Aplicando as qualidades da Fáscia na prática

Agora que vocês já sabem o que é fáscia e quais são suas qualidades a serem estimuladas, que tal pensar em como aplicar tudo isso no dia a dia por meio do método Pilates?

O Pilates é incrível e possivelmente você já faz estímulos na fáscia de forma inconsciente.  Então vamos compreender o raciocínio desse universo fascinante e colocar a intenção ideal para complementar suas aulas!

A fáscia é a nossa rede fluída, responsável pela hidratação dos tecidos, ela precisa de água para manter-se sadia (hidratada).  Gosto de exemplificar o tecido fascial como um macacão inteiriço sem começo, meio ou fim, e que tem fibras em várias direções. Para manter a elasticidade e mobilidade deste macacão os movimentos multi-direcionais são bem-vindos!

Hoje, vamos pensar em como estimular esse “macacão” no repertório de Mat Pilates baseado nas qualidades da fáscia abordadas na matéria anterior (LEIA AQUI).

Alongamentos variados: Dentro do repertório do método Pilates existem já muitas possibilidades de alongamentos dinâmicos e estáticos, como por exemplo: o spine stretch, memaid, roll up, entre outros. Porém, mesmo sendo uma excelente ferramenta para estimular a hidratação e deslizamento da fáscia, ainda falta um pouco de mudança de direção, isto é, grande parte do repertório fica no plano sagital e como dissemos anteriormente, nossa roupa interna (macacão) precisa ser estimulada em várias direções.

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

Neste caso, podemos fazer pequenas adaptações nos exercícios pensando em diferentes movimentos, onde, além de realizar alongamentos dinâmicos, podemos acrescentar “pulsinhos” (funcionam como um espanador), mudar as direções e no final ficar um pouquinho no alongamento estático.

Veja um exemplo com o exercício Spine Stretch

Outro exercício que já existe no método com este raciocínio é o Saw (Serrote), onde temos 2 planos de movimento, alongamento dinâmico e os queridos pulsinhos.

Refinamento sensorial: A fáscia é considerada o maior órgão sensorial do corpo devido a sua grande quantidade de mecanorreceptores. Isto quer dizer que ela participa diretamente do controle motor.

Movimentos mais sutis, proprioceptivos e interoceptivos são muito bem-vindos para melhorar esta qualidade.  E sabe aquela frase do Joseph: É estar presente, concentrado e não distraído!

Pois bem, ela aqui faz ainda mais sentido, porque o praticante deve tomar consciência de cada estímulo e o que cada um deles causa no seu corpo.

Um conceito citado em praticamente todos os artigos recentes sobre movimento é o Pandiculation, de Fernando Bertolucci.

Pandiculação é o estiramento involuntário dos tecidos moles, que ocorre na maioria das espécies animais e está associado a transições entre comportamentos biológicos cíclicos, especialmente o ritmo sono-vigília (Walusinski, 2006).

De acordo com as experiencias clínicas observadas, argumenta-se que a pandiculação pode preservar o papel integrador do sistema miofascial, desenvolvendo e mantendo interconexões fasciais fisiológicas apropriadas e modulando o estado de pré-estresse do sistema miofascial ativando regularmente a musculatura tônica. (BERTOLUCCI, 2010).

No repertório do Pilates temos o Exercício Cat Stretch que tem essas características, porém sugerimos que o movimento seja menor, um micro movimento, pensando em mover-se internamente, além da variabilidade de direções.

Rebote Elástico:  A fáscia sadia é viscosa e elástica. Para manter-se elástica, sugerimos movimentos que tenham essa ideia de mola, como os pequenos saltitos e os movimentos balísticos (que voltam com sucesso, mas com mais congruência).

Alguns exercícios do Método Pilates já têm esses famosos pulsinhos originalmente, como por exemplo o Roll up, porém algumas escolas contemporâneas os deletaram. Hoje, esses pulsinhos voltam com mais consciência é claro, para melhorar a capacidade elástica do tecido miofascial.

Podemos também colocar essa intenção elástica em outros movimentos e ainda sim vamos manter a essência do Método Pilates e treinar a fáscia simultaneamente.

Vejamos o exemplo da Mermaid / Sereia, onde inserimos o componente elástico nas mãos, para retornar da flexão lateral;

Experimente essas possibilidades e perceba como seu corpo e de seus clientes respondem a esses estímulos.

Te esperamos na próxima matéria!

Marcela Piston

Educadora Física, idealizadora do PILATES DANCE, treinadora do MOVE FLOW, full certification Stott Pilates, Anatomy Trains in Motion (Anatomy Trains), Slings Myofascial Training (Art of Motion), idealizadora da metodologia da Pilates Institute Internacional.