Meu ombro é instável, eu posso fazer Pilates?

Por Rafaela Porto

Instrutora Certificada STOTT PILATES

Coordenadora Técnica da Pilates StudioFit

 

Foto: Pilates Studio Fit

A parte esquelética do ombro é formada por: úmero (osso cumprido da parte de cima do braço), clavícula (osso da “saboneteira”, na frente do ombro) e escápula (“asinhas”, nas laterais de cima das costas).

O úmero se move em excesso em relação à escápula, isso devido a uma inserção anatômica somente (acrômio clavicular). Numa sessão de Pilates, por exemplo, a garantia de um bom posicionamento dos ombros é tão importante quanto à ativação dos abdominais antes do início de cada exercício, principalmente por não terem nenhuma ligação óssea coma a caixa torácica e a coluna vertebral.

Os ligamentos envolvidos nos ombros podem se estirar ou até se romper. Algumas pessoas apresentam predisposição para o deslocamento do ombro (luxação), por terem ligamentos naturalmente mais frouxos.

Um trabalho ideal de alinhamento será desenvolvido para cada cliente. Nossa preocupação será em ativar os músculos: serrátil anterior, trapézio medial e inferior, rombóides e latíssimos do dorso, não mantendo esse controle você sentirá desconfortos e tensões na região do pescoço e ombros.

Se houver rigidez antes do início dos exercícios, será criado muito estresse muscular assim que o movimento começar, por isso não confunda contração com tensão e nem controle com relaxamento, crie uma consciência corporal ideal para as aulas…

Infelizmente o ombro que já sofreu luxação pode voltar a se deslocar outras vezes. Essa situação é chamada de instabilidade do ombro. A articulação do ombro sai do lugar com o mínimo de esforço. Os movimentos são doloridos e restringidos! Então, instrutores atentem-se aos exercícios com sobrecarga ou alavanca longa de MMSS (membros superiores).

A luxação normalmente ocorre quando o ombro é forçado violentamente, por exemplo: durante a prática de um esporte, arte marcial, crise convulsiva, queda ou até por uma pancada. Nesse momento, podem ocorrer lesões em qualquer estrutura do ombro.

A dor e a pessoa se queixar de que ele está fora do lugar, são os principais e óbvios sintomas. O atendimento médico deve ser feito o mais rápido possível para voltar à articulação à sua posição normal. Nunca se deve tentar pôr o ombro no lugar através de movimentos violentos e forçados. Cuidado, pois se pode lesionar ainda mais o local.

Às vezes, é necessária a aplicação de analgésicos ou anestésicos. Precisamos “proteger” o ombro durante algum tempo, evitando esforços violentos em que o braço fique muito para cima e para trás da cabeça, por exemplo, sendo assim o Pilates se torna uma das atividades mais indicadas entre os profissionais que estão acompanhando esse tipo de caso principalmente pelo trabalho individualizado com os clientes praticantes do método.

 

Boas aulas!!! 

 

Compartilhe essa página com seus amigos, alunos e professores nos links abaixo:

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>