A arte de Pilatear

Olá, pilateiros! É com muito prazer que iniciaremos a nossa coluna aqui na Revista Pilates! Nosso objetivo é dividir com vocês informações e dicas que contribuam para as aulas, pois Pilates significa qualidade e os detalhes nunca são demais, pelo contrário, eles fazem toda a diferença.

A cada comando novo que aprendemos conseguimos aprimorar ainda mais os exercícios, mesmo aqueles que já estamos cansados de praticar. Na arte de pilatear, tenha certeza que sempre é possível melhorar e “maltratar” ainda mais os músculos. Joseph fez seu método com séries fixas, onde o aluno repetia os mesmos exercícios até chegar à perfeição e, então, poder evoluir, portanto, não é preciso tantos malabarismos, só é preciso seguir os ensinamentos dele. Esperamos que gostem!

Em uma época em que todos os tipos de informações são facilmente difundidos e acessados pela internet, onde postamos fotos buscando curtidas, compartilhamentos e seguidores, devemos ter cuidado para não confundir o mundo virtual com o mundo real. Propaganda é a alma do negócio? Em parte sim. Sempre que os estúdios e cursos de Pilates fazem o seu marketing, usam fotos de exercícios avançados, aéreos no Cadillac e poses em alongamentos complexos com o intuito de chamar a atenção. E sim, essas belas fotos chamam a atenção. Porém, não é esta a realidade de uma aula de Pilates de verdade.

O sábio criador do método, Joseph Pilates, passava o seguinte ensinamento aos instrutores: “Estude cuidadosamente. Não sacrifique o conhecimento para acelerar a construção das rotinas de exercício”. E dizia também aos praticantes: “Siga as instruções exatamente como são indicadas. EXISTE uma razão”.

E escreveu assim mesmo em seu livro, com letras maiúsculas, tamanha a importância que ele dava à qualidade dos exercícios. Um aluno iniciante, por mais que já pratique outras atividades, deve ter calma e, em primeiro lugar, precisa aprender os princípios do Pilates. Ele deve se acostumar a ouvir o seu instrutor repetir incansavelmente termos aparentemente estranhos como: feche as costelas (sim, elas fecham, elas abrem, elas se mexem!), contraia o períneo como se quisesse prender a urina (e às vezes vamos além, pedindo para imaginar que quer fazer a urina subir até sair pelo topo da cabeça), cresça a coluna, mantenha os ombros longe das orelhas, sente sobre os ossinhos do bumbum, aponte o cóccix para o calcanhar, empurre o ossinho do bumbum direito em direção ao calcanhar esquerdo…

PUBLICIDADE
Estúdio + Mentoria MetaLife a Chave do Sucesso
Estúdio + Mentoria MetaLife a Chave do Sucesso
Estúdio + Mentoria MetaLife a Chave do Sucesso
Estúdio + Mentoria MetaLife a Chave do Sucesso

Já aconteceu de clientes de aulas experimentais não se matricularem porque acharam chato ter que aprender a respirar e a alinhar o corpo em vez de fazer cambalhotas em sua primeira aula? Sim, algumas vezes. Mas em compensação, aqueles que decidiram ficar, estavam cientes sobre a filosofia do método e, desta forma, aproveitam ao máximo o que o Pilates pode oferecer, que vai muito além de braços definidos e glúteos durinhos.

Em primeiro lugar, queremos fazer bem ao nosso corpo, os ganhos estéticos são uma agradável consequência, que vem muito mais rápido quando o exercício é executado de forma perfeita. Infelizmente, muitas pessoas tem um pensamento bem errado e acham que cambalhotas mal executadas levam a ganhos estéticos mais rápidos, mas ao contrário, elas apenas causam problemas em suas articulações e mais nada.

Joseph dizia: “Concentre-se no movimento correto CADA VEZ QUE VOCÊ SE EXERCITAR, para que não o faça de forma inadequada perdendo, assim, todo o valor de seus benefícios”. Portanto, se você pratica Pilates e não é instruído a alinhar o seu corpo, controlar os seus movimentos na ida e na volta do exercício, crescer a coluna, posicionar corretamente os seus ombros e, claro, contrair o seu abdome, mesmo que esteja se exercitando no Reformer, Cadillac, Cadeira, Barril ou qualquer aparelho e acessório dentro de um estúdio, temos uma má notícia, você está fazendo qualquer exercício, menos Pilates.

Monique Ayala
Fisioterapeuta e Instrutora de Pilates.
Crefito-2 69066-F

Hellen Morita
Fisioterapeuta e Instrutora de Pilates.
Crefito-2 76136-F

Ambas são co-criadoras do Espaço Fluir.

PUBLICIDADE

4 COMENTÁRIOS

  1. Faço pilates em Portugal ,gosto muito ,tenho problemas na cervical e por vezes tenho dores Como se chama o aparelho que está sobre o cadeirão

  2. É tão engraçado… eu pensei que fosse só a minha instrutora que “chateasse” o tempo todo dizendo: “mantenha os ombros longe das orelhas, baixo ventre ativo, cresça a coluna, sente em cima dos ossinhos do bumbum…” Que bom saber que ela está fazendo tudo certo!!! Obrigada, Natalia!!

  3. Sou praticante de Pilates e amo demais!!Sempre valorizo as inspirações e expirações,pois fazendo isso cada dia vamos atingindo nossos objetivos.Aprendi a andar com meu abdome sempre contraido e tbm o meu períneo…minhas posturas sempre bem certinha…devido ao meu cox ser totalmente exposto.Tenho 58 anos e com um corpo e mente bem sadios.Bom dia Pilateiros!!!