2014_02_0061-IMAGENS-RP-NOVO-SITE_notas-de-esclarecimento-Site

Notas de Esclarecimento do COFFITO e CREFITO-10 sobre a Resolução 201/2010 do CONFEF sobre Pilates

Gostaríamos de agradecer a todos pelas respostas sobre a matéria Interdisciplinaridade, originalmente postada no blog da Silvia Gomes, em especial ao Ricardo que nos encaminhou esta nota de esclarecimento:

1. Nota de Esclarecimento do COFFITO sobre a Resolução 201/2010 do CONFEF sobre Pilates

O COFFITO, tendo em vista a publicação oficial da Resolução 201/2010, do Conselho Federal de Educação Física (CONFEF), esclarece que todo Fisioterapeuta tem o direito de utilizar o método Pilates com a finalidade fisioterapêutica, ou seja, para os fins de tratamento e prevenção de disfunções, conforme autoriza a legislação que trata da matéria. A prática pode ser realizada em qualquer local, como clínicas, academias, hospitais, dentre outros.

A Resolução do CONFEF, que dispõe sobre o Pilates como modalidade e método de ginástica, em seu artigo 4º, prevê que “Caberá à pessoa jurídica prestadora de serviços na área de atividades físicas, desporto e similares que oferecer o Pilates em seu elenco de serviços, garantir que sua prática seja orientada e dinamizada por Profissionais de Educação Física”. A medida não trará qualquer dano ao exercício profissional do Fisioterapeuta, uma vez que a Cinesioterapia, que fundamenta o método Pilates, faz parte do currículo base da graduação em Fisioterapia. Assim, o COFFITO destaca que os profissionais de Fisioterapia têm plena autonomia para utilizar o método Pilates na prevenção e no tratamento de disfunções.
O COFFITO entende que o método Pilates é um dos muitos recursos cinesio-mecano-terápicos à disposição do fisioterapeuta, com vistas à promoção, prevenção e recuperação da saúde. O Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional entende que a prática clínica do Pilates exige um domínio técnico e científico acerca do método, por meio de aprimoramento profissional específico.
O profissional que, porventura, venha a se sentir prejudicado em seu exercício profissional por qualquer Conselho de Fiscalização, alheio ao sistema COFFITO/CREFITOS, deve, imediatamente, comunicar a atuação indevida ao CREFITO de sua circunscrição para a adoção das medidas pertinentes.
Fonte: COFFITO.
1. Nota de Esclarecimento do CREFITO-10 sobre a Resolução 201/2010 do CONFEF sobre Pilates

Diante da publicação da Resolução n.º 201/2010 do Conselho Federal de Educação Física, e tendo em vista a quantidade de profissionais que entraram em contato com este Regional, questionando a aplicabilidade e a influência da norma em questão nas atividades dos fisioterapeutas, o CREFITO-10 vale-se da presente para tecer alguns esclarecimentos.
Inicialmente, cumpre esclarecer que, independentemente dos termos da norma editada pelo CONFEF, os fisioterapeutas mantém o direito de utilização do método Pilates, direito este decorrente diretamente da sua formação acadêmica.
Não obstante a plena capacidade do fisioterapeuta de utilização de técnica que tem por base a Cinesioterapia, tem-se claramente que o CONFEF não pode interferir ou legislar acerca de métodos com finalidade fisioterapêutica, sendo certo que a normatização publicada não interfere no exercício das atividades dos fisioterapeutas.
O CREFITO-10 desde já se coloca à disposição dos profissionais que venham a sofrer qualquer espécie de interferência ou ameaça de interferência no exercício de sua profissão com base na norma em questão, a fim de que sejam tomadas as medidas cabíveis no intuito de assegurar o pleno exercício profissional.
Dr. Sandroval Francisco Torres
Presidente do CREFITO-10

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Cursos de Pilates Brasil

10 thoughts on “Notas de Esclarecimento do COFFITO e CREFITO-10 sobre a Resolução 201/2010 do CONFEF sobre Pilates”

  1. E como ficam os profissionais formados em dança, que também tiveram cinesiologia, anatomia e afins e que fizeram os cursos de formação de instrutores do método, eles também tem o direito de exercer a profissão ou não?
    Obrigada

  2. Muito boa essa matéria. Assim deixa claro que os dois profissionais em questão têm o direito, regido pela sua grade curricular, de praticar o método.
    Valeu o esclarecimento.

  3. Acredito que a questão levantada pela resolução 201/2010 do CONEF sobre o Pilates possa nos direcionar para uma discussão importante: Qual é o limite da atuação de um profissional? Será que o limite pode ser determinado por um papel? No meu ponto de vista, o limite deve ser o conhecimento. Se o profissional, seja ele educador físico ou fisioterapeuta, tem conhecimento teórico-prático sobre o método Pilates, o qual é importante e imprescindivei para garantir a segurança dos clientes/pacientes e a efetividade do método, isso é o que realmente deveria ser fiscalizado. Não podemos nos esquecer que Joseph Pilates não era fisioterapeuta e/ou, muito menos, educador físico, entretanto, ele foi capaz de criar uma método de condicionamento físico extremamente inteligente e apaixonante. Sendo assim, eu gostaria que todos os amantes do Pilates, sejam instrutores ou praticantes, refletissem sobre uma pergunta: O que é mais importante: papel ou conhecimento?

  4. O metodo que Pilates criou foi muito estudado e desenvolveu-se muito nesses anos . Importante é que os profissionais que o utilizarem estejam muito bem preparados !

  5. Sou formada em EF há 22 anos e recém formada em fisioterapia. Além de estar bem preparado, o profissional deve procurar atuar com clareza na sua função. O que eu vejo acon tecer é o fisioterapeuta tratar como os seus “alunos” de pilates. A função de aula é apropriada ao educador físico e essa é a principal divergência entre os profissionais. O fisioerapeuta não se prepara na graduação para dar aula (metodologias, didática, psicologia específica, dinâmicas) e não pode se apropriar do termo aula e sim,sessões que devem ter caráter terapêuticos, preventivos e de reabilitação.

  6. Olá Marina, ele não se prepara na faculdade, mas pode perfeitamente se prepara fora dela. A Faculdade é uma porta de entrada e a porta não fecha quando saimos dela, muito pelo contrário.
    Abraço, Silvia.

  7. Olá, sou fisioterapeuta e pos graduada em PILATES, trabalho dando aulas em uma academia pilates solo e acessorios.
    Há um tempo atraz o CONFEF esteve na academia e reclamou de um cartaz de PILATES que estava escrito CONDICIONAMENTO FISICO, como um dos beneficios do pilates….dentro de varios outros.
    Existe alguma restrição para minhas aulas?
    Oque não posso fazer dentro de uma aula de pilates solo, dada por um fisio?Usar pesinhos…etc…

  8. Olá Mariana, segundo uma de nossas fisioterapeutas, o Pilates ainda não foi regularizado por nenhum conselho de Educação Física ou Fisioterapia. Portanto, orientamos que você procure o CREFITO de sua região, que vai poder lhe direcionar sobre como trabalhar com o Pilates nesta área.

    Abraços!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>