Pilates: tratamento na terapia ocupacional

Pilates: tratamento na terapia ocupacional

No pilates, a terapia ocupacional trabalha a reabilitação em si. Os equipamentos são adaptados para as necessidades de cada individuo e mesmo cadeirantes podem e devem praticar o método.

“O paciente com AVC, por exemplo, precisa ter um ganho de equilíbrio de tronco, fortalecer o abdômen. Com as adaptações o Pilates se mostra um execelente método para esses casos”, afirma a terapeuta ocupacional Lívia Alice Ramalho.

Outra vantagem do método é a adaptação dos equipamentos para que o paciente treine movimentos que ele precisa fazer no seu dia a dia, como levar o copo ou a colher à boca. Assim, o terapeuta ocupacional trabalha o pilates como uma simulação. “Simulamos os movimentos do cotidiano dele nos aparelhos, criando atividades funcionais. Se o paciente trabalha em uma empresa, passa o dia todo em frente ao computador, vamos simular esses movimentos de uso do mouse e teclado, com o posicionamento correto e voltado para suas necessidades”, ressalta Dra. Lívia.

Esse é um campo que começa a ser desbravado pelos terapeutas ocupacionais e os profissionais podem aproveitar esse momento para acrescentar um diferencial em seus tratamentos.

A fisioterapeuta Patrícia de Mello Lima, especialista em pilates clínico, ressalta que o fato de o pilates estar na moda faz as pessoas procurarem o método. “Mas quando passar a moda, só os bons profissionais permanecerão. Então cabe ao profissional da saúde desmistificar o marketing e oferecer um tratamento científico”.

A fisioterapeuta Emília de Almeida Lima acrescenta que é importante procurar cursos ministrados por professores credenciados, com currículo diferenciado, com exeperiência e que a formação seja dada com muito embasamento teórico e prático nos aparelhos e acessórios. “A proliferação de profissionais formados em cursos pouco confiáveis pode levar o método à banalização.”

O Crefito do estado de São Paulo editou a resolução nº 28, de 29 de janeiro de 2009, com a finalidade de regulamentar a prática do método pilates por fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. De acordo com a Resolução, o método pilates, quando utilizado como um tratamento cinesioterapêutico funcional, mesmo que preventivo, somente poderá ser exercido por profissional fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional inscrito no conselho.

Fonte: Revista Crefito-SP, ano 6, edição 2.

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Cursos de Pilates Brasil

6 thoughts on “Pilates: tratamento na terapia ocupacional”

  1. Não sabia que Terapeutas Ocupacionais podiam aplicar a técnica de Pilates.
    Gostei muita da reportagem!

  2. Gostaria de ter o contato da Terapeuta Ocupacional Livia Alice Ramalho. Alguem pode me passar o e-mail dela? agradeço desde já

    Renata teixeira

  3. Eu n sabia q a terapia ocupacional poderia atuar com Pilates então será q vcs poderiam me manda uma resolução sobre eu sou tbm terapeuta ocupacional.Obrigada pela atenção.

  4. E quanto aos profissionais de Educação Física que vêm trabalhando nesta área?

  5. Olá, Victor.

    O profissional de Educação Física atua nas áreas de prevenção, recreativa, desportiva, condicionamento físico, no trabalho individual ou coletivo. O Pilates tem o caráter preventivo comum às duas profissões. A utilização do método deve atender as prerrogativas definidas nas normas de exercício da profissão pelo Conselho Federal de Educação Física (CONFEF). A atuação dos profissionais da área é determinada, fiscalizada e orientada pelo conselho, suas competências e habilidades já estão ditadas nas leis que criaram as respectivas profissões.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>