problemas-neurologicos-capa

Conheça os 10 exercícios de Pilates indicados para problemas neurológicos

Os problemas neurológicos são patologias que afetam a vida do ser humano.

Estima-se que 1 bilhão de pessoas no mundo sofram por problemas neurológicos de diversas formas, desde enxaquecas até problemas mais graves como o mal de Parkinson ou Alzheimer.

O que poucas pessoas sabem é que o Pilates é um ótimo Método para ajudar no tratamento dos problemas neurológicos, pois seus exercícios não atuam somente no corpo, mas também na mente auxiliando para um melhor relaxamento e bem-estar.

Desta forma, você irá conhecer agora o que são os problemas neurológicos que podem afetar a saúde do ser humano, o que pode causar essas patologias e como o Pilates ajuda no tratamento.

Além disso, irá conhecer também os 15 exercícios do Método que auxiliam para a melhora destes problemas neurológicos, veja a seguir!

O que são problemas neurológicos

problemas-neurologicos-1

Problemas neurológicos estão relacionados com qualquer patologia que seja adquirida através ne nossos neurônios.

O neurônio, é a unidade estrutural e funcional do sistema nervoso, ele é responsável por receber, processar e enviar informações a todo sistema.

A principal função do neurônio é a condução de impulsos nervosos, sendo assim, entende-se que são células extremamente excitáveis, em função de uma linguagem elétrica, acarretando modificações do potencial do corpo.

Os neurônios também são compostos por nervos que são feixes de fibras nervosas que unem o sistema nervoso central aos órgãos da região da cabeça.

Quando estimuladas em seus receptores, as fibras sensitivas levam informação dos órgãos até uma área específica do sistema nervoso.

Esses receptores podem diferenciar-se em especiais ou gerais sendo os especiais mais específicos e complexos, relacionados à audição, equilíbrio e afins, já os gerais aparecem em maior concentração na pele, que respondem ao contato ou ao seu movimento.

Sendo assim, quando alguns desses neurônios ou fibras deixam de levar as informações corretamente para o cérebro, os problemas neurológicos surgem trazendo diversas patologias  para o indivíduo.

Tipos de problemas neurológicos

problemas-neurologicos-2

Existem diversos tipos de problemas neurológicos que podem acometer a saúde do ser humano. Dentre eles podemos citar:

  • Alzheimer – uma doença degenerativa que afeta principalmente a memória do ser humano causando confusões, irritabilidade e até perdas de movimentos.
  • Cefaleias – são dores de cabeça que podem ser motivadas por diversos motivos diferentes como a enxaqueca por exemplo.
  • Problemas de visão – são problemas que interferem diretamente na visão do ser humano, levando à dificuldade para enxergar normalmente.
  • Acidente vascular cerebral (AVC) – este problema ocorre quando há um entupimento ou o rompimento dos vasos que levam sangue ao cérebro, desta forma provocando a paralisia da área cerebral que foi afetada durante este entupimento.
  • Epilepsia – É uma alteração que ocorre no funcionamento do cérebro. Quando isso acontece, uma parte do cérebro emite sinais incorretos que fazem com que o corpo sinta tremores em certa região.
  • Doença de Parkinson - é uma doença primária sem causa concreta para o seu surgimento. Normalmente ocorre com a degeneração e morte celular dos neurônios produtores de dopamina afetando o sistema nervoso central.
  • Miopatia – são desordens que afetam os tecidos musculares que envolvem o nervo. Quando uma pessoa sofre de Miopatia, ela sente dificuldades para locomover-se, além de sentir fraqueza nos músculos.
  • Déficit de atenção – é uma síndrome que se caracteriza pela distração, agitação, hiperatividade, impulsividade, esquecimento, desorganização, adiamento crônico, entre outras.
  • Neuropatia – É um problema que afeta os nervos e podem ser causados por lesões físicas, infecções e toxinas, dentre outros. Normalmente ocorrem quando surgem danos no sistema nervoso que é o responsável por controlar os nervos fora do cérebro e também da medula espinhal.
  • Transtornos de sono – os transtornos de sono são caracterizados pela insônia, dormir muito ou até mesmo pelo sonambulismo.
  • Autismo – é uma condição que causa desordens complexas do desenvolvimento do cérebro. Esses distúrbios se caracterizam pela dificuldade na comunicação social e comportamentos repetitivos.
  • Esclerose – é quando as células de defesa do corpo atacam o próprio sistema provocando lesões cerebrais.

Pilates no tratamento de problemas neurológico

problemas-neurologicos-3

O Pilates é um Método que atua no corpo e na mente trazendo diversos benefícios para o ser humano.

Quando uma pessoa possui problemas neurológicos e pratica Pilates, ela reeduca seus movimentos auxiliando na melhora das alterações motoras.

