados e tratados previamente se tivermos a consciência mais apurada para os feedbacks que o cérebro recebe do aparelho locomotor.   

Por exemplo, o crossfiter praticante de backsquat que aprimorar a conexão entre a mente e o corpo e desenvolve consciência corporal, pode estabelecer um divisor de águas nas suas dores no joelho, uma vez que a sensibilidade mais aguçada lhe possibilitará perceber uma descarga de peso diferente entre os pés e/ou entre os quadris, ou até em qual fase do movimento a dor aparece, evitando assim, imediatamente, a sobrecarga em um dos joelhos e consequente lesão. 

Praticante de crossfit executando back squat


Da mesma forma pode acontecer ao se realizar um HSPU (hand stand ush up), onde o desconforto no ombro, ou até mesmo na cervical, pode acontecer durante ou após o treino. A consciência corporal possibilita a percepção inicial de dor, informando se existe um lado mais forte que o outro ou falta de ativação muscular escapular para se estabilizar o corpo, causando a compressão do pescoço. 

Praticante de crossfit executando o HSPH

Benefícios da concentração 

Por ser a provedora da consciência corporal, a concentração colabora para a prevenção de lesões; potencializa o trabalho muscular, pois a informação consciente é capaz de ativar mais fibras musculares, garantindo contrações musculares efetivas voltadas para a musculatura alvo, equilibrando o esforço com o grupo oposto que controla e estabiliza a articulação. 

Essa percepção entre os agonistas (músculos principais exigidos) e os antagonistas (músculos que desempenham a função oposta) é amplamente trabalhada no Pilates, o qual exige constante manutenção do tônus postural na variação dos exercícios, que devem ser realizados de forma consciente, como se a mente, em constante raio-x do trabalho corporal global, excluísse posturas compensatórias. 

Como último exemplo, observamos no Single Straight Leg Stretch, a força do abdômen que deve ser mantida juntamente com o alongamento das pernas, permitindo que a cabeça fique afastada do solo (alongando a cadeia posterior) e as pernas sempre contraídas, controlando a postura dos ombros e aumentando a flexibilidade.  É este tipo de concentração que permite aos crossfiters realizarem movimentos mais rápidos, e com carga, em um treino mais seguro. 

Lisia Lettieri Vidal
Fisioterapeuta
CREFITO 113680-F
@lettieri_saude_integrativa

PUBLICIDADE
Estúdio Infinity MetaLife Setembro 2021
Estúdio Infinity MetaLife Setembro 2021
Five e Mentoria MetaLife 2021 o seu próximo passo