União do Pilates com o Tênis, uma grande sacada!

União do Pilates com o Tênis, uma grande sacada!

O Tênis é uma atividade que requer agilidade, resistência e força ao mesmo tempo exige uma coordenação espaço – temporal muito elevada. Em cada jogo é exigido ao praticante torções controladas do tronco para que as pancadas sejam o mais precisas possível. Sendo uma atividade unilateral, é altamente suscetível o desenvolvimento de grandes desequilíbrios músculo-esquelético que na grande maioria dos casos resultam em padrões de movimento pouco eficientes dando origem às lesões características do Tênis (Tennis Elbow, Dores Lombares, Tendinites Diversas, etc).

Iremos abordar agora especificamente as lesões de ombro, por serem as mais frequentes no tênis. Um detalhe importante é  quando estas lesões acometem atletas com mais de 40 anos elas podem até mesmo fazer com que este pare de jogar tênis. Para isto, uma adequada avaliação médica é necessária, para que se possa prevenir que a lesão apareça.

Se perguntarmos se você já teve alguma dor no ombro jogando tênis, provavelmente a sua resposta será sim. Mas devemos diferenciar muito bem dor de lesão. A dor pode ser até mesmo normal, depois de você jogar muito, quando forçou demais o saque, ou está jogando com alguma raquete nova e ainda não está acostumado com ela. O problema é quando a dor vai gerando lesões estruturais no seu tendão ou cartilagem, e aí pode ficar complicado para jogar.

As lesões mais freqüentes do ombro do tenista são as tendinites de manguito rotador. O manguito é um grupo de 4 músculos, que seguram o ombro e mantém a sua estabilidade, para que ele possa fazer as suas funções no esporte. O ombro, por não ter uma estabilidade óssea adequada, necessita destes músculos funcionando bem para você jogar tênis sem dor.

Os tendões que são mais afetados no tênis são o infraespinal e supra-espinal, e muito em decorrência do movimento de saque. Quando a lesão vai ficando crônica os movimentos de forehand também são dolorosos, principalmente quando você pega as bolas atrasadas.

Todo tenistas deve se preocupar com as lesões de ombro, ainda mais os mais velhos. Com o tempo, os tendões tendem a sofrer um desgaste natural pela idade, e com o tênis este desgaste pode aumentar.

Se você é tenista e tem mais de 40 anos, seguem abaixo algumas dicas para prevenir as lesões de ombro:

1. Se tiver uma dor no ombro que demore mais de 2 semanas, mesmo depois de você parar de jogar tênis, procure um médico ortopedista para fazer uma avaliação (os exames que são pedidos geralmente são o ultrassom ou a ressonância magnética)

2. Se for a primeira dor no ombro, procure observar se você está dobrando os joelhos na hora da preparação do saque (flexão do joelho de menos de 75 graus pode sobrecarregar o ombro em até 30% a mais do que a carga normal do saque)

3. Procure usar raquetes com algum tipo de maleabilidade (raquetes muito rígidas transmitem muita vibração para o braço)

4. Evite usar tensões no encordoamento maiores do que 58 libras

5. Procure fazer exercícios de alongamento e de fortalecimento muscular (a região posterior do ombro pode ser difícil de alongar e fortalecer, por isso a supervisão de um fisioterapeuta pode ser necessária)

6. Evite tratar as dores de ombro por muito tempo somente com gelo (o gelo é bom para aliviar as dores, porém procure um fisioterapeuta para reabilitação).

O método Pilates irá seguramente ajudar a desenvolver uma musculatura mais equilibrada a desenvolver padrões motores mais adequados que se irão refletir numa menor propensão para lesões assim como num melhor desempenho desportivo. Por isso a união do Pilates com o Tênis é uma boa saída para atletas que buscam o estrelato, assim como esportistas que buscam uma melhor qualidade de vida.

Fonte: Jonral Arte3 e White Lounge

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

One thought on “União do Pilates com o Tênis, uma grande sacada!”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>