diástase gestação

Pilates e diástase na gestação

Com frequência recebo perguntas de gestantes e professores de Pilates sobre a diástase do abdome e vamos falar um pouco sobre o assunto com você!

A diástase é a separação do músculo reto abdominal na linha alba e acomete a maioria das gestantes. Quando a separação do abdome é superior a dois centímetros (aproximadamente dois dedos), compromete a integridade muscular. Cabe ressaltar que a diástase do reto do abdome acomete homens e mulheres, mas a grande maioria apresenta esta alteração anatômica durante a gestação.

diastase

Você sabia que…
  • A diástase do abdome ocorre pelo aumento da concentração de elastina no tecido conjuntivo, mudança biomecânica do abdome e pelo crescimento do bebê;
  • A localização mais comum é supraumbilical (acima da cicatriz umbilical), mas também pode ocorrer infraumbilical (abaixo da cicatriz umbilical) e umbilical;
  • A diástase compromete a eficiência do reto do abdome e as gestantes podem se queixar de dor lombar pela perda da estabilidade de tronco;
  • Durante a gestação é melhor evitar exercícios abdominais de flexão do tronco nas as aulas de Pilates e incorporar exercícios de ativação do transverso do abdome e assoalho pélvico;
  • A frequência da diástase aumenta no segundo e, principalmente, no terceiro trimestre gestacional;
  • No pós parto, a medida que a diástase diminuir de espessura, o professor pode evoluir com exercícios para oblíquos e, quando menor que dois centímetros, realizar abdominais com a flexão de tronco;
  • A diástase pode retornar em até um ano após o parto, mas há casos em que ela não regride;
  • Nos casos mais graves, a diástase pode evoluir para herniação de órgãos pélvicos e, no caso de diástase umbilical, é provável que haja a indicação cirúrgica;
  • O método Pilates, quando realizado corretamente, ativa músculos profundos que estabilizam a diástase e previnem sua progressão.

O teste para avaliar a diástase das gestantes é simples. Em decúbito dorsal, com pés e mãos apoiados no solo, peça para a aluna realizar a flexão de tronco em isometria (abdominal tradicional), e apalpe com o segundo e terceiro dedo ao longo da linha alba as áreas supraumbilical, umbilical e infraumbilical, caso a aluna tenha uma depressão maior que dois dedos ou uma protuberância durante a flexão, são contraindicados exercícios que acentuam a diástase como a flexão de tronco. O teste deve ser repetido com frequência pois pode evoluir durante a gestação.

Os exercícios abaixo podem ser realizados para a ativação do transverso do abdome e assoalho pélvico, contudo, a avaliação prévia do profissional é fundamental para a efetividade do tratamento. Um bom parto às gestantes!

1. Hamstring stretch

Em sedestação sobre a bola suíça, com os pés em dorsiflexão na barra vertical e mãos na barra fixa, realizar a flexão de tronco mantendo o crescimento axial. Desenrolar a coluna com a cervical, retornando por último.

hamstring gestacao

2. Pregnant cat

Em seis apoios, com coluna neutra e alinhamento dos membros superiores e inferiores, realizar a contração do powerhouse, aproximando o bebê da coluna. Para a progressão realizar a flexão de ombro ou extensão de quadril e joelho, mantendo a coluna neutra.

pregnant gestacao

3. Tríceps plank

Em seis apoios, com os membros superiores apoiados no pedal e na plataforma de extensão, realizar a flexo-extensão de cotovelo, mantendo a coluna neutra. Para progressão realizar a flexão de ombro ou extensão de quadril.

triceps gestacao

4. Bridge

Em decúbito dorsal no Cadillac, com os membros superiores nas alças de mãos (ou barra móvel) e tornozelos sobre a alça do trapézio, realizar a ponte mobilizando a coluna até a posição neutra, realizando em simultâneo a flexão dos cotovelos.

bridge gestacao

5. Horse

Em sedestação sobre o Barrel, realizar a adução de quadris associando com adução de ombros e flexão de cotovelos com magic circle. Outros acessórios podem ser utilizados, como a faixa elástica, fit ball, miniband ou tonning ball.

horse gestacao

 

 

Érika Batista (CREFITO 167261-F)
Fisioterapeuta, mestre em ciências da reabilitação e professora do FisioStudio Pilates & Funcional Ibirapuera

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

One thought on “Pilates e diástase na gestação”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>