Como identificar pacientes com Hiperidrose

Hiperidrose, segundo o nefrologista Pedro Pinheiro para o blog MD. Saúde, é um estado onde o corpo produz um volume de suor desproporcional às necessidades fisiológicas para a regulação da temperatura corporal, ou seja, o paciente transpira demais e sem motivo.

Não existe exame específico para definir quem é portador dessa disfunção. Devemos observar os sintomas que a pessoa apresenta, dentre os quais: suar em excesso (umedecer, molhar ou encharcar) não em todo o corpo, mas sim em áreas localizadas (face, couro cabeludo, pescoço, axilas, mãos, nádegas, virilhas e/ou pés), geralmente de forma episódica (aparece e desaparece), várias vezes ao dia, tanto em dias quentes quanto em frios. Isso ocorre graças a uma doença denominada de hiperidrose.

O suor é um substância composta por água (99%) e pequenas quantidades de sais minerais (1%), basicamente cloreto de sódio e ureia. Outras substâncias presentes no sangue podem estar presentes no suor, como cálcio, magnésio, potássio, zinco e ferro, porém, em concentrações muito reduzidas. Ao contrário do que muitos pensam, o suor não é uma fonte de eliminação de toxinas e não serve para “purificar” o organismo.

O suor é produzido pelas glândulas sudoríparas que se localizam nas camadas mais internas da pele, comunicando-se com a camada mais superficial através de micro ductos que desembocam em poros na nossa pele. Sua função básica é ajudar na regulação da nossa temperatura corporal. A produção de suor pelas glândulas sudoríparas é controlada pelo nosso sistema nervoso central, nomeadamente pelo hipotálamo onde os neurônios termossensíveis se encontram.

Apesar de não ser uma doença grave, que traga maiores complicações, a hiperidrose pode ser incômoda e atrapalhar a vida social e profissional dos pacientes. Além do constrangimento social, a hiperidrose favorece o aparecimento de algumas doenças de pele, como eczemas, verrugas, dermatite atópica, infecção fúngica nas unhas, frieiras, foliculite e odores desagradáveis.

 

Foto: mdemulher

A hiperidrose pode ocorrer em diversas regiões do corpo:

Face, couro cabeludo e pescoço: a face fica úmida ou escorre suor pelo rosto. Isso ocorre em alguns horários do dia e provoca a sensação de falta de higiene. O couro cabeludo sua, deixando os cabelos úmidos ou provocando escorrimento de suor pelo rosto e pescoço.

Mãos: as palmas das mãos suam, podendo pingar, ou ficam úmidas e/ou frias durante parte do dia. As pessoas não se sentem bem em cumprimentar com apertos de mão nem durante as relações sexuais. As crianças têm dificuldades em trabalhos escolares – borrando os papéis porventura utilizados durante suas tarefas.

Axilas: o suor escorre pelas axilas e forma manchas nas blusas, dificultando o uso de roupas coloridas. Essas pessoas tendem a vestir roupas brancas ou pretas. Pode ou não estar associado com o mau odor das axilas (bromidrose). Esses sintomas geram um grande desconforto e sensação de falta de higiene.

Nádegas/ virilhas: essas regiões podem apresentar suor em excesso e, devido a isso, gerar aumento da ocorrência de micoses, assaduras e feridas no local, além de constrangimento por haver a impressão de que a pessoa urinou.

Coxas: presença de suor nas coxas, umedecendo as roupas íntimas e calças.

Pés: os pés suam ou ficam frios durante parte do dia, dificultando o uso de sandálias e sapatos sem meia, pois os pés escorregam e a poeira os suja mais facilmente. Pode ou não estar associado com o mau odor dos pés (bromidrose).

Tórax, costas, abdomem e região lombar: esse locais podem ficar molhados gerndo grande dificuldade em usar roupas coladas ao corpo.

Segundo Dr. José Ribas Milanez, cirurgião do grupo de tórax do Hospital das Clínicas de São Paulo e do Hospital Albert Einstein. existem pessoas que, quando estressadas, têm dor de estômago, dor de cabeça, hipertensão e algumas chegam a enfartar e até a morrer, há um grupo que em resposta ao estresse sua muito. Em mais da metade desses pacientes (56%), foi encontrado um parente de primeiro grau (pai, mãe, filho, irmão) ou de segundo grau com o mesmo tipo de resposta ao estresse. A hiperidrose, portanto, tem características genéticas que se manifestam em determinadas famílias.

É muito difícil conseguir controlar a sudorese excessiva. As pessoas acabam aprendendo que reduzir o nível de ansiedade talvez acalme os sintomas e diminua a intensidade do suor, mas que é quase impossível controlar a manifestação do problema. O impacto psicológico negativo é idêntico nos dois sexos. Tanto a vida dos homens quanto a das mulheres torna-se extremamente limitada pela sudorese excessiva. Por isso, é necessário que o profissional de Pilates, Fisioterapeuta ou Educador Físico tenha conhecimento e flexibilidade com esse tipo de paciente para instruí-lo corretamente sem causar constrangimentos ou encaminhá-lo a um tratamento específico dentro do campo da cirurgia torácica. “Esse é um tratamento que traz satisfação pessoal imediata e o paciente demontra satisfação momentânea pós tratamento”, diz Dr. Ribas Milanez.

Fonte: acadhemia.com, drmalucelli.com.br e Drauzio Varella

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Cursos de Pilates Brasil

4 thoughts on “Como identificar pacientes com Hiperidrose”

  1. O texto copia parágrafos inteiros do artigo http://www.mdsaude.com/2010/12/hiperidrose.html e nem sequer o cita como fonte.

    Reproduzo nossa política de copyright ‘que está bem clara no site:

    “Autorizo a reprodução total ou parcial de todos os textos e fotos publicados neste blog. A única exigência que faço é que seja dado crédito ao blog MD.Saúde, colocando um link para a página onde o texto original se encontra.
    Atenção: ao se reproduzir um texto, os links contidos no mesmo não podem ser retirados.
    Fazemos semanalmente uma varredura pela internet à procura de textos copiados sem os devidos créditos e links. Plagiadores serão denunciados ao Google e podem ser processados de acordo com a LEI Nº 9.609 , DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998, que dispõe sobre a proteção da propriedade intelectual de programa de computador e sua comercialização no País.”
    Aguardo retificação. Grato.

  2. Olá, Pedro. Agradecemos o aviso. Pedimos desculpas pelo ocorrido. Agora temos uma equipe de jornalistas responsável pelo conteúdo do site. Este texto foi publicado antes de organizarmos esta hierarquia. Os devidos créditos serão atribuídos imediatamente. Obrigado pela compreensão.

    Abraços.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>