Pilates como tratamento para Artrite Reumatóide

Muitas pessoas usam a palavra “artrite” para se referir a todas as doenças reumáticas. Porém, a palavra significa literalmente inflamação na articulação; que é inchaço, vermelhidão e dor causada por tecido lesionado ou enfermidade na articulação.

O vários tipos diferentes de artrite englobam apenas uma parte das doenças reumáticas. Algumas enfermidades reumáticas são descritas como doenças do tecido, porque elas afetam o tecido conectivo do organismo, a estrutura de suporte do corpo e seus órgãos internos. Outras são conhecidas como doenças auto-imunes porque são causadas por um problema no qual o sistema imunológico danifica os próprios tecidos sadios do corpo.

Exemplos de algumas doenças reumáticas:

  • Osteoartrite
  • Artrite reumatóide?
  • Fibromialgia
  • Lúpus eritematoso sistêmico
  • Escleroderma?* Artrite reumatóide juvenil
  • Espondilite anquilosante
  • Gota
Fonte: revistafashionnews.com

Muito confundida com a artrose, porém diferente, a artrite reumatóoide é uma doença auto-imune que se caracteriza pela inflamação das articulações, e em alguns casos, também das estruturas vizinhas e com comprometimento do estado geral do paciente. A intensidade da doença varia de acordo com as características genética do indivíduo, já que a doenças está relacionada com o sistema imunológico. Sua causa ainda não foi comprovada, embora existam hipóteses. Sabe-se que em determinadas situações, a artrite pode ter origem em outras doenças, por isso é fundamental que esta seja diagnosticada.

Afeta mais as mulheres, normalmente entre os 30 e 50 anos. Entretanto, existe uma variante desta doença, a artrite reumatóide juvenil, cujas primeiras manifestações aparecem antes dos 16 anos, mas a freqüência é menor do que nos adultos .

As articulações mais afetadas são as do punho, dedos e tornozelos, porém, todas as articulações podem ser atingidas, normalmente de forma simétrica. Nos indivíduos que possuem artrite reumatóide, é comum se dar a rigidez matinal, importante dificuldade para movimentar as articulações. Embora a inflamação se limite à membrana articular, a articulação aparece inchada e vermelha. À medida que o processo inflamatório avança, ocorrem deformações na região afetada com possibilidade de tornar a estrutura inválida. Com isso, há a probabilidade do surgimento de nódulos que invadem e destróem a cartilagem, podendo afetar outros órgãos como o coração, o fígado, os pulmões, os rins, as artérias e o sistema nervoso periférico. Nestes casos, existem sintomas diferenciados, de acordo com o órgão.

O principal sintoma é a dor, proporcional ao grau de inflamação. A princípio, se dá com os movimentos ou pressão sobre a articulação afetada, com a progressão da doença, a dor se manifesta em repouso e acompanhada de atrofia muscular. Ainda, pode ocorrer febre, perda de apetite e de peso. Para a artrite, infelizmente, não existem formas de prevenção.

Vale ressaltar que qualquer pessoa que se submete a determinados esforços mais intensos ou traumáticos, pode desenvolver um quadro inflamatório da articulação que, na fase aguda, denomina-se artrite.

O exercício físico continua sendo importante também a esses indivíduos, porém, é necessário o equilíbrio entre a prática do mesmo e o descanso. Quando os sintomas estiverem intensos, diminua a intensidade e descanse, mas não páre. É importante que as articulações sejam estimuladas para a produção do líquido sinovial, um tipo de “graxa” que ameniza o atrito.

Com o Pilates, é possível dar continuidade a uma gama de exercícios com segurança e com efetividade. Neste período de pico dos sintomas, o programa da aula é direcionado principalmente à mobilização das articulações, mantendo os cuidados apropriados para evitar o cansaço e sobrecarga, assim evitando que os sintomas se intensifiquem. Quando as crises passarem, as dores e os inchaços diminuírem, a prescrição dos exercícios de Pilates podem progredir aos poucos, sem exageros, com a possibilidade de enfocar também nesse momento, o equilíbrio muscular através da força e flexibilidade dos músculos debilitados de forma que as articulações sejam preservadas. Além disso, o Pilates proporcionará uma grande consciência corporal ao indivíduo, que somado às capacidades físicas potencializadas em uma estrutura corporal equilibrada, resultará em um padrão de movimento mais eficiente e econômico, haverá então menos gasto de energia e as articulações estarão mais protegidas nas atividades da vida diárias.

É importante que o profissional e o próprio portador da artrite reumatóide preste muita atenção ao jeito e sensações dos movimentos, facilitando assim a adaptação ao programa de exercícios. Fazer compressas de água quente durante os períodos de crise pode proteger as articulações de um dano adicional.

Fonte: Flexus Pilates e Copacabana Runners

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

6 thoughts on “Pilates como tratamento para Artrite Reumatóide”

  1. Tenho diagnóstico de AR que atualmente está controlada com medicamentos e fisioterapia. Faço fisioterapia/ RPG há quase um ano para fortalecer músculos e melhorar a postura, aliviando sobrecarga nas articulações. Combino a fisioterapia com caminhada, natação, bicicleta ou corrida leve na esteira (o que der tempo em cada dia) Minha fisioterapeuta me diz que preciso trabalhar mais os músculos antes de passar para o Pilates. Qual a opinião de vocês? obrigada.

  2. Olá Cecília, consultamos nossa fisioterapeuta para lhe ajudar. Primeiramente é necessário saber qual o grau de sua artrite reumatóide e também quais são as suas limitações. Porém, como você citou que pratica várias atividades físicas em conjunto com a fisioterapia, acreditamos que o Pilates irá te ajudar neste momento, pois o mesmo trabalha o fortalecimento dos músculos mais profundos, ajudando na sustentação da coluna e melhora da postura, além de também trabalhar a musculatura superficial. O Pilates também ajuda em outros fatores, como melhora do estresse, da respiração, da flexibilidade também da coordenação motora. Mas é importante que, antes de iniciar qualquer atividade, você procure orientação do seu médico ou fisioterapeuta.

  3. Olá
    Tenho 56 anos e artrite.
    Vivo em crises e só consigo controle com corticóide.
    O Pilates vai me ajudar?
    Estou desanimada…
    Obrigada

  4. Olá, Rosangela. Tudo bem? Os exercícios regulares colaboram com a qualidade de vida do paciente com artrite, melhorando a sua mobilidade e reduzindo as dores. O Pilates vai trabalhar o fortalecimento dos músculos e ajudar na sustentação da coluna, melhorando a sua postura. Ele também alivia o estresse, melhora a respiração, a flexibilidade e a coordenação motora. Mas antes de iniciar uma atividade, seja ela o Pilates ou qualquer outra, é necessária a avaliação do seu médico e de um fisioterapeuta, que deve determinar o melhor tipo de exercício para o seu caso. Você precisa saber qual o grau da artrite e suas limitações.

    Esperamos ter ajudado!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>