Benefícios do Método Pilates na reabilitação (Parte I)

Benefícios do Método Pilates na reabilitação (Parte I) Imagem: STOTT PILATES™

O método pilates é um trabalho que se baseia em exercícios de força e mobilidade utilizando para tais técnicas e exercícios específicos. Este método permite desenvolver nos seus praticantes uma maior tomada de consciência corporal através, sobretudo, dos seus princípios: Concentração, Respiração, Controle, Precisão,  Fluidez de Movimento,  Isolamento e Rotina (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999). Em todos estes princípios reside uma base comum: a especificidade de cada ser humano numa dimensão biopsicosocial, isto é, a capacidade desta modalidade se adaptar e se direcionar às diferentes características de cada praticante. Neste sentido, são inúmeros os estudos e os profissionais de saúde que associam a sua prática a inúmeros benefícios, c oncretamente ao nível da prevenção e tratamento de algumas patologias (como por exemplo os problemas de próstata, a incontinência urinária, entre outros), melhoria do equilíbrio, dos níveis de atenção e de concentração, da coordenação neuromotora, da mobilidade articular, da redução de dores da coluna, melhoria do sistema imunitário e do sistema linfático, aumento dos níveis de conhecimento de si próprio (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999).

Importa ainda salientar que o pilates assume um importante papel ao nível do sistema nervoso central. Através do sistema nervoso central conseguimos captar sinais do mundo exterior – podemos ouvir, ver, cheirar, saborear e sentir. O sistema nervoso central também coordena todas as nossas atividades conscientes e inconscientes – como andar, falar, pensar, recordar e realizar ações reflexas que acontecem sem pensarmos nelas. Um exemplo de uma patologia associada a uma disfunção ao nível do sistema nervoso central, é a Esclerose Múltipla (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999).

Será neste sentido, e tendo em conta todos os princípios e metodologias utilizadas pelo método pilates, que podemos considerar a sua prática uma importante fonte de estímulo do bem-estar global. Muitas formas de esportes e exercícios concentram-se nos músculos maiores e mais fortes e, enquanto estes se tornarem ainda mais firmes e volumosos, os músculos menores e mais “fracos” são fortalecidos, enquanto os músculos maiores aumentam seu tônus, favorecendo maior mobilidade às articulações, criando um corpo equilibrado, flexível e integrado. Localizar esses pequenos músculos e aprender como exercitá-los, exige um bom grau de concentração e precisão – e por essa razão a técnica Pilates é comumente chamada de “exercício pensante” (DAVIES; GIBSON; TESTER, 1979).

A concentração é um dos seis princípios básicos da técnica Pilates – através dela é possível estabelecer a sintonia entre mente e corpo. Os outros princípios básicos são respiração, controle, centramento, fluxo do movimento e precisão. Como os exercícios são muito seguros, o que faz a técnica ser perfeita para todos os tipos de pessoas a partir de 14 anos, entre atletas, obesos e idosos acima de 70 anos (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999).

Autor: Théo Abatipietro Costa (Fisioteraputa)

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

One thought on “Benefícios do Método Pilates na reabilitação (Parte I)”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>