Fisioterapia e Pilates: Companheiros para o seu bem estar

créditos à Divisão de Medicina de Reabilitação do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (DMR HC FMUSP)

A prática do Pilates se distingue de outras atividades físicas e funciona como utensílio de reabilitação, por dar ênfase a muitos princípios importantes em um trabalho terapeutico.

A melhora da postura é um dos pontos fortes do método. Além dos músculos do centro de força, é possível trabalhar os músculos estáticos e dinâmicos, profundos e superficiais, os quais são responsáveis pela conservação da postura.

Busca-se na prática requerer o alongamento ou relaxamento de músculos encurtados ou tensionados demasiadamente e o fortalecimento daqueles que estão estirados ou enfraquecidos.

Desse modo, o Pilates é aconselhado quando a reabilitação de um indivíduo tem como objetivos:

    • O fortalecimento muscular localizado ou global;
    • O aumento da flexibilidade geral;
    • Correção de distúrbios da postura;
    • Melhora do equilíbrio estático e dinâmico;
    • Melhora da coordenação motora;
    • Dissociação de cinturas;
    • Alongamento axial;
    • Estimulação Proprioceptiva;
    • Relaxamento muscular geral;
    • Melhora da capacidade respiratória;
    • Aumento da consciência corporal
    • Por todo seu conjunto, o pilates é hoje utilizado por fisioterapeutas como auxíliar ao tratamento fisioterapêutico, nas mais diversas patologias ortopédicas, reumatológicas e respiratórias.

CADASTRE-SE

PUBLICIDADE

Alternative text