Pilates mantém a saúde da coluna vertebral

Foto: Pilates Studio Fit

O método ajuda no fortalecimento dos músculos das costas e do abdome 

Quem nunca sentiu dores nas costas que levante a mão. Esse é um dos problemas crônicos da modernidade decorrente do estresse, falta de tempo para atividade física e, principalmente, a má postura. O coringa escondido dentro da manga para prevenir o problema atende pelo nome de Pilates. O programa de exercícios criado por Joseph Pilates equilibra corpo, mente e espírito de maneira global e ajuda, também, na prevenção do desconforto e manutenção da saúde da coluna vertebral.

Isso porque o Pilates proporciona, entre outros benefícios, o alongamento, tonificação e definição dos músculos, fortalecimento da musculatura abdominal e da situada ao longo das vértebras, além de auxiliar na redução do estresse. “O fortalecimento abdominal ajuda a melhorar também o alinhamento postural, o que mantém a coluna vertebral forte e flexível, ajudando no alívio de dores nas costas e articulações”, explica Mônica Martins Nóbrega, profissional de Pilates.

O método vem sendo utilizado tanto para fins terapêuticos como o alívio de dores decorrentes de hérnias de disco, bico de papagaio, tendinites e distensões. Porém é importante ressaltar que a modalidade não substitui as sessões de Fisioterapia. Mônica Martins Nóbrega explica que o Pilates é utilizado como método de prevenção dos problemas nas costas e para manter os resultados adquiridos com a Fisioterapia.

“O Pilates não atua na patologia em momentos de crise aguda da dor, este é o papel das sessões de Fisioterapia que, inclusive, deve ser prescrita por um médico especializado”, esclarece.

Mas então no que o Pilates pode ajudar? “Na manutenção e fortalecimento subsequente ao tratamento prescrito. Ajudamos, tanto na prevenção do problema, como na manutenção de uma coluna vertebral já tratada, bem fortalecida, protegida e saudável”, responde a profissional.

Ao todo, o Pilates compreende mais de 500 movimentos e centenas de variações, que devem ser realizadas com poucas repetições e muita precisão, controle respiratório, alinhamento postural, concentração e fluidez de movimentos, uma mistura equilibrada de treino de força, flexibilidade e resistência.

 

Fonte: Hagah

 

Compartilhe essa página com seus amigos nos links abaixo:

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

2 thoughts on “Pilates mantém a saúde da coluna vertebral”

  1. Parabéns Mônica, o artigo é bom!
    Mas existe um grande equívoco.
    Pode-se notar que você não é Fisioterapeuta pela forma que escreve sobre a atuação da área.
    Por isso, como Fisioterapeuta, assim como talvez a maioria dos profissionais de Pilates que participam e/ou são leitores desta magnífica revista, faço minha observação.
    Quem prescreve o tratamento fisioterapêutico é o Fisioterapeuta e não o médico. Sem dúvida a visão, as orientações e o diagnóstico patológico realizados por um médico especializado são muito importantes.
    O médico encaminha aos cuidados do Fisioterapeuta (que também é um profissional de 1º contado), este faz o diagnóstico cinético-funcional do paciente com prescrição e aplicação do programa de tratamento.
    Um outro ponto é que o Pilates não se resume apenas uma conduta preventiva ou de manutenção pós-fisioterapia. O pilates tem alto potencial cinesioterapêutico, portanto, o fisioterapeuta que for instrutor de Pilates tem a capacitação de precrevê-lo como sua conduta principal de tratamento, se assim ele a considerar aplicável.
    Em relação aos benefícios do Pilates no alinhamento postural e na saúde da colunal vertebral eu concordo com você!
    Abraço

  2. Os episódios de dor aguda, quando relacionados a contraturas musculares, podem ser aliviados com Pilates e/ou Fisioterapia, desde que bem avaliados por um fisioterapeuta e também tratados por tal. Toda boa abordagem é resultado de uma boa avaliação.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>