11 dicas para melhorar a gestão e conquistar o seu aluno

Por Renatha Cruz (@fisiorenathacruz)

Todo profissional deve estar sempre de olho nas limitações de seus alunos, devem ter sempre em mente que acima de qualquer patologia, está tratando uma pessoa. Por isso, manter um bom relacionamento é imprescindível no Pilates, confira nossas dicas!  

Lembrem-se que “pilates é a completa coordenação entre corpo, mente e espírito” e por isso, não é só sobre movimentar, é muito mais! Tem emoção envolvida! 

Vai mais além do que uma relação puramente profissional, de forma mecânica e engessada. Sua relação com seu aluno deve ser baseada em empatia, humanidade (mesmo parecendo clichê, é real). A questão aqui, é que quando um aluno precisa do pilates, ele procura muito mais que um método ou técnicas, ele procura por pessoas para ajudá-lo a atingir um objetivo ou tirar sua dor. 

Ao ensinar o método pilates, o instrutor vai muito além do que só passar exercícios para seu aluno executar de forma correta, ele tem que atingir as emoções. Conseguir trazer a mente deste paciente para o movimento, para a concentração do método, sem forçar, sem julgar, sem intimidar. Fazendo com que o método se torne uma experiência leve e realmente prazerosa. 

A empatia é algo extremamente valioso para um bom profissional, em absolutamente todas as situações ela deve ser exercida. Até porque, os alunos que procuram o método, muitas vezes sofrem de dor, ou alguma limitação (seja física ou psicológica). O que exige mais do lado humano mesmo do profissional. 

PUBLICIDADE

Seu relacionamento com seus alunos também podem ser influenciados pela sua postura, sua forma de se vestir, se comportar, falar, se expressar. Olho no olho, mostrar pro seu paciente que você está ali para ouvi-lo, entendê-lo e JAMAIS julgá-lo ou discriminá-lo o transforma em um profissional mais próximo, alguém em que as pessoas querem estar por perto. Que transmite segurança, profissionalismo e paz (tudo que uma pessoa com dor, por exemplo, precisa naquele momento). 

Felicidade e satisfação, juntamente com a obtenção de resultados são fatores que devem estar como prioridade em seu atendimento. Fazer seu cliente se sentir bem, acolhido, e respeitado é a base de qualquer relacionamento de sucesso. 

Sendo assim, manter os alunos satisfeitos e animados com seu trabalho e com você, os transformarão em clientes fiéis, defensores e propagadores do seu trabalho e do método, o que por sua vez faz com que eles te indiquem para mais e mais pessoas. 

Não importa o qual excepcional for a qualidade da aula oferecida ao aluno, se seu relacionamento com ele não for bom, você não conseguirá mantê-lo e além de perder clientes, irá perder oportunidades de novos clientes através dele. 

Separei aqui algumas dicas para lhe ajudar a manter um bom relacionamento com seus alunos: 

1- Tente não chegar atrasado  

Claro que imprevistos acontecem, mas que não sejam frequentes. E caso aconteça algum, avise seu paciente. Lembre-se que ele tem outros compromissos além do pilates. 

2- Evite desmarcar aulas 

Uma das queixas que eu mais ouço de pacientes que vieram de outros studios para o meu, é  que o profissional anterior desmarcava muito as aulas. Claro que assim como chegar atrasado, imprevistos acontecem, mas JAMAIS esqueça de avisar seu aluno e principalmente, não faça isso com recorrência. É feio e desrespeitoso com o seu cliente. 

3- Fale a língua do seu aluno 

Nas aulas, você irá se deparar com vários tipos de pessoas das mais variadas classes, diferentes culturas e contextos sociais. Falar termos técnicos ou expressões muito rebuscadas e de difícil compreensão, pode deixar seu aluno intimidado e desconfortável a afastando-o e criando uma barreira de comunicação entre vocês.  

Garanta um diálogo simples, objetivo e que facilite a interação entre vocês. 

