2014_11_649-META-IMAGENS-MATERIAS-RP-KATIA-OGAWA-Site

Minha história com o Pilates: Katia Ogawa

Seguindo a linha do Pilates adaptado, hoje vamos contar mais uma história fantástica de superação com o Pilates. Martha Cortez, 31, trabalha com Pilates há quatro anos e tem uma aluna, Katia Ogawa, 39, que sofre de osteogênese imperfeita, mais conhecida como ossos de cristal, e obteve com o Pilates melhoras muito significativas. Confira esse relato:

‘’A Katia sofreu mais de 40 fraturas no decorrer da vida. Ela pratica Pilates uma vez por semana há quase um ano, porque ela tem que evitar a sobrecarga para não ocorrer uma fratura por estresse. Katia tem algumas limitações físicas, como a baixa estatura, e precisa caminhar com o auxílio de muletas.

O tratamento para osteogênese imperfeita é baseado em medicação, cirurgia e Fisioterapia, basicamente.  Então, o Pilates é desenvolvido como uma Fisioterapia para aumentar a massa muscular e superar as limitações de movimento. A prática do Pilates trouxe benefícios ao condicionamento físico em geral, mas principalmente à postura ao caminhar.

Quando a Katia chegou no estúdio e relatou suas dificuldades e limitações, achei um desafio muito interessante. Não encontrei na literatura um protocolo específico de Pilates para portadores de osteogênese imperfeita, portanto, desenvolvi uma aula que fosse segura e dentro dos limites dela.  Procuro propor exercícios com menos repetições, utilizando molas mais leves ou sem elas. Juntas, desenvolvemos um trabalho de muitas conquistas, sempre mantendo os princípios da técnica.

Minha aluna teve benefícios bem significativos de uma maneira geral na consciência corporal. A musculatura dos membros inferiores ficaram mais fortes, fazendo com que ela utilizasse menos as muletas e caminhasse com mais segurança. Houve um aumento da capacidade respiratória devido ao estimulo dos músculos intercostais e, com isso tudo, a qualidade de vida da Katia melhorou bastante’’.

Exercícios propostos para a Katia:

Alongamento de membro superior e cintura escapular; Alongamento de membro inferior;

Cadilac: Mermaid sem o uso de molas; Footwork sem uso de molas, apenas com a resistência da barra; Up And Down e tríceps com molas azuis baixas (pouca resistência).

Reformer: Foot Work com uma mola amarela, Stomach Massage.

Esses são alguns dos exercícios que a Martha trabalha com a Katia no decorrer das aulas no Studio Mandala. E elas cada vez mais testam coisas novas e vão superando os limites aos poucos.

Tem uma história legal com Pilates e quer compartilhar com a gente? Envie um e-mail para contato@revistapilates.com.br. Quem sabe sua história é publicada?

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

3 thoughts on “Minha história com o Pilates: Katia Ogawa”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>