O método Pilates carece de Instrutores Treinados?

O método Pilates carece de Instrutores Treinados? Imagem: STOTT PILATES™

Pilates, método popular de treinamento de resistência está enfrentando um problema: O número de pessoas se matriculando para fazer as aulas está excedendo o número de pessoas qualificadas para ensiná-las. Como diversos exercícios, o Pilates, envolve o uso do pescoço e da coluna, mais do que em outros exercícios convencionais. Para praticar o Pilates é necessária a orientação de um instrutor, sempre presente, pois o exercício deve ter concentração e controle da respiração.

Para ser um instrutor de Pilates são necessários meses de treinamento, mas ainda existem empresas que entregam licenças após um rápido final de semana de curso. Pilates não é a única modalidade de condicionamento físico que está tendo que determinar se seus padrões são permissivos demais. Personal trainers e instrutores de yoga também têm recebido queixas de clientes que se machucaram praticando os exercícios.

Os entusiastas pelo condicionamento físico da terceira idade – de jogadores profissionais de golfe até donas de casa – aderiram ao Pilates, uma forma de treinamento de resistência que fortalece os músculos e reduz a rigidez através de exercícios precisos e que exigem colchonetes e equipamentos elaborados.

Em parte pela reputação de reduzir e dor lombar, Pilates se tornou uma das modalidades de mais rápido crescimento no país, especialmente entre os “Baby Boomers” desgastados por anos de Cooper e tênis. Baby Boomers é a geração nascida entre 1946 e 1964, que redefiniu o envelhecimento. De acordo com a Sporting Goods Manufactures Association o número de pessoas fazendo Pilates aumentou de 2,4 milhões em 2001 para aproximadamente 9,5 milhões de pessoas em 2003, último ano em que os números estão disponíveis.

No entanto, o número de instrutores de Pilates e donos de academias está crescendo para uma direção arriscada. Kevin Bowen, chefe executivo da Pilates Method Alliance, um grupo sem fins lucrativos de educadores, fabricantes de equipamentos e estúdios, argumenta que apenas em torno de 1/4 ou 1/3 dos educadores de Pilates foram adequadamente treinados. Lindsay Merrithew, presidente da STOTT PILATES™, uma grande fabricante de equipamentos para Pilates, que também dirige um programa de treinamento, alega que os números podem ser ainda menores. A STOTT PILATES™ possui como única fabricante, fora do Canadá, a brasileira Metalife Pilates.

Alguns dos chamados movimentos clássicos de Pilates, como o “roll-over”, podem causar lesões no pescoço se feitos incorretamente, diz Michele R. Scharff-Olson, fisiologista e diretora de pesquisa no laboratório de desempenho humano da Universidade de Auburn em Montgomery, Alabama. Outros movimentos clássicos de Pilates podem causar distenção das costas. O “mergulho do cisne”, por exemplo, envolve dobrar o corpo num arco e se balançar apoiado sobre a barriga com braços e pernas a aproximadamente 15 centímetros do chão.

“Existem algumas questões técnicas que podem causar problemas”, diz William O. Roberts, presidente da American College of Sports Medicine. Adeptos, do Pilates clássico que acreditam que o condicionamento físico está sendo vítima do marketing também chamam a atenção para algumas inovações. Para queimar mais calorias, por exemplo, algumas academias promovem o “Cardio” Pilates, que realiza certos movimentos rapidamente e várias vezes. Contudo, Pilates, conforme foi desenvolvido entre 1912 e 1926 pelo boxeador e ginasta Joseph Pilates, envolve uma série de movimentos controlados executados lentamente e com poucas repetições.

Antigamente restrito a um pequeno número de estúdios especializados, o Pilates se espalhou invadindo academias e centros de condicionamento físico em todo o pais. E esse mercado para equipamentos de Pilates mais do que quadruplicou desde 1999.

Diferente dos equipamentos para levantamento de peso, onde o foco está em mover um ou dois grupos musculares por vez, Pilates envolve diferentes partes do corpo todos se movimentando ao mesmo tempo. Exercícios realizados no equipamento de Pilates também podem demandar muito da pessoa. Por exemplo, mais de 75 tipos diferentes de exercícios podem ser realizados no “reformer”.