4- Esteja acessível ao seu aluno também fora do atendimento 

Não precisa dar seu celular pessoal. Mas faça com que ele tenha acesso a você fora do studio de alguma forma.  

5- Não ignore ou subestime a dor de ninguém. 

 Cada um tem seu limiar de dor, e pode ser que pra você, aquele exercício não cause desconforto, mas pro seu aluno talvez seja extremamente doloroso. Esteja atento e sempre valide as reclamações dele. Não o forçe se ele fala que não está conseguindo ou está doendo, as vezes realmente está. E se insistir em determinado movimento ou carga, além de causar alguma lesão, você estará ignorando os sentimentos deste aluno, deixando-o extremamente frustrado com ele mesmo e às vezes envergonhado com você. 

6- Mostre interesse pela história e pela vida do seu aluno 

Sempre tem alguém que desabafa com você algo que está acontecendo. Algum filho passando mal, ou problema no trabalho. Em momentos oportunos, toque no assunto, pergunte pelo filho, pelo trabalho, pelo cachorro. Mostre que se importa com suas histórias e com sua vida. Mas cuidado para não ser invasivo, se mostre interessado apenas pelo que o seu paciente lhe abrir espaço. 

7- Abra espaços para feedbacks  

Ter humildade em reconhecer erros e acertos é essencial para qualquer relacionamento. Esteja aberto para receber críticas e elogios. Mantenha um canal de comunicação aberto neste sentido com seus clientes. 

8- Cuidado com piadas e comentários inadequados 

Um bom senso de humor cai bem em quase todos os ambientes, até para mantê-lo leve e descontraído. Mas veja bem o perfil de seu aluno, se ele aceita brincadeiras ou se elas não estão sendo invasivas demais. Pondere seu senso de humor, mas também não seja sério demais. As pessoas gostam de rir, faz bem e deixa o ambiente mais aconchegante.  

9- Cuidado com o excesso de toque 

Esteja atento ao perfil de seu aluno. Tem alguns que não gostam que o toquem, ou se incomodam bastante com isso. Utilize um bom comando verbal para diminuir o toque nestes alunos e quando realmente necessário, peça licença ao tocá-lo. 

10- Evite o uso de linguagem negativa 

Frases como: “você está errando”; “não é assim”; “você está fraco”; “é porque você não consegue”; dentre muitas outras, podem frustrar seu aluno e fazê-lo ter a sensação de que nunca vai conseguir. Além de o desmotivar bastante. Essas frases podem ser facilmente substituídas por expressões como: “podemos fazer melhor”; “tente desse jeito”; “assim pode ser melhor, vamos tentar?”; “experimente fazer assim”; “precisamos fortalecer um pouco mais primeiro”; “você vai conseguir”. 

11- Propor exercícios difíceis muito cedo ou exercícios fáceis demais para os mais avançados 

Uma boa avaliação permitirá que você saiba em que nível seu aluno está. Portanto, cuidado com os exercícios difíceis demais para ele, pois além de causar lesões, você pode deixá-lo muito frustrado achando que nunca irá conseguir. Da mesma forma, propor exercícios fáceis demais para os alunos mais avançados, só os deixarão desanimados e desmotivados com a aula. Desafie cada um em suas particularidades e níveis corretos. 

Concluindo, todas essas dicas lhe permitem melhorar seu atendimento com o aluno, construindo uma melhor relação profissional paciente e fazendo seu studio cada vez mais sucesso. 

 

Renatha Cruz 

Renatha Moreira da Cruz Cardozo, fisioterapeuta e pós-graduada em Fisioterapia Hospitalar com Ênfase em Terapia Intensiva Adulto e Neonatal. Atualmente trabalha com Pilates e é criadora do instagram @fisiorenathacruz.

 

PUBLICIDADE
Acessórios MetaLife, o seu estúdio mais completo!
Acessórios MetaLife, o seu estúdio mais completo!