Contrologia na corrida

A corrida vem ganhando cada vez mais espaço no cenário cotidiano. Pessoas de todas as idades e gêneros, seja ao ar livre ou na esteira, aderem a esta prática esportiva por ser absolutamente acessível e de fácil iniciação. Além disso, ela estimula o desafio pessoal, traz resultados rápidos e um novo estilo de vida.

Correr traz inúmeros benefícios fisiológicos e comportamentais à saúde de seus praticantes, como a melhora do condicionamento físico, regulação do metabolismodiminuição da gordura corporal, controle da ansiedade, liberação de substâncias controladoras do humor e pressão arterial, além de atuar como atividade terapêutica para diminuição do stress, depressão e ansiedade.

E, pensando nessa população de corredores que não para de crescer, o Pilates pode contribuir paralelamente, a fim de fortalecer, prevenindo lesões e melhorando  a dinâmica corporal durante o movimento.

Se observarmos os movimentos articulares de um corredor, logo identificamos as articulações mais exigidas durante o esforço. E, a partir deste ponto, o Pilates entra com um proposta específica, com o objetivo de otimizar os movimentos, fortalecer as musculaturas, melhorar a distribuição das descargas de peso e o alinhamento corporal, economizar energia e tornar a atividade ainda mais prazerosa e com mais qualidade!

Um corpo que corre precisa de força e resistência em membros inferiores, mobilidade de quadril, joelhos e tornozelos, centro de gravidade consciente e automatizado, fortalecimento de membros superiores, a fim de contribuir para o balanço natural do tronco e postura ereta.

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

Uma corrida de boa qualidade tem movimentos sincronizados e harmoniosos, corpo alinhado e uma passada ritmada e silenciosa!

1.Desenvolvendo o centro de gravidade

Não basta apenas fortalecer o CORE se não houver ativação do centro de gravidade durante a corrida. O centro de gravidade é um ponto imaginário que se concentra no centro do corpo, na região abdominal, dependendo da estatura e forma deste corpo.

Um corpo que corre sem consciência, apenas transfere peso corporal entre as passadas, aumentando o impacto em todas as articulações e fazendo barulho contra o solo. Para ativar o centro de gravidade, imagine o seu corpo flutuando durante a corrida e deixando que os pés toquem o solo de maneira silenciosa e suave.

Exercícios: ABS Infra Chair 

Prancha Reformer + dissociações

Variações adicionais

Pull Up Chair

  1. Propulsão e mobilidade de joelhos e tornozelos:

Nessa fase do movimento a maior ativação muscular é no glúteo, e a maior exigência articular do joelho.

Foward Lunge Chair + dissociação dos MMSS

Variações

3.Mobilidade de quadril e controle do CORE:

Liberação dos movimentos articulares do quadril em extensão e flexão mais a ativação do centro de gravidade em equilíbrio.

Splits frontais no Reformer e variações

Arabesque modificado

Ponte e variações na Chair

  1. Dores cervicais, lombares e no ombro:

Melhorar a sustentação da cabeça, fortalecendo o trapézio e deltóide, evitando a fadiga de ombro e cervical durante a corrida, muito comum nas de maiores distâncias. Fortalecer a musculatura do serrátil, melhorando a expansão da caixa respiratória e a postura.

Reformer cordas crucifixo invertido

Rotação do tronco

Swimming Chairmais dissociações no pedal 

Marge Aleprandi, Educadora Física e instrutora da Equipe TcPILATES,
e Ge Gurak, também instrutora da TcPILATES