Alguns instrutores, com maior experiência, dizem que os instrutores iniciantes devem começar pelos equipamentos de Pilates e não pelos exercícios de solo. Também dizem que é melhor aprender Pilates apenas um aluno por professor ou em pequenos grupos. No entanto, para aumentar a atratividade de Pilates muitas academias enfatizam aulas solo com grupos numerosos. Indo, novamente, contra um dos princípios do Pilates.

Fonte: THE WALL STREET JOURNAL
Por: Sally Beatty

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Cursos de Pilates Brasil

12 thoughts on “O método Pilates carece de Instrutores Treinados?”

  1. Não entendo como uma prática corporal que a princípio deveria ser para todos é explorada de maneira tão mercadológica e irracional. Os preços dos cursos para se tornar um instrutor são abusivos, de maneira que profissionais sérios tem que se submeter a fazer cursos “de finais de semana” para poder atuar na área que tanto amam. O certificado de instrutor muitas vezes não vale de nada se o profissional não estudar, se aperfeicoar, não significando que deva pagar altos preços para se tornar UM BOM PROFISSIONAL DE PILATES. Essa é a realidade do Pilates no Brasil hoje: “Compre seu certificado”.

  2. Infelizmente é assim mesmo Júlia. Tudo se resume a mercado. Por um lado, tais certificações em teoria servem para nívelar os profissionais. Entretanto, cursos de fins de semana para pessoas leigas no mínimo em fisiologia e pneumologia só servem para aumentar as filas de fisioterapeutas, e outros profissionais da saúde com pessoas lesionadas pela prática do pilates. Sou instrutor de yoga e ouço falar em pliates há pelo menos 15 anos, quando ainda não existia essa “modinha”. E no yoga a coisa tb não é diferente se não pior do que na área do pilates, profissionais desqualificados orientando pessoas sem consciência corporal alguma, o que inevitavelmente resulta em lesões.
    Quanto à matéria em si, já começa com um erro grande, afirmando o pilates ser um método popular. Popular? Onde? Com uma certificação caríssima, as aulas tb tem que ter um valor alto para que o profissional obtenha retorno do seu investimento. Isso sem falar nos que acham que vão ficar milionários dando aula de pilates. No mais, o mais engraçado é que tais certificações são emitidas pelas mesmas “empresas” que vendem os aparelhos. No mundo dos negócios isso se chama cartel e é ilegal. Quanto aos centros e academias, estes empreendedores muitas das vezes não são profissionais da saúde e se preocupam unicamente com a saúde financeira da sua empresa, priorizando a quantidade perante a qualidade do trabalho do professor. Não podemos generalizar, conheço excelentes profissionais de pilates, mas estes não beberam apenas na fonte. Mas estudaram outras ciências fisioterápicas e se aprofundaram nas fontes em que o próprio joseph pilates bebeu, por exemplo, o yoga. No mais repito, tudo se resume a mercado.

  3. Esta materia tem dados e fontes de outro pais, portanto acho que nao se adequa cem porcento ao Brasil. Existem muitos profissionais bons no mercado que nao necessariamente fizeram um curso de longuissima duraçao. Alguns lugares cobram uma fortuna pelos cursos, o que eu acho um abuso, pois bom mesmo é aquele que estuda seu cliente e sabe o que ele pode ou nao fazer. Por falar nisso a materia se contradiz em relaçao a exercicios, no sexto paragrafo uma profissional norte americana faz um alerta no exercicio do “mergulho do cisne”. Mas a foto publicada mostra quase que o mesmo exercicio, tao perigoso e prejudicial quanto o relatado. Este exercicio para quem tem dor lombar, que é a maioria dos alunos, torna-se super perigoso.

