Para as futuras mães: Pilates!

Para as futuras mães: Pilates!  

Para comemorar o Dia das Mães, trouxemos um novo artigo sobre Pilates e gestação. 

Em um momento tão bonito da mulher, a gestação, surge a preocupação: Qual o tipo de exercício pode ser feito durante esta fase? O Pilates – método inventado pelo alemão Joseph Pilates nos anos 20 – é a nova febre entre as futuras mamães.

Segundo a fisioterapeuta Ana Magalhães, o método Pilates trabalha com o corpo de uma maneira globalizada. A respiração é fundamental para a organização corporal. Cada um respeita seus limites. Os movimentos são suaves, coordenados e harmônicos; a contração abdominal é essencial para se manter a postura, o equilíbrio e a proteção da coluna. “O Pilates é, sim, um exercício indicado para as futuras mamães, sem contar com o ambiente calmo com música agradável para a mãe e o bebê”, afirma Ana.

Qualquer programa de exercícios para grávidas precisa ser individualizado ao máximo, respeitando limites, resistência e flexibilidade; nível de aptidão, idade, saúde geral; a individualidade biológica e o estágio da gravidez em que a paciente se encontra, além de ser imprescindível a autorização do médico que acompanha a gestante.

“Por uma questão de segurança, não trabalhamos com grávidas no primeiro trimestre de gestação, só com as futuras mamães que já são nossas alunas e que praticam o Método Pilates”, conclui.

Ela explica que a partir do quarto mês, mesmo as mães que nunca fizeram Pilates podem começar. “A única recomendação é que as grávidas passem por uma avaliação minuciosa e recebam aprovação do seu médico”.

Os benefícios são vários. Sabemos que as mulheres que praticam exercícios durante a gravidez apresentam um menor número de desconfortos, como edemas, câimbras, fadiga e falta de ar.

O exercício contribui para melhorar o tônus, diminuir o risco de perda óssea – que ocorre por falta do estrogênio -, promover boa postura e melhorar a mecânica corporal; prevenir lesões por causa da frouxidão ligamentar, produzir menor risco de estase circulatória e aparecimento de varizes.

Também ajuda a prevenir ou aliviar a dor lombar, incontinência urinária e diástese do reto abdominal. Além disso, promove melhora do humor, da auto-estima e da imagem corporal que podem estar alteradas neste período.

Os exercícios abdominais feitos de maneira correta contribuem – e muito – para o bem estar da grávida. Durante a gestação os abdominais favorecem a melhora do equilíbrio muscular e da postura; fortalecem a musculatura do assoalho pélvico, que irá contribuir para o pré e pós parto (ajuda na incontinência urinária), bem como toda a cintura pélvica (quadril) proporcionando uma melhor sustentação com o peso do feto, pois promove o alinhamento da postura. O que contribui para o não surgimento de dores lombares; a melhora do apoio para o útero em desenvolvimento; promovem maior estabilização do tronco e alinhamento pélvico; favorecem o aumento da pressão intra-abdominal, importante na defecação, micção e no parto, entre outros. 

Fonte: http://www.pilatesanamagalhaes.com.br/jornal_virtual_01.htm

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>