Desta forma, o Método atua como uma maneira de garantir condicionamento ao corpo, integrando toda a função do mesmo com a mente.

O ganho de controle muscular, força, equilíbrio e a consciência corporal ampliam a capacidade de manter e melhorar os movimentos. Além disso os exercícios associados com os princípios, possibilita uma maior integração do indivíduo no seu cotidiano.

Por trabalhar todo o corpo, o Pilates procura corrigir a postura e realinhar a musculatura, melhorando a estabilidade corporal.

Sendo assim, ao praticar os exercícios do Método, o indivíduo aumenta a quantidade de movimentos colaborando com a melhora da capacidade de expansão da caixa torácica, facilitando as reações de equilíbrio que, por fim, resultará em melhoras funcionais, facilitando a independência, e melhorando a qualidade de vida.

Além disso, praticando Pilates para o tratamento dos problemas neurológicos, o ser humano garante também um enorme relaxamento do corpo que auxilia para realizar as atividades do cotidiano.

Desta forma, pode-se dizer que o Pilates é um ótimo método para ajudar no tratamento dos problemas neurológicos, colaborando para a reabilitação e bem-estar daqueles que possuem alguma patologia relacionada ao caso.

Exercícios de Pilates para o tratamento de problemas neurológicos

Confira agora os 15 exercícios de Pilates que auxiliam para o tratamento dos problemas neurológicos:

1- Quatro apoios

problemas-neurologicos-4

Em seis apoios (mãos apoiadas no solo alinhadas com ombros, joelhos apoiados no solo e abduzidos na distância dos quadris, pés apoiados no solo e coluna e pelve neutras), inspire antes de iniciar o movimento e em seguida, realize a elevação dos joelhos do solo enquanto expira.

Feito isso, retorne à posição inicial inspirando.

Ao realizar este exercício é importante manter o alinhamento da coluna cervical e cabeça com o restante da coluna e também manter a coluna na neutra.

Além disso, é necessário evitar a retroversão da pelve e a tensão no trapézio para que o movimento seja realizado de forma correta.

Os exercícios trabalhados em 4 apoios são benéficos para pacientes hemiplégicos e atáxicos.

Exercícios com essa característica recrutam grandes grupos musculares como extensores do quadril e ?exores da coluna, além de enfatizar a ativação da musculatura estabilizadora profunda.

2- Extensão com extensão de ombros

problemas-neurologicos-5

Deitado de barriga barra baixo, pelve e coluna neutras, membros superiores no ao lado do corpo, membros inferiores com quadril aduzido e joelhos estendidos.

Realize a extensão da coluna em bloco e a hiperextensão dos ombros, em seguida, retorne à posição inicial.

Não mobilize a coluna para realizar a extensão. Mantenha os olhos na direção do colchonete. Os pés não devem perder apoio com solo e a ativação de glúteos e musculatura abdominal deve ser pedida a todo tempo.

Lembre-se de manter a pelve neutra e hiperestender os ombros um pouco além da altura da linha do corpo.

3- Circulo com as pernas

problemas-neurologicos-6

Deitado de barriga para cima, pelve e coluna neutras. Membros superiores alinhados ao lado do corpo.

Um membro inferior deve estar com ?exão de quadril e joelho e pé apoiado no solo, o outro membro inferior inicia com quadril em posição neutra, joelho estendido e tornozelo em ?exão plantar.

Realize a circundação do quadril e em seguida, retorne à posição inicial.

Ao realizar este exercício, é importante fazer a circundação do quadril nos dois sentidos evitando a hiperlordose lombar.

Não deixe que o quadril oposto compense o movimento e evite movimentar os ombros para frente, tensionando musculatura da cintura escapular e pescoço.

O ideal é começar com uma amplitude pequena de movimento e depois ir dificultando.

4- Ponte

problemas-neurologicos-7

Deitado de barriga para cima, pelve e coluna neutras. Mantenha os membros superiores ao lado do corpo, joelhos e quadril ?exionados e calcanhares apoiados no solo.

Realize a extensão do quadril, mobilizando coluna e mantendo a dorsi?exão do tornozelo, feito isso, retorne à posição inicial.

Ao realizar este movimento é importante mobilizar a coluna até a altura das escápulas, não apoiar o peso do corpo na coluna cervical e não hiperextender a coluna cervical

Manter a estabilidade da pelve e manter os tornozelos em dorsi?exão ajuda para realizar os exercícios de forma correta.

5- Side kicks

problemas-neurologicos-8

Deitado lateralmente, pelve e coluna neutras, mantenha o alongamento axial.

O membro superior de apoio deve estar com ombro ?etido no prolongamento do corpo e cotovelo estendido, com palma da mão para baixo e cabeça repousando sobre ele.

