Pilates: força e equilíbrio para ciclistas

Foto: Ivan Storti

 

Não é novidade que o Pilates é um dos exercícios mais indicados como complemento para quem é esportista. Os ciclistas que incluem o método no treinamento de rotina melhoram não só a força, mas a postura, o equilíbrio e a agilidade na execução dos movimentos. Uma sessão de Pilates duas a três vezes por semana é muito eficaz no desempenho desse atleta.

Segundo a fisioterapeuta esportiva Rosana Vaz, grande parte dos ciclistas competidores sentem dores musculares e lombares depois do treino ou competição. Depois de algumas semanas no Pilates, pacientes com este quadro melhoram consideravelmente as dores e passam a corrigir certas falhas.

A técnica aumenta a força das pernas e na parte superior do corpo, o que ajuda o ciclista a manter a postura correta e ter maior impulsão nas pedaladas. “Outra vantagem é o alongamento dos flexores do quadril e do quadríceps, o que reduz as dores lombares e nas costas”, afirma Rosana.

O exercício melhora o equilíbrio do ciclista, contribuindo para minimizar as quedas frequentes e promovendo uma maior consciência corporal. As técnicas de respiração do Pilates também ajudam no aumento da resistência do atleta. Utilizando exercícios específicos, é possível acelerar a recuperação das pernas cansadas, trabalhando a circulação.

“O Pilates também corrige os desequilíbrios musculares, muito comuns no ciclismo. Esse esporte trabalha principalmente o quadríceps, por isso é importante fortalecer os músculos da coxa, para estabilizar as pernas e manter as articulações do joelho e quadril alinhadas”, explica a fisioterapeuta.
A técnica só é contra-indicada no caso de lesões associadas, quadros de dor ou edema e ciclistas não atletas.

 

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Cursos de Pilates Brasil

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>