Estenose lombar e Pilates

Estenose lombar e Pilates 

De acordo com o The Mayo Clinic, 4 entre 5 adultos sofrem de dor nas costas pelo menos uma vez na vida.

É comum instrutores de Pilates encontrarem alunos com dores na coluna lombar, mas é extremamente importante ter um diagnostico médico para saber a origem da dor e conseqüentemente, poder prescrever os exercícios ideais.

Em alguns casos é importante trabalhar a mobilidade articular, em outros pode ser extremamente contra-indicado. Por isso devemos sempre nos informar sobre a origem da dor, se possível conversar com o médico do aluno e assim poder evitar os exercícios contraindicados.

Nesta matéria o foco está na Estenose Lombar. A informação aqui é generalizada, por isso recomendamos que se tenha sempre um diálogo para poder entender melhor as necessidades do cliente.

A estenose lombar é diagnosticada por um médico através de ressonância magnética ou tomografia e pode ter diferentes classificações. O fator comum é o estreitamento do canal vertebral lombar, o que provoca pressão na medula espinhal.

A pressão causa dores na região lombar e muitas vezes pode se expandir para os membros inferiores. Por esta razão, as vezes é diagnosticada erroneamente como Ciática.

“A medula espinhal é uma extensão do cérebro e é protegida pela coluna vertebral. A coluna vertebral é dividida em  4 segmentos que se movem em flexão antero-posterior e lateral, extensão e rotação. Raizes nervosas localizam-se entre as vértebras para enervar os membros inferiores e produzir sensações e movimento”. (Kibler, 1998)

Quando a medula espinhal é pressionada a sensação pode se expandir para as regiões que são enervadas pelas raízes do nervo afetado. Pacientes com estenose lombar podem sentir dores na coluna lombar, glúteos, região posterior da coxa e pantorrilhas. Também possuem sensações de fraqueza nos  membros inferiores e normalmente se sentem mais confortáveis em posições de flexão do tronco.

Por causa da dor a inatividade é comun. Razão pela qual alunos com estenose normalmente tem limitação na flexibilidade  e força. É recomendado o fortalecimento dos músculos extensores da coluna, abdominais e dos membros inferiores, além de alongamento do piriforme e supraespinhal.

Um fator importante nos períodos de dor aguda é evitar a mobilização excessiva da coluna vertebral e a carga excessiva que provoque compressão intradiscal. Exercícios de estabilização como o Leg circles ou Dead bug com pouca alavanca são bons exemplos de fortalecimento do centro com estabilização da coluna.

Autor: Africa Alarcon - africa@golfepilates.com
Fonte: North American Spine Socitey

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>