O membro superior de cima deve estar com cotovelo ?exionado e a mão apoiada no solo, feito isso, realize a abdução do quadril do membro inferior de cima e retorne à posição inicial.

Ao realizar o movimento, é importante manter a estabilidade na região lombo-pélvica e escapular, além de manter também a cabeça alinhada em conformidade com o restante da coluna.

6- Adução na bola

problemas-neurologicos-9

Deitado lateralmente, antebraço e mão apoiados no solo com ombro abduzido e cotovelo estendido. O membro superior oposto abduzido com quadril e joelho do membro inferior de apoio em contato com o solo.

O membro inferior de cima levemente abduzido, joelho estendido e pé apoiado na bola.

Realize a ?exão lateral da coluna ao mesmo tempo que aduz o quadril pressionando a bola contra o solo, em seguida, retorne à posição inicial.

Não deixe que somente os ?exores laterais da coluna contribuam para retirar o quadril do solo.

Forçar a bola para baixo com a perna para potencializar o trabalho dos adutores contribuirá para o movimento correto.

Para controlar a força que será colocada tanto nos estabilizadores de tronco e cintura escapular, quanto no membro inferior apoiado na bola exige muita atenção, concentração e capacidade de planejar o movimento.

7- Agachamento na bola

problemas-neurologicos-10

Em pé, apoie a bola na parede e as costas sobre a bola. Leve os dois pés levemente à frete mantendo os membros inferiores paralelos, abduzidos na distância do quadril e membros superiores ao lado do corpo.

Flexione o quadril e joelhos, empurrando a bola contra a parede e retorne à posição inicial.

É necessário tomar cuidado para não realizar rotação do quadril, além disso, é importante manter a pelve e a coluna neutra durante todo o exercício

Não transfira o peso corporal para frente e sim para a bola, mantendo a cabeça alinhada com o restante do troco.

Mantenha a organização entre cinturas pélvica e escapular para evitar que os joelhos passem a ponta dos pés da hora da ?exão.

O exercício parece simples, mas devemos tomar cuidado com as compensações aparentes, déficit de equilíbrio e para que você não se sinta frustrado caso não consiga realizar a atividade proposta.

8- Coordenação na bola

problemas-neurologicos-11

Deitado de barriga para cima com membros inferiores em ?exão de quadril, joelhos à 90 graus, ombros ?exionados e cotovelos estendidos.

Posicione uma bola entre as mãos e os joelhos, em seguida, realize a extensão do quadril e joelho, sem que o membro inferior encoste no solo e, simultaneamente, ?exione o ombro do membro superior contralateral até o prolongamento do corpo.

Feito isso, retorne à posição e faça com outro lado.

Mantenha cinturas escapular e pélvica apoiadas confortavelmente no solo e a pelve juntamente com a coluna neutras.

9- Equilíbrio sentado

problemas-neurologicos-12

Sentado na bola, em cima dos ísquios com quadris e joelhos ?exionado e com pés apoiados no solo.

A pelve e coluna devem estar neutras e os membros superiores ao lado do corpo com as mãos repousando sobre a bola.

Realize a extensão unilateral do joelho de forma alternada e em seguida, retorne à posição inicial.

No momento em que for realizar o movimento, não pressione a bola com os membros superiores e evite a tensão em trapézio superior.

10- Prancha lateral na bola

problemas-neurologicos-13

Sentado no solo e encostado lateralmente sobre a bola, abraçando-a com ombro abduzido. Mantenha quadril e joelhos ?etidos e em rotação externa.

O membro superior oposto à bola deve estar acomodado sobre o joelho do mesmo lado.

Realize a extensão dos joelhos, ?exionando lateralmente a coluna e subindo na bola até apoiar a mão no solo. Mantenha a posição de prancha por alguns instantes e retorne à posição inicial.

Lembre-se de manter a estabilidade do ombro no braço que apoia no solo, observe também o alinhamento para que não haja compensações pela falta de estabilidade.

Este exercício é um pouco mais intenso, por isso, exige um controle muscular e consciência corporal maior.

11- Abertura dos cotovelos

problemas-neurologicos-14

Sentado sobre o carrinho do Reformer, de frente para as alças, com a pelve e a coluna neutras.

Os membros inferiores devem estar com joelhos estendidos e quadril aduzido ou com membros inferiores cruzados um sobre o outro.

Mantenha os ombros e cotovelos ?exionados a 90 graus, com a radio-ulnar supinada e as alças apoiadas cima dos cotovelos.

Realize a extensão horizontal do ombro com os cotovelos sempre ?etidos e em seguida, retorne à posição inicial.

É importante cuidar com a anteriorização da cabeça e solicitar para que os cotovelos “cresçam” para longe.

É necessário manter a pelve e coluna na posição neutra, além de manter também os cotovelos alinhados com ombros.

Movimentos realizados com os braços, sejam com o objetivo de fortalecer ou alongar, atuam diretamente na qualidade da movimentação da caixa torácica e consequente na capacidade pulmonar.

Tais exercícios devem ser abordados principalmente em associação à padrões respiratórios, para melhor controle fisiológico e estrutural de pessoas com disfunções neurológicas.

12- Arm flexion (supine)

problemas-neurologicos-15

Deitado de barriga para cima sobre o carrinho do Reformer, com os membros inferiores na direção das cordas, com quadril e joelho fletidos a 90 graus.

Os membros superiores devem estar ao longo do corpo e a radio-ulnar pronada segurando as alças com as mãos.

Inspire e então ?exione o cotovelo ao expirar retornando à posição inicial inspirando.

Cuidado com os cabelos compridos para que não se prendam na mola. Caso você seja muito alto, o apoio de ombros pode ser retirado para melhor te acomodar.

Evite ?exionar os joelhos ou estender o quadril. A pelve e a coluna devem permanecer neutras.

Pessoas hemiparéticos que apresentam déficit de resposta motora nesta região em função do padrão ?exor adotado pela espasticidade, podem ser estimulados a realizar somente a ?exão de punho em pronação ou o movimento completo.

Caso você não consiga segurar a alça em função desse padrão, o seu instrutor pode te auxiliar num movimento ativo assistido.

13- Hip extension (cat position)

problemas-neurologicos-16

Em posição de seis apoios sobre o carrinho do Reformer, mãos alinhadas com os ombros e posicionadas na parte fixa do equipamento.

Os pés devem estar alinhados com os joelhos, e este com os quadris e encostados no apoio de ombros. A pelve e a coluna devem estar neutras.

Realize extensão do quadril e joelho, em seguida, retorne à posição inicial.

Ao realizar este movimento, não trave os cotovelos em extensão.

Estabilize as escápulas e observe se a sua cabeça está acompanhando o alinhamento do restante da coluna para que o exercício seja feito de forma correta.

Os exercícios em quatro apoios, além de recrutar grandes grupos musculares, também auxiliam no controle neuromuscular.

Tal postura faz parte do processo de desenvolvimento motor normal e, quando realizados em pessoas com alterações neurológicas, as memorizações de aquisições motoras são facilitadas e parte integrante no surgimento de novas habilidades funcionais são criadas, desta forma ajudando no tratamento dos problemas neurológicos.

14- Flying long box

problemas-neurologicos-17

Deitado de barriga para baixo sobre a caixa na altura do início do esterno.

Os membros inferiores devem estar com joelhos estendidos e quadris aduzidos, já os membros superiores devem estar em extensão, segurando as cordas com as mãos e os cotovelos também estendidos.

Realize a extensão dos ombros até a linha do quadril, feito isso, retorne à posição inicial.

Não aumente o grau de extensão da coluna e não realize a hiperextensão da cervical.

É importante manter os quadris sempre levemente estendidos e a ativação do powerhouse durante todo movimento.

15- Footwork side

problemas-neurologicos-18

Deitado lateralmente sobre o carrinho do Reformer, pelve e coluna neutra.

A cabeça deve estar apoiada sobre o apoio de cabeça elevado, o membro superior de baixo deve estar segurando apoio de ombro com o cotovelo ?exionado e o membro superior de cima deve estar com a mão apoiada na frente do corpo com cotovelo ?etido.

Mantenha o membro inferior de apoio no prolongamento do corpo com joelho estendido e quadril aduzido.

O membro inferior de cima deve estar com quadril e joelho ?exionados, com o pé apoiado na barra de pés.

Realize a extensão do quadril e joelho da perna de cima, em seguida, retorne à posição inicial.

Não permita que a perna debaixo encoste no aparelho. Coloque uma bolinha murcha como apoio de cabeça.

É importante manter a cabeça alinhada com o restante do corpo e não realizar uma hiperextensão lombar ao final do movimento.

Manter a estabilidade da região lombo-pélvica e cintura escapular irá ajudar para a realização correta do exercício.

Este movimento é fundamental para reeducação motora, pois além de estimular a lateralidade, ele também estimula a consciência corporal para realizar a passada na marcha.

Conclusão

problemas-neurologicos-19

Os problemas neurológicos são patologias que podem acometer o ser humano de diversas formas causando grandes traumas.

Porém o Pilates é um ótimo método para ajudar o ser humano no tratamento dos problemas neurológicos auxiliando para uma vida mais saudável.

Por isso, praticar Pilates é bom para todos em qualquer situação da vida, pois seus movimentos podem trazer um imenso bem-estar não só na hora em que os movimentos são realizados, mas também no dia-a-dia.

Sendo assim, Pratique Pilates e veja quantos benefícios você pode garantir para a sua vida!

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Cursos de Pilates Brasil

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>