2014_02_0061-IMAGENS-RP-NOVO-SITE_dores-musculares-indicam-Site

Dores musculares indicam treino exagerado e sem resultados positivos

Sentir dor após uma aula de Pilates pode significar lesão muscular decorrente de excesso de treino e não ganho de massa como muitos pensam. Segundo a fisioterapeuta e diretora da FisioCiência, Eliane Coutinho, este é um problema recorrente nas academias.

“É cada vez mais freqüente alunos saírem das aulas de Pilates e no dia seguinte se referirem à dor muscular com satisfação, com frases do tipo: “Pilates funciona!”. Parece que ainda estamos na era clássica do fisiculturismo, do ‘no pain no gain’, sem dor sem ganho. Aula com dor significa excesso de treino com sobrecarga muscular que não considera os princípios do Método Pilates que primam por controle e precisão de movimento” alerta.

A especialista explica que a dor muscular de um ou dois dias após uma aula de Pilates é denominada Dor de Ocorrência Tardia (DOT) ou Dor Muscular de Início Retardado (DMIR). Segundo Eliane, estudos mostram que essa dor pós-exercício não está relacionada diretamente com o ganho de massa muscular e por promover uma queda na produção de força e amplitude de movimento, devido ao quadro inflamatório da lesão, pode acarretar uma queda de intensidade e qualidade em um programa de Pilates.

“As lesões musculares que podem ocorrer devido ao excesso de exercícios seguindo a filosofia de dor, reduzem o potencial proliferativo das células satélites, organelas responsáveis pela recuperação e hipertrofia muscular. Ou seja, se doer, os resultados vão demorar mais tempo para aparecer” explica.

A especialista, que também é pós-doutoranda em Pilates na USP/SP, salienta que ganho de massa muscular (hipertrofia) é totalmente possível sem que exista, necessariamente, quadro de dor muscular.

“Por isso, se houver dor após uma aula de Pilates, converse com seu instrutor ou procure academias e estúdios que hipertrofiam sem dor” recomenda.

Fonte: clicrbs.com.br

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

14 thoughts on “Dores musculares indicam treino exagerado e sem resultados positivos”

  1. OLÁ, gosto muito dos artigos da revista Pilates, mas esse relacionado a dor após treinamento me parece equivocada. Pois o individuo sedentário e/ou que faz um outro tipo de atividade, muitas vezes, após o Pilates sentirá um incomodo muscular, e isso é perfeitamente normal, pois o corpo foi submetido à uma situação e responde a isso; não quero dizer que é necessário ter a dor; mas também não acho que se tiver dor o treino está errado. Além disso, há também a individualidade biológica, onde cada organismo responde diferente à um mesmo “stress”. Por esse motivo, é preciso entendermos até que ponto a dor após o treino é normal ou é prejudicial. Obrigada!

  2. Concordo totalmente com vc Adriana . Adoro a revista mas acho que essa matéria pode confundir as pessoas .
    Obrigado !

  3. Gosto dos artigos da revista Pilates mas também não concordo com este em especial. Acho muito relativo a questão da dor, Como uma pessoa sedentária não fica com dor muscular após praticar uma atividade fisica? Por mais leve e harmônica que seja a atividade, a musculatura foi trabalhada e possivelmente sentirá um desconforto pós atividade.
    Agora, se uma pessoa ativa começar a ficar com dores aí sim o treino deve/precisa ser revisionado.
    Att.

  4. Também não concordo com este artigo.Concordo plenamente com a Adriana que se referiu sobre individualidade biológica, cada indivíduo corresponde de uma maneira ao exercício físico.Até que ponto a dor muscular é prejudicial? ou é normal?? Quais artigos científicos comprovam que a dor não pode ocorrer após o exercício??
    obrigada!

  5. Concordo em parte com a publicação, porém acho um pouco complicado orientar que os alunos fiquem atentos e conversem com o instrutor, pois abrirá espaço para dúvidas qnto ao trabalho do q pode estar sendo feito de maneira inadequada, quando o próprio aluno muitas vezes não responde bem aos comandos ou não se concentra suficiente e executa repetições além do que foi orientado.
    Pra todos os casos existem variáveis. O problema pode estar no instrutor ou no aluno.
    Trabalho com Pilates a 6 anos e o q pude perceber é q os alunos sentem um certo desconforto muscular durante o primeiro mês de prática, mesmo que ocoram poucas repetições e que sejam feitas de maneira controlada. Tanto por conta do sedentarismo, como também pela ativação de pequens músculos que não são ativados de maneira consciente no dia-a-dia, como paravertebrais e estabilizadores de escápula. Suponho que 1h de aula, 2x na semana ativando adequadamente o CORE e estes músculos citados, promoverá um certo grau de dor pós atividade qndo o aluno inicia a prática do PILATES. Vale lembrar que o intervalo entra as aulas deve ser respeitado justamente pra não ocorrer sobrecarga “salvo” aqueles que ja possuem o condicionamento adequado.
    Outro ponto que observei é que alunos que praticam Pilates regularmente a 3 meses ou mais não referem mais dores pós exercícios. Quando sentem, normamente foi devido a solicitação de porturas nunca praticadas anteriormente, como nos exercícios mais avançados e desafiadores.
    A reportagem serve na minha opinião, para alertar aos INSTRUTORES para não banalizarem o método, fazendo com que se torne mais uma atividade fisica sem respeito aos princípios, e ainda, para que os mesmos continuem batendo na mesma tecla com seus alunos, pois com o passar do tempo muitos “fazem o exercíos por osmose” e não solicitam a musculatura de maneira controlada e completa.
    Obrigada.

  6. Realmente este é um artigo ambíguo. Creio que ele se refere a dores em alunos avançados. Pois em todos as pessoas sedentárias em que eu apliquei o método pilates referiram dores na aula seguinte.

  7. Que ótimo ver um artigo recebendo tantos comentários. É disso que a Revista Pilates precisa: discussões para gerar conhecimento.
    Acredito que como eu, os outros instrutores que deixaram sua opinião acima, gostariam de “ouvir” novamente a especialista.
    A minha opinião é a mesma: quase impossível o aluno experimentar o pilates e não sentir nenhuma dor ou desconforto no outro dia. Quanto aos alunos que já praticam o método a mais tempo, ou mesmo nós, instrutores, se realizarmos algum movimento diferente que exige uma contração muscular vigorosa, provavelmente também sentiremos algum desconforto, e não acredito que isto seja ruim, já que precisamos nos desafiar e desafiar nossos alunos cada vez mais (com cautela).
    Indiquei o site para meus alunos na semana passada. Não gostaria que lessem a matéria, principalmente a última frase. Penso que pode confundí-los… Gostaria de mais explicações!

  8. Concordo em partes, pelo seguinte fato:
    Pois se trata de uma atividade onde os exercícios são mudados a cada sessão, ou seja os estimulos são diferentes e quanto mais concentrado for feito maior é o estimulo. E não pelo fato de o professor estar exagerando nas cargas.

  9. Tambem compartilho com alunos e com outras pessoas as matérias da revista , mas não gostaria que lessem essa matéria , pois as pessoas iriam ficar com uma impressão errada , confusos ,só com o titulo , “Dores musculares indicam treino exagerado e sem resultados positivos” … mas , acho a discussão muito positiva !

  10. Penso que pessoas q não estão acostumadas a realizar exercícios de alinhamento postural e que possuem desvios importantes, muitas vezes apenas ao aplicar a respiração diafragmática da técnica, isolando a musculatura acessória; podem sim sentir, após a terapia algum desconforto muscular… principalmente devido ao alongamento e isolamento de tais musculaturas. Apenas o q verifico é q isso normalmente só ocorre nas primeiras sessões, realizadas periodicamente. Quando o paciente adquire o controle e propriocepção corporal ele automaticamente começa a aplicar os Fundamentos do Pilates no seu dia-a-dia, prevenindo assim durante qualquer atividade a ocorrência de lesões musculares.

  11. Achei o artigo equivocado quanto as adaptações musculares obtidas com o método Pilates APENAS ressaltando a hipertrofia como objetivo.
    Então acho necessário conhecermos melhor os diferentes estímulos – neural ou hipertrófico – que podem ser aplicados com bases fisiológicas através do método Pilates.
    E, como citado no artigo, os principios do pilates são baseados na obtenção de controle e precisão de movimentos. Lembramos pois, que tais adaptações são alcançadas através de estímulos predominantementes neurais sem características hipertróficas.
    Quanto a dor muscular tardia, acreditamos que se a dose resposta for bem aplicada, com certeza os benefícios serão alcançados, não necessariamente dependente de dor, que é variável com a individualidade de cada aluno.
    Portanto, é fundamental conhecer seu aluno, e que
    respeitemos os principios do método Pilates.

  12. Concordo com os colegas instrutores que é pouco provável o aluno não sentir nenhum desconforto muscular após as primeiras aulas ou quando realizam posturas que nunca fizeram! A dor muscular não quer dizer, necessariamente, que houve algum tipo de lesão muscular, mas que sim que houve “trabalho muscular”.
    Não gostei do final do texto em que a especialista diz para procurar studios que não causem dores muscular. Também acredito na individualidade biológica.

  13. MEU MARIDO ESTA FAZENDO PILATES 2 X NA SEMANA,TEM MENOS DE 1 MES,ELE TEM FORTE DOR NA BACIA,NOTAMOS Q A DOR AUMENTOU DEPOIS DOS EXERCICIOS,INCLUSIVE NOS OMBROS E PANTURRILHAS ADQUIRIU DOR,ACHAMOS MAIS DO Q NORMAL, JÁ Q ELE É SEDENTARIO! LÍ ESTE ARTIGO FIQUEI MUITO PREOCUPADA,RELACIONEI Q PILATES ESTARIA DEIXANDO ELE PIOR QUE ANTES. O QUE FAZER????

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>