Atrofia Muscular Espinhal e Pilates

Depois de ler a reportagem sobre Pilates para pessoas com deficiência, Carine Rodrigues, 34 anos, resolveu contar a história da sua aluna especial, Millena Aparecida Oliveira, 11 anos, aqui na Revista Pilates. Carine é Fisioterapeuta e trabalha há três anos e meio com Pilates e, há aproximadamente dois anos e meio, ela recebeu o desafio de iniciar um trabalho que até então não sabia se teria sucesso.

‘’Conheci uma menina, linda por sinal, portadora de Atrofia Muscular Espinhal, com tipo não especificado, pois, com nove anos, já usava cadeira de rodas. Sua mãe, extremamente dedicada, disse que não havia encontrado abertura em outros estúdios para atender a filha.

Então, comecei a trabalhar com a Millena duas vezes por semana através de alongamentos, fortalecimento, trabalho respiratório, coordenação, tudo evoluindo muito lentamente devido ao grau de força reduzido, escoliose, encurtamentos musculares e deformidades dela.

Millena também fazia um acompanhamento pela AACD de Uberlândia e depois de um tempo de tratamento, aproximadamente um ano, os médicos se surpreenderam com sua melhora respiratória. E então foi recomendado que ela passasse a fazer aulas de Pilates três vezes por semana. A cada dia que passa vejo ela evoluindo mais… Conseguindo fazer maior número de exercícios e com mais facilidade. Hoje ela é uma paixão minha! Além de ser especial no aspecto físico é muito especial como pessoa, encanta a todos por aqui!

Ela também é muito cooperativa e isso tem sido importante. Na maioria das vezes indica-se o Pilates a partir dos 12 anos, pela dificuldade dos pequenos em entender o método. Mas, no caso da Millena, ela se comporta quase como adulta. Claro que eu respeito as dificuldades dela, deixo ela descansar por mais tempo, deixo ela conversar quando ela quer. Tudo isso faz diferença na aula.

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

Inicialmente, ela não realizava todos os exercícios que passo para ela hoje em dia, e muitos eram feitos com mais dificuldade, sem muito controle do movimento devido ao déficit de força ou alongamento…

Algumas adaptações que faço para ela: altura mais baixa da fixação das molas e barras, quando necessário; uso de caixa para sentar quando sentir necessidade durante exercício em que fique em posição ortostática; a variação da tensão das molas é maior em relação a outros alunos. Pois, quando a mola está ajudando a realizar o exercício, a tensão aumenta muito ou diminui muito quando a mola está dificultando o exercício. Mas, há uma contínua mudança com a evolução dela’’.

O que melhorou para Millena após o início da prática de Pilates

Mais independência para se vestir;  Ir ao banheiro sozinha (inclusive na escola, onde precisava de acompanhante); Fazer transferências: deitada para sentada, do chão para a cadeira de rodas (sentando na mesma sozinha), de sentada para de pé sem apoio; Mais agilidade: consequência do aumento da força, alongamento, equilíbrio; Melhora da postura e controle da escoliose; Melhora do funcionamento do sistema respiratório: Ausência de novas ocorrências de pneumonia, e diminuição de gripes após o início do Pilates; Aumento da flexibilidade em decorrência dos alongamentos que o Pilates proporciona, evitando deformidades; Diminuição das dores de coluna, câimbras nas pernas, e muito mais.

Alguns exercícios que a Millena costuma fazer

Nos aparelhos

Leg Series Supine, Círculos das pernas, Tesoura, Bicicleta, Breathing, Footwork, Bridge, The hundred, Side body twist, Leg Lowers, Leg Circles, Leg Extension, Hawstring Stretch.

Sit Up (Subir até sentar): Necessita de mola na parte de cima da barra para ajudá-la. Começou usando duas molas fortes, depois uma forte e uma fraca, evoluiu para duas fracas. Atualmente usa uma fraca e outra mais longa e mais fraca.

Up lateral D: Exercício para fortalecer o lado direito da coluna e alongamento do lado esquerdo, evitando a progressão da escoliose.

No solo

Faixa elástica: alongamento de ísquio-tibiais, fortalecimento e alongamento de tríceps surais, sentar e deitar com o apoio da faixa;

Anel tonificador adaptado: alongamento de ísquio-tibiais, fortalecimento de adutores de quadril, fortalecimento de MMSS;

Bolas: diversos alongamentos, exercícios de equilíbrio, pontes;

Rolo: Sobre o rolo deitar e levantar uma perna, ponte com os pés sobre o rolo.

Tem uma história de superação com Pilates e quer compartilhar com a gente? Envie um e-mail para contato@revistapilates.com.br. Quem sabe sua história é publicada?

5 COMENTÁRIOS

  1. Sou tia do coração de Rebeca, AME 3, ela deixou de andar aos 4 anos de idade, fez cirurgia da coluna há quase 3 anos, será que há alguma possibilidade dela fazer essa atividade? Hoje ela tem muitas limitações, não consegue levantar um dos braços, e outras mais… Deus abençoe a vida de Carine e de Milena, sucesso para o tratamento!

  2. Nossa maior riquesa, tenho orgulho de ser vó da Millena, parabéns a Millena, e também sem a boa vontade da Carine seria impossivel. Parabens sa duas.Bjos.