  4. Realmente, o mercado dita as regras, e mesmo aqueles que aqui mostram sua indignação quanto ao preço dos cursos, de alguma maneira cedem aos caprichos de mercados elitizados, seja ele qual for.
    Os profissionais amantes de suas carreiras devem acima de tudo valorizar sua atividade. Uma vez que decidiram atuar no mercado, que seja com excelência. Não somente na busca por conhecimento técnico e atualizações, mas também em atendimento e estrutura. Hoje procurar por aulas de pilates é semelhante a um leilão, vemos profiisionais vendendo seus “serviços ” a preços que não pagam uma entrada de cinema, outra atividade dominada pelo mercado. Isso apenas mostra que, como em qualquer mercado, temos aqueles que acreditam na atividade que exercem e assim conseguem mensurar o real valor de um investimento, e aqueles que acreditam que simplesmente atuar no mercado já basta.
    Se o próprio profissional não consegue enxergar o valor que o investimento em uma boa formação pode fazer por ele, muito menos o seu cliente.
    Quem atua no mercado por amor, o faça por amor a si, e avalie o tamanho do investimento que pode fazer. Qualquer certificado é comprado, seja ele qual for ou seja em qual moeda você está pagando. Mas acima de tudo avalie o conteúdo. Se pagar por um curso de final de semana, contente-se em receber o conteúdo relativo a isso, mas tenha consciência em repassar seus conhecimentos, enfim do que se trata a matéria.

  5. Realmente, o mercado dita as regras, e mesmo aqueles que aqui mostram sua indignação quanto ao preço dos cursos, de alguma maneira cedem aos caprichos de mercados elitizados, seja ele qual for.
    Os profissionais amantes de suas carreiras devem acima de tudo valorizar sua atividade. Uma vez que decidiram atuar no mercado, que seja com excelência. Não somente na busca por conhecimento técnico e atualizações, mas também em atendimento e estrutura. Hoje procurar por aulas de pilates é semelhante a um leilão, vemos profisionais vendendo seus “serviços ” a preços que não pagam uma entrada de cinema, outra atividade dominada pelo mercado. Isso apenas mostra que, como em qualquer mercado, temos aqueles que acreditam na atividade que exercem e assim conseguem mensurar o real valor de um investimento, e aqueles que acreditam que simplesmente atuar no mercado já basta.
    Se o próprio profissional não consegue enxergar o valor que o investimento em uma boa formação pode fazer por ele, muito menos o seu cliente.
    Quem atua no mercado por amor, o faça por amor a si, e avalie o tamanho do investimento que pode fazer. Qualquer certificado é comprado, seja ele qual for ou seja em qual moeda você está pagando. Mas acima de tudo avalie o conteúdo. Se pagar por um curso de final de semana, contente-se em receber o conteúdo relativo a isso, mas tenha consciência em repassar seus conhecimentos, enfim do que se trata a matéria.

  6. Gente, preciso de ajuda. Preciso contratar instrutor de pilates urgente.

    O Studio Vitalle está selecionando 2 fisioterapeutas para trabalharem como instrutores com formação no curso de Pilates para o seu Studio.
    O Studio está localizado na Rua Eng. Jorge Oliva, 400 – Vila Mascote, em São Paulo. Horário: das 16h às 22h
    Os interessados à essa vaga, favor enviar currículo para o email leandrobaricelli@hotmail.com ou entrar em contato pelo telefone (11) 5562-7494/98200-6677 (Leandro Baricelli).
    É a Vitalle te colocando no mercado!

  7. Preciso de ajuda, instrutor de pilates urgente para trabalhar na rua eng Jorge oliva, 400 próximo ao aeroporto de congonhas das 16 as 22 de seg a sexta. Me ajudem

  8. Oi gente,
    Sou professora de pilates aqui na Inglaterra(fiz a formacao aqui), gostaria de saber se meu certificado e aceito no Brasil? Ele e aceito na Europa inteira e Estados Unidos.
    obrigada

  9. Oi Fernanda!
    Atualmente, no Brasil, é obrigatório ser educador físico ou fisioterapeuta para dar aulas de Pilates. Não é pela questão do certificado de instrutor de Pilates, mas da formação acadêmica.

    Abraços!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>