“Raio X” do método Pilates

 

Para quem não gosta das agitadas aulas da academia, com um professor motivando os praticantes ao som de músicas ritmadas, o pilates é uma boa opção.

 

Imagem: Internet

A técnica, nascida na década de 20 com o objetivo de reabilitar soldados feridos, faz parte da ala zen das atividades físicas, ao lado do Yoga. Seu segredo reside na concentração e na respiração, que juntas possibilitam trabalhar a consciência corporal, flexibilidade e força com o objetivo de promover o equilíbrio físico e mental.

Democrático se adapta a crianças, jovens, adultos, idosos e até gestantes. “A ampla variedade de exercícios torna o pilates atrativo para pessoas de diversas idades e níveis de condicionamento físico”, explica Simone Przewalla, fisioterapeuta do Hospital Israelita Albert Einstein. Além disso, como o método vem se popularizando nos últimos anos, pode ser encontrado nas mais diversas academias e estúdios espalhados por todo o país.

Para aqueles que preferem praticá-lo em casa, a fisioterapeuta adverte: “Quem está começando precisa do acompanhamento de um profissional especializado”. Os veteranos no método já têm a experiência e a consciência corporal necessárias para realizar os movimentos em casa, o que não dispensa supervisão periódica. “O uso correto de cada parte do corpo, associado à respiração e à execução precisa dos movimentos, é de grande importância”, enfatiza Simone.

Os ganhos são globais, corpo e mente agradecem, e os resultados nas palavras de seu próprio criador não demoram a aparecer. Joseph Pilates dizia que, após as dez primeiras aulas o praticante sente que o corpo mudou; a partir da vigésima começa a ver as mudanças; e após a trigésima as outras pessoas passam a notá-las.

Escolha a sua modalidade

O método original contempla exercícios de solo, de parede e nos aparelhos. Com a evolução da prática, foram incorporados outros elementos, como as bolas suíças, o que originou o chamado pilates contemporâneo. As duas modalidades proporcionam os mesmos benefícios: ganho de força, flexibilidade, melhora da postura, equilíbrio, controle dos movimentos corporais e alívio do estresse.

Solo

Uma sequência de 34 exercícios de solo é realizada sobre um colchonete. O grau de intensidade dos movimentos varia de acordo com o nível dos praticantes.

Aparelhos

Os exercícios são realizados em aparelhos baseados em equipamentos hospitalares como camas e cadeiras de rodas. Entre eles estão:

Cadillac – espécie de cama com molas e barras onde se realizam diversos movimentos, tanto em pé quanto deitado.

Chair – aparelho semelhante a um banco de madeira em que se usam barras metálicas nas laterais e uma barra tipo “pedal” para fazer os exercícios.

Reformer – espécie de cama com sofisticado sistema de molas, correias e polias que possibilita mais de uma centena de exercícios, nas mais variadas posições.

Wall Unit – também conhecido como unidade de parede, é uma versão compactada do Cadillac.

Barrel – desenvolvido para trabalhar exercícios posturais, alongamento de pernas e abdominais. Assemelha-se a um barril na posição horizontal.

Acessórios

São utilizados apetrechos como a bola suíça, que pode ter de 45 a 90 centímetros de diâmetro, faixas ou rolos para realizar sequências de exercícios. A bola, por exemplo, pode ser usada como apoio para criar uma alavanca, tornando-se a superfície sobre a qual se realizam movimentos de torção, alongamento, flexibilidade. “O acessório desafia o equilíbrio e o domínio sobre o movimento por ser móvel, o que aumenta a concentração e o controle”, explica a fisioterapeuta do Einstein.

Para as futuras mamães

O método é adaptado para cada fase da gravidez: inicial, intermediária e final, além do período de pós-parto. “O foco é na estabilidade da musculatura postural e do períneo e no fortalecimento e alongamento suave dos músculos”, explica Solaine Perini, presidente da Associação Brasileira de Pilates.

Os movimentos ajudam a melhorar a circulação, principalmente nas pernas, e reduzem a tensão na parte superior das costas e nos ombros, ocasionada pelo aumento das mamas. “As técnicas de respiração também ajudam a respirar com mais eficiência, induzindo ao relaxamento e reduzindo de forma eficaz os níveis de cortisol, o hormônio do estresse”, diz Solaine.

Quem já praticava Pilates antes da gestação pode retornar à atividade após a liberação do obstetra, em geral no fim do primeiro trimestre. É fundamental consultar o médico para identificar possíveis contraindicações, como hipertensão, diabetes, cardiopatias ou problemas relacionados à gestação.

Cinco passos

Muitos dos movimentos executados no pilates são familiares aos praticantes de ioga, assim como as técnicas de respiração e concentração. Executá-los com precisão e manter o controle sobre eles são a base para uma prática eficaz e segura. O benefício vem com a qualidade dos exercícios e não com a quantidade.

1. Respire: para que os movimentos fluam naturalmente, é preciso inspirar na preparação do exercício e expirar ao executá-lo. A respiração torácica é fundamental por conta da contração abdominal necessária durante a prática.

2. Concentre-se: manter a atenção voltada para o grupo muscular solicitado proporciona o desenvolvimento da consciência corporal.

3. Mantenha o alinhamento: é essencial realizar os movimentos da maneira correta, encontrando o centro de equilíbrio do corpo. Isso aumenta a mobilidade e melhora o funcionamento do organismo como um todo.

4. Execute com precisão: manter a consciência corporal e o alinhamento são a chave para a perfeição nos movimentos do pilates.

5. Controle seus movimentos: esse é um dos grandes desafios do método. Cada um tem seu tempo para dominar o corpo e descobrir o próprio ritmo para executar cada exercício. É preciso persistência.

Como escolher o estúdio?

A recomendação da Associação Brasileira de Pilates é procurar profissionais com graduação em fisioterapia para reabilitação e condicionamento físico ou profissionais de educação física com formação em Pilates. “Também importante para quem quer começar a praticar, é buscar locais que ofereçam aulas individualizadas ou em grupos pequenos, para receber atendimento de qualidade”, ressalta Solaine Perini, presidente da entidade.

 

Fonte: www.hiae.br (Hospital Israelista Albert Einsten)

 

Compartilhe essa página com seus amigos nos links abaixo:

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>