Regras básicas para perder gordura

A energia é necessária para que o organismo mantenha suas funções físicas ativas, seja para trabalhar, estudar ou até mesmo para respirar, e para realizarmos todas as funções necessárias para a manutenção da vida, precisamos da energia que vêm da alimentação diária.

Quando você não está comendo, ou você está se exercitando, seu corpo deve usar os armazenamentos internos de energia dos carboidratos complexos, gorduras e proteínas.

Para perder peso, saber como o corpo usa as calorias de combustível pode fazer a diferença na forma como você se aproxima de seu programa de perda de peso. Nós começamos a nossa energia a partir de gorduras, carboidratos e proteínas.

Definir a melhor forma de queimar gordura começa com alguns fatores básicos sobre como seu corpo obtém energia. Saiba como elas são classificadas:

  • Gorduras saturadas, que vêm dos alimentos de origem animal, como por exemplo, nas carnes, queijos e na manteiga;
  • Gorduras hidrogenadas, que são usadas na produção da maioria das comidas industrializadas;
  • Gorduras monoinsaturadas, que são muito boas para o organismo, protegem as artérias e estimulam a produção do bom colesterol e estão presentes no abacate, linhaça, nozes e castanhas, entre outros alimentos;
  • Gorduras poliinsaturadas, que tem ação parecida com a monoinsaturada e está presente especialmente nos óleos vegetais.

Foto: naturasarat.files.wordpress.com

O corpo utiliza principalmente a gordura e carboidratos para o combustível. Uma pequena quantidade de proteína é usada durante o exercício, mas é principalmente utilizado para reparar os músculos após o exercício. A proporção desses combustíveis irá mudar dependendo da atividade que está fazendo.

Para o exercício de maior intensidade, como corrida, além de metabolizarem mais calorias no total, utilizam mais calorias absolutas advindas da metabolização de gorduras. Isso porque as vias metabólicas disponível para quebrar carboidratos para a energia são mais eficientes do que os caminhos disponíveis para a quebra de gordura. Embora mais eficazes, os mesmo não podem ser feitos por qualquer pessoa, recomendados apenas, para indivíduos já fisicamente ativos e, principlamente, sem fatores de riscos cardiovasculares.

Para o exercício mais lento ou de média a baixa intensidade, que é o caso do Pilates, a gordura é usada mais por energia do que carboidratos. Quando se trata de perda de peso, não importa que tipo de combustível que você usa. O que importa é quantas calorias você queima em vez de quantas calorias você absorve.

A verdade é que o percentual de utilização de gorduras para o fornecimento da energia necessária ao exercício é maior nas baixas intensidades de esforço, ficando em média de 60% da energia utilizada, contra 35% de utilização nos exercícios de alta intensidade. Esta premissa básica é que começou a teoria da “zona de queima de gordura”, ou a idéia de que trabalhar em uma determinada zona da freqüência cardíaca (em torno de 55 a 65 do seu ritmo cardíaco máximo ) permitirá que o seu corpo a queimar mais gordura.

Há algumas métodos específicos para queimar mais gordura e tudo começa com a forma como e quanto você se exercita. Na prática, o aumento da intensidade na execução dos exercícios, optar por treinamento de força, fazendo com que o corpo queime calorias mesmo nos períodos de descanso são as melhores soluções para aumentar a sua queima de calorias em exercícios lentos a moderados. São indicados para qualquer pessoa, principalmente, para os sedentárias ou iniciantes.

Por ser uma atividade anaeróbica, que utiliza uma energia que independe do uso do oxigênio, assim como a musculação – e não aeróbica (que envia energia ao músculo a partir do consumo do oxigênio, como a corrida) o Pilates não está no topo da lista de exercícios físicos que queimam mais calorias, no entanto, o método promove uma transformação no condicionamento físico, na consciência corporal e até mesmo no estilo de vida do praticante e, por isso, é sim um aliado poderoso na busca por um corpo mais saudável e, portanto, muito mais leve.

O método Pilates ajuda a fazer as pazes com a balança porque substitui a gordura por massa corporal magra, tonifica e modela o corpo, acelera o metabolismo, corrige a postura alongando a silhueta e ainda ajuda a elevar a autoestima, o que diminui a ansiedade e a vontade de comer fora de hora. A soma de todos esses fatores transforma o praticante por inteiro.

Fonte: cyberdiet.terra.com.br,triada.com.br,saude.hsw.uol.com.br,gigamundo.com.br

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Cursos de Pilates Brasil

2 thoughts on “Regras básicas para perder gordura”

  1. Achei interessante este tema, mas fiquei confuso em algumas informações:
    Em um parágrafo está escrito que a utilização de gorduras é maior em exercícios de baixa a média intensidade. No outro paragrafo diz que o aumento da intensidade na execução de exercícios são a melhor solução para queima de calorias.
    Então, creio que está equivocada essa informação.
    O que perde mais calorias, exercícios de alta intensidade ou baixa intensidade?
    E o pilates, é exercício anaeróbico? Ou dependendo do objetivo, pode ser aeróbico ou anaeróbico?

    Se for possível, poderia me esclarecer? Eu agradeço, e é um bom trabalho esses informativos a mais sobre Pilates e exercícios em geral!

  2. Boa tarde Rafael.

    O texto foi desenvolvido com o objetivo de mostrar as diferentes formas de perder gordura. Com os exercícios de alta intensidade é possível alcançar maior queima de gordura em um período menor de tempo, porém, muitas pessoas não tem preparo físico e podem perder peso praticando exercicíos de baixa a média duração. Buscamos mostrar algumas soluções para perfis diferentes e não defender ou impor o melhor método!
    Agradecemos seu contato, e caso queira ler outras opiniões, temos outras matéria publicadas sobre o mesmo assunto.

    http://www.revistapilates.com.br/2011/08/24/pilates-auxilia-no-emagrecimento/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>