04-10-2016-17-09-57-abdominais-durante-a-gestacao-blog

Abdominais durante a gestação

Sim, esse é um tema bem polêmico.

São poucos estudos envolvendo gestantes, e por isso, antes de mais nada, é importante dizer que essa é a opinião da Umana Pilates e não uma verdade absoluta. Nosso princípio têm como base sempre a fisiologia e biomecânica do corpo gestante.

Posso fazer abdominal durante a gestação?

Nossa resposta é não.

Acreditamos que nessa fase os abdominais podem prejudicar. Porém, aqui estamos falando do abdominal clássico, aquele que deitamos de barriga para cima e realizamos uma flexão do tronco.

Por que não realizar abdominal na gestação?

Vamos resgatar a fisiologia do corpo gestante… Durante o período gestacional o corpo passa por diversas alterações, certo? Uma delas é o afastamento do músculo reto abdominal (diástase abdominal). Esse afastamento é fisiológico, ou seja, normal - quando acontece até 2 ou 3 cm. A diástase abdominal pode ocasionar perda de força e alavanca do músculo reto abdominal e causar prejuízo para a postura e em toda dinâmica de estabilização da coluna, além da possibilidade de desenvolver uma hérnia umbilical.

Com o aumento do volume uterino, também acontece uma sobrecarga na musculatura do assoalho pélvico, que passa a sustentar mais peso comparado ao corpo não gestante.

Quando realizamos o abdominal clássico, aumentamos a pressão intra-abdominal e, como consequência, é natural que o abdome estufe para cima e para fora durante a essa força. Isso acontece porque a pressão criada dentro abdome precisa se dissipar.

Além de abaular o abdome, o aumento da pressão intra-abdominal também acaba empurrando o assoalho pélvico para fora.

Voltando à fisiologia do corpo gestante, a intenção é que não haja uma diástase maior que 3 cm, e o assoalho pélvico já está naturalmente sobrecarregado. Queremos mais sobrecarga?

Por esse motivo acreditamos que é possível realizar a contração abdominal de outra forma.

Mas qual? Uma boa sugestão é através da estabilização dinâmica!

Com o Pilates conseguimos trabalhar a musculatura abdominal sem fazer flexão de coluna. Ao realizar exercícios de membros superiores ou inferiores com estabilização de cintura escapular e cintura pélvica, o músculo transverso do abdome contrai milésimos de segundos antes para ajudar a estabilizar o tronco.

Portanto, através de exercícios controlados de membros superiores ou membros inferiores, como é o caso do Pilates, é possível ativar o abdome.

Conclusão: o abdominal clássico não é indicado, mas não precisamos deixar de ativar o abdome. Se existem outras formas de acionar a musculatura abdominal sem causar prejuízo e sobrecarga, acredito que temos uma alternativa mais interessante, certo?

Experimente em seu estúdio e conte para a gente!

Ana Regina Nogueira
CREFITO-3 163265/F
Fisioterapeuta e idealizadora da Umana Pilates – para o corpo gestante

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>