2014_10_605-META-IMAGENS-MATERIAS-RP-MOLAS-Site

Ora molas, pilateiros!

Quantas vezes seus alunos já perguntaram quantos quilos equivalem uma mola? Difícil responder, não é mesmo? Os aparelhos de Pilates são, por muitas vezes, comparados a equipamentos medievais de tortura. Ao ver tantas molas penduradas por ele, realmente é o que parece!

Joseph Pilates teve uma grande ideia quando retirou as molas das camas de seus pacientes internados para usar como resistência ao reabilitá-los. E, mais a frente, utilizar as mesmas molas nos seus aparelhos. O Reformer, com cinco molas de diferentes resistências, o Cadillac ou Wall Unit, com molas longas e molas curtas, e a Chair, com quatro molas e infinitas possibilidades. Hoje em dia, há lugares que utilizam também uma prancha de molas na parede.

Com o passar do tempo, os equipamentos de Pilates evoluíram, no que se trata de aparência, design, acabamentos, rolamentos… há mais precisão nos encaixes e maior segurança, mas as molas… são sempre as molas! De diferentes tamanhos, cores e resistências. Molas são objetos elásticos e flexíveis utilizados para armazenar energia mecânica. As molas são a essência dos aparelhos.

Difícil responder quantos quilos equivale uma mola, porque, muitos fatores influenciam a sua potência. O comprimento, o diâmetro externo, o diâmetro do arame, o gancho no aparelho ao qual ela se prende, até mesmo a posição do aluno e a sua altura. Sem contar as inúmeras combinações que fazemos com elas.

Em alguns exercícios ela resiste, ou seja, dificulta o movimento, e em outros ela assiste, auxilia o aluno ao executar determinado movimento. As molas trabalham de forma gradual. No início do movimento, quando sai da inércia e o músculo está fraco, a resistência é menor. A medida que a mola se estende, a dificuldade é maior e o músculo também está mais forte. Isso diminui o impacto nas articulações e, consequentemente, o risco de lesões.É importante que ela tenha uma parte cônica nas pontas por segurança, isso impede que ela arrebente.

Pensando no meio-ambiente, existe uma política nacional de resíduos sólidos. Devido ao fato de que as molas tem diversas ligas de materiais altamente danosos ao meio-ambiente, existem lugares que tem uma política de “logística reversa”, onde eles recolhem as molas utilizadas para reciclagem. Isso é ótimo porque muitas vezes não sabemos o que fazer com elas, não é mesmo? Pensem nisso e aproveitem os benefícios das molas, pilateiros!

Andrea Fidalgo
Fisioterapeuta (Crefito 2/54198- F)
Studio Spasa

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

5 thoughts on “Ora molas, pilateiros!”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>