Mitos sobre o Pilates

mitos-do-pilates-revista-pilates (2)

O Pilates já faz parte da rotina das academias, que percebem a necessidade de agregar benefícios como postura, equilíbrio e consciência corporal ao programa de treinamento dos clientes. É uma atividade muito recomendada por médicos e fisioterapeutas para a reabilitação e o tratamento de doenças e lesões.

Mas essa popularidade também gera algumas dúvidas e interpretações distorcidas sobre as características e funções dessa prática no corpo. Veja quais são os mitos mais comuns sobre o Pilates e fique atento:

1. Pilates é coisa de mulher
Apesar de a mulherada adorar o Pilates, porque ele ajuda a definir o abdome e fortalecer as pernas, ele não é uma atividade exclusivamente feminina. O método foi criado por um homem, Joseph Pilates, para ajudar soldados a se exercitar nos campos de concentração da Primeira Guerra Mundial. Os exercícios e aparelhos se adaptam a diferentes níveis de condicionamento e pode desafiar muito a musculatura dos homens. O Pilates fortalece os músculos abdominais e ajuda no controle e no equilíbrio do corpo.

2. Pilates e ioga são a mesma coisa
Muitos alunos pensam que o Pilates e a ioga são iguais, pois trabalham com movimentos lentos e exigem concentração e consciência corporal. Mas elas são práticas bem diferentes. A ioga prega a harmonia corporal, mental e espiritual. Seus exercícios promovem a flexibilidade, mas são uma forma de elevação espiritual. O Pilates usa a concentração e o equilíbrio para fortalecer a musculatura e realinhar a postura, prevenindo lesões e preparando para a atividade física.

3. Pilates é muito fácil
Algumas pessoas acreditam que os exercícios são muito fáceis, somente para quem não pratica nenhuma atividade física. Na verdade, o Pilates pode ser mais leve ou mais difícil. Isso vai depender das suas necessidades. Ele pode ser adaptado para diferentes perfis: desde o sedentário até quem frequenta academia todos os dias. O Pilates tem um repertório desafiador até para os atletas mais fortes, que utiliza princípios de equilíbrio e consciência corporal para trabalhar todo o corpo. Ele trabalha a qualidade do movimento, focando na concentração, e não na quantidade ou na velocidade das repetições.

4. Qualquer um pode ensinar Pilates e aprender com DVDs
Para ser instrutor, é preciso ter formação no método Pilates e  registro como educador físico, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional ou áreas afins. Por isso, fique atento à formação do profissional no estúdio de Pilates que você está interessado. A formação no método também não se baseia em cursos de fim de semana. Para ensinar Pilates, é preciso estudar muito, conhecer a anatomia, as patologias e habilidades do corpo. Para aprender os exercícios, você precisa de um instrutor qualificado. Só depois de um tempo de experiência é que você pode fazer alguns movimentos em casa.

 

 

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Cursos de Pilates Brasil

6 thoughts on “Mitos sobre o Pilates”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>