Pesquisar
Close this search box.

+80K

+390K

Pesquisar
Close this search box.

+80K

+390K

Como o Método Pilates pode intervir na dor ciática

Por Faila S. Adachi

A dor ciática, ciatalgia ou dor no nervo ciático é aquela dor que começa nas costas, mais especificamente na região da coluna lombar. Considera-se uma síndrome de dor aguda que se irradia da região lombar para as nádegas, desce para a coxa, panturrilha, dorso e sola do pé. Em alguns casos, irradia-se para um dos membros inferiores e pode acontecer de irradiar para ambos os lados. Pode ser decorrente de uma hérnia de disco ou não, sugere-se um comprometimento de uma raiz nervosa.  

O que é o nervo ciático 

É um nervo grande que tem origem na coluna, mais especificamente nas vértebras lombares e sacro, e se estende até o pé. Ele se divide em dois e passa bem no meio de cada um dos glúteos e na parte posterior das coxas, nos joelhos ele se ramifica em dois nervos que se estendem até os pés: o tibial e o fibular. 

Qual a incidência 

 

 Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 80% da população já teve ou terá algum tipo de dor na coluna. Portanto é um incômodo muito frequente entre as pessoas, infelizmente muitos já passaram ou ainda passam por essa experiência. Afeta principalmente as pessoas que permanecem muito tempo na mesma posição, seja muito sentada ou em pé. Pode ser confundida com a síndrome do piriforme, que gera uma dor semelhante que se estende ao longo do nervo ciático gerando um incômodo na região glútea, já que o músculo piriforme começa a comprimir o nervo ciático, gerando uma inflamação na região. 

Muitas vezes a falta de conhecimento faz com que as pessoas fiquem sofrendo com esse problema por anos, fazendo uso de muitos medicamentos para dar uma aliviada nas dores e, devido à falta de tratamento adequado em alguns casos, o quadro pode acabar evoluindo de forma negativa, se agravando e adquirindo outras patologias, se tornando até mesmo cirúrgico. 

O que pode causar 

 

Ficar muito tempo na mesma posição; 

Falta de atividade física (sedentarismo); 

Encurtamento da musculatura posterior da coxa; 

Hérnia de disco; 

Obesidade; 

Má postura; 

Fraqueza muscular; 

Excesso de esforço; 

Fatores genéticos; 

Tumores.

Como podemos prevenir 

 

A prevenção pode começar de uma forma bem simples, para quem trabalha ou estuda e passa muito tempo sentado, o ideal é que a pessoa se levante a cada uma hora e dê uma esticada no corpo. Isso auxilia na descompressão das vértebras, para quem fica muito tempo em pé, o ideal é que a pessoa distribua bem o peso do corpo em ambos os pés, faça pequenas caminhadas, dar uma mexida no corpo também é um ótimo exercício. O essencial é não ficar horas numa mesma posição. 

Evitar pegar tanto peso e se caso houver a necessidade devemos agachar da forma correta 

Realizar atividades físicas é uma ótima alternativa, dentre eles os alongamentos e o Método Pilates que é um excelente aliado no tratamento da dor ciática. 

O Método Pilates  

 

Entretanto, temos uma excelente notícia, podemos usufruir do Método Pilates, que foi desenvolvido por Joseph H. Pilates, e pode ser de grande valia para tratar inúmeras patologias, dentre elas a dor ciática, uma dor que tem necessidade de descompressão do nervo ciático. 

Podemos intervir nesse quadro utilizando inúmeros exercícios que auxiliam no ganho de espaço entre as vértebras, ganho de mobilidade, alongamento e fortalecimento da musculatura posterior da coxa, glúteos, isquiotibiais, gastrocnêmicos (musculatura da panturrilha) e os músculos do dorso e planta dos pés. Vendo estas como uma necessidade para o tratamento dessa dor. 

O Método Pilates foi criado com intuito de tratar e reabilitar soldados feridos durante a primeira Guerra Mundial. Desde então vem se difundindo cada vez mais e sendo usufruído por inúmeras pessoas, auxiliando nos tratamentos e obtendo um resultado extremamente positivo e mudando a vida de muita gente. 

Existem vários estudos que comprovam que o método Pilates é eficaz e traz benefícios, tais como fortalecimento progressivo da musculatura, ganho de mobilidade, flexibilidade e melhora na postura. Em nossas aulas buscamos o alinhamento e simetria corporal e fortalecimento dos músculos estabilizadores da coluna. 

Na próxima matéria, da fisioterapeuta Faila Adachi, da Dura Mater Clínica de Fisioterapia, mostraremos os exercícios que podem contribuir para a melhora dessa inflamação.

Compartilhar:

Redes Sociais

Mais Populares

Receba as últimas atualizações

Seja dono do seu estúdio

Categorias

Destaques do mês

BAIXE NOSSOS E-BOOKS gratuitamente

Sobre Nós
Um canal digital que fornece informações para a comunidade do Pilates, incluindo praticantes, instrutores, profissionais da saúde, profissionais de educação física, fisioterapeutas e estudantes.

FALE CONOSCO

Preencha o formulário abaixo, e em breve entraremos em contato!