Pilates: Educador físico ou fisioterapeuta?

Pilates: educador físico ou fisioterapeuta? 
Em tempos em que as informações e o conhecimento são disseminados e adquiridos de forma rápida e fácil, é de se esperar que ao procurar um estúdio de Pilates também ocorra uma pesquisa sobre o método, localização, equipamentos, preços e principalmente os profissionais. É possível observar profissionais de Pilates com formação em Educação física e em Fisioterapia. Então nos perguntamos: Alguém está invadindo a área alheia? Alguém não está exercendo sua função de forma adequada? Com quem fazer Pilates: Educador Físico ou Fisioterapeuta?

Na verdade, ambos podem trabalhar com o método (e somente ambos), desde que tenham a devida formação em Pilates. Entretanto, de acordo com a habilitação inerente a cada profissão, existem diferenças. No geral, o fisioterapeuta é habilitado para trabalhos com diagnósticos, avaliação e reabilitação física (principalmente problemas severos de movimentos – reabilitação primária); já o Educador físico é habilitado para trabalhar com a avaliação física, condicionamento físico (prescrição e orientação de programas de exercícios físicos), manutenção da saúde, prevenção e reabilitação. Teoricamente, os objetivos e a individualidade do aluno é que encaminharia à escolha da habilitação do profissional. Mas, na prática sabe-se que não é bem assim. Talvez, por serem áreas que, apesar se complementarem e serem distintas uma da outra, acabam se confundindo em determinados momentos por apresentar uma linha muito tênue entre suas diferenças e semelhanças.

No entanto, é importante frisar que o que realmente importa é a qualidade do profissional e o serviço prestado por ele. Quando um profissional é competente, ele supera as expectativas do aluno e o surpreenderá sempre, independente de sua formação, pois estará sempre se qualificando, estudando e se dedicando. Por isso, ao procurar um profissional de Pilates ideal, mais do que currículo, observe o perfil do professor, se é uma pessoa interessada em estudar e aprender, que busca respostas e informações constantemente, que é motivada, que explica suas ações de forma coerente, e claro, se há empatia entre aluno e professor. Ou seja, procure um profissional COMPROMETIDO e APAIXONADO pelo que faz, e estará em boas mãos.

fonte: www.flexuspilates.com.br

PUBLICIDADE

Planeta Pilates

PUBLICIDADE

DVDs Espaço Vida Pilates

